Crédito: Freestockphotos.biz

Viajantes precisam da vacina contra febre amarela padrão

26 de janeiro de 2018

Por Maria Beatriz Vaccari

O viajante que seguir para países que obrigam a apresentação do certificado internacional de vacina contra febre amarela precisa tomar a dose padrão, mesmo que tenha recebido a dose fragmentada.

O comunicado foi emitido pelo Ministério da Saúde. Caso você tenha tomado a dose fragmentada, é preciso aguardar ao menos 30 dias antes de tomar a dose padrão.

Use a passagem aérea para tomar a dose padrão

Atualmente, as unidades de saúde pública só aplicam a dose padrão em quem comprovar, por meio de passagem aérea emitida, que irá visitar um dos países que exigem a apresentação do certificado internacional de vacina contra febre amarela.

Validade da vacina contra febre amarela

A dose padrão, que antes precisava ser renovada a cada 10 anos, vale para toda a vida. Isso significa que, quem já tomou uma dose desse tipo, independentemente da data, não precisa levar outra picada para reforçar a proteção.

A dose fracionada, por sua vez, tem validade limitada. Estudos ainda estão sendo elaborados sobre o assunto, mas estima-se que ela dura em torno de oito anos.

Como fica para o turista?

Muitos países só deixam o viajante entrar se ele provar que já tomou a vacina contra febre amarela. Companhias aéreas como a South Africa, por exemplo, barram ainda no Brasil os viajantes que não apresentarem o comprovante.

Quem nunca tomou a dose padrão precisa ir a um posto de saúde para recebê-la pelo menos 10 dias antes da data de embarque. A partir daí, basta viajar com o Certificado Internacional de Vacinação (uma boa dica é deixá-lo sempre junto ao passaporte). Afinal, é com ele que você consegue comprovar que está protegido.

Quem tomou a vacina padrão antes de 11 de junho de 2016 conta com uma data de validade na carteira de vacinação (prazo de 10 anos). Com a atual regra, esse prazo deixou de ser válido. Portanto, mesmo com a data vencida no documento, as autoridades dos Estados Partes devem estar cientes de que a dose da vacina está em dia e permitir a viagem.

Restrições da vacina contra febre amarela

É importante ressaltar que o Certificado Internacional de Vacinação não deve ser rasurado. Qualquer ação desse tipo faz com que o documento perca a validade. Também vale lembrar que tomar a vacina contra febre amarela não é indicado para gestantes e mulheres que estão amamentando crianças com até seis meses de idade.

Passo a passo para emitir o certificado internacional de vacina contra febre amarela

Antes de tomar a vacina contra febre amarela, o viajante precisa fazer um pré cadastro online para agilizar e garantir a expedição do certificado internacional. Vale a pena destacar que o documento só é emitido nos Centros de Orientação ao Viajante da Anvisa (consulte aqui).

É possível tomar a dose diretamente neles ou se vacinar em um posto comum e depois, com o comprovante da vacinação em mãos, solicitar a documentação em uma das unidades que oferecem a emissão do certificado.

Lista dos países que exigem a vacina contra febre amarela*

De A a E

Afeganistão, África do Sul, Albânia, Angola, Antigua e Barbados, Antilhas Holandesas, Arábia Saudita, Argélia, Aruba, Austrália, Bahamas, Bahrein Bangladesh, Barbados, Belize, Benin, Bolívia, Botsuana, Brunei, Burkina Faso, Burundi, Butão, Cabo Verde, Camarões, Camboja, Cazaquistão, Chade, Chile, China, Colômbia, Coreia do Norte, Costa do Marfim, Costa Rica, Cuba, Djibuti, Dominica, Egito, El Salvador, Equador, Eritreia, Etiópia.

De F a L

Fiji, Filipinas, Gabão, Gâmbia, Gana, Granada, Guadalupe, Guatemala, Guiana, Guiana Francesa, Guiné, Guiné Bissau, Guiné Equatorial, Haiti, Honduras, Ilha do Natal, Ilha Norfolk, Ilhas Salomão, Índia, Indonésia, Irã, Iraque, Jamaica, Jordânia, Kiribati, Laos, Lesoto, Libéria, Líbia, Lituânia.

De M a R

Madagascar, Malásia, Malaui, Maldivas, Mali, Malta, Martinica, Maurício, Mauritânia, Mayotte, Moçambique, Montserrat, Myanmar, Namíbia, Nauru, Nepal, Nicarágua, Níger, Nigéria, Niue, Nova Caledônia, Omã, Panamá, Paquistão, Paraguai, Pitcarin, Polinésia Francesa, Quênia, Quirguistão, Republica Centro Africana, República Democrática do Congo, República do Congo, Reunião, Ruanda.

De S a Z

Samoa, Santa Helena, Santa Lúcia, São Bartolomeu, São Cristóvão e Névis, São Tome e Príncipe, São Vicente e Granadinas, Senegal, Serra Leoa, Seychelles, Singapura, Somália, Sri Lanka, St. Martin, Suazilândia, Sudão, Suriname, Tailândia, Tanzânia, Timor Leste, Togo, Trinidad e Tobago, Tristão da Cunha, Uganda, Venezuela, Vietnã, Wallise Futuna, Zâmbia, Zimbábue.

* Lista atualizada em fevereiro de 2018.

Obs.: A lista pode ser atualizada a qualquer momento a pedido dos países. Antes de viajar, confira no site da Anvisa o status sobre a exigência de vacinas do país de destino.