Avianca cancela voos para Nova York, Miami e Santiago

17 de janeiro de 2019

Por Paulo Basso Jr.

Em processo de recuperação judicial, a Avianca Brasil anunciou que descontinuará os voos de São Paulo para Nova York, Miami e Santiago a partir de 31 de março de 2019. Em relação aos destinos brasileiros, o plano da empresa é continuar operando normalmente. As companhias parceiras, Avianca Colômbia e Avianca Argentina, seguem com operações normais.

LEIA MAIS: TEVE UM VOO CANCELADO OU ATRASADO? SIGA ESSES 5 PASSOS PARA SE RESGUARDAR
VOO ATRASADO OU CANCELADO? CONHEÇA OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS

Por meio de comunicado oficial, a Avianca Brasil divulgou que irá procurar os passageiros que adquiriram bilhetes para Nova York, Miami e Santiago após 31 de março e resolver caso a caso. Se você adquiriu com uma operadora ou agência de viagem uma passagem para um desses destinos com data marcada após o cancelamento dos voos, vale a pena entrar em contato com eles para checar uma possível realocação de voo ou ressarcimento do dinheiro.

Confira a nota na íntegra divulgada pela companhia aérea:

Avianca Brasil: voos diretos para NY, Miami e Santiago descontinuados a partir de 31 de março

A Avianca Brasil informa que, para adequar sua operação à atual demanda de passageiros, irá descontinuar os voos diretos que partem de Guarulhos com destino a Santiago do Chile, Miami e Nova York, a partir de 31 de março de 2019.

A empresa segue focada em garantir a sustentabilidade do negócio e em manter a excelência do atendimento ao passageiro, que está em seu DNA. Reforça que TODOS os demais 26 destinos estão preservados e que continua operando normalmente, com mais de 240 voos diários. Ou seja, assim como em dezembro – mês em que foi a aérea com o menor percentual de voos cancelados do País – seguirá transportando em segurança milhares de passageiros até seus destinos.

Se você comprou passagens para voos posteriores a essa data, fique tranquilo. Nas próximas semanas, a Avianca Brasil entrará em contato com todos os clientes para reacomodação em companhias parceiras ou reembolso integral.