• Crédito: Divulgação
    Hortênsias em estrada de Gramado
  • Gramado
  • Crédito: Leonid Streliaev/Pref. de Gramado
    Gramado
  • Crédito: Ana Carolina Pacheco/Divulgação
    Igreja de São Pedro

5 DIAS EM GRAMADO E CANELA

CURTA O CHARME EUROPEU E A NATUREZA EXUBERANTE DA SERRA GAÚCHA

1 º dia

Mapa da sua rota

Do centro ao interior de Gramado

– Comece a viagem explorando a essência de Gramado. Muito do seu charme está em caminhar sem pressa pelo centro, namorar as vitrines de roupas e calçados da Avenida Borges de Medeiros e fazer uma selfie em frente à Igreja de São Pedro.

– Depois, coma uns petiscos sentado na mesinha de algum bar ou bistrô da Rua Coberta e, logo ao lado, quase em frente ao Palácio dos Festivais, prove o chocolate quente cremoso da Casa da Velha Bruxa, que serve waffles, tortas, sorvetes e outras delícias feitas com o tradicionalíssimo chocolate caseiro da Prawer há mais de 30 anos.

– Se quiser ir além, opte pela Jardineira das Hortênsias, que dá um geral pela região de duas em duas horas, das 10h às 16h, passando pelos principais cartões-postais da cidade, como o Lago Joaquina Rita Bier e o Lago Negro, que seduz o turista a andar de pedalinho em dias ensolarados.

– Para entender melhor o que levou a Serra Gaúcha a adquirir ares tão europeus – seja na arquitetura, seja na civilidade de seus moradores –, reserve ao menos um período do dia para os passeios de agroturismo que partem da Praça das Etnias rumo ao interior.

– O roteiro Raízes Coloniais leva aos locais que teriam dado origem à cidade, incluindo visitas a uma casa construída pelos primeiros imigrantes há mais de 100 anos, um moinho, uma fábrica artesanal de erva-mate, ao Museu Rural Fiorezza e a uma propriedade típica colonial, onde o visitante é convidado a degustar vinhos, licores, pães, queijos e salames caseiros. Esse passeio é realizado em ônibus de época e dura cerca de meio dia (das 13h às 18h).

– Outra opção é fazer o tour Linha Bella das 9h às 15h, com almoço típico italiano, e bandolar pelo centrinho no final da tarde.

– Se estiver animado, estique o happy hour em alguma casa badalada, como o pub Boteco do Bill, no número 578 da Estrada para Canela (tem música ao vivo a partir das 23h), ou o Bill Bar, na Avenida das Hortênsias, que mistura bar lounge com pista de dança, boliche, mesas de sinuca e muita gente bonita.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
2 º dia

Mapa da sua rota

Bustour e noite italiana

– Há muito o que ver fora do centro nevrálgico de Gramado. Para conhecer o maior número possível de atrações, vale alugar um carro ou comprar um tíquete do Bustour, ônibus de dois andares que passa por mais de 30 pontos turísticos de Gramado e Canela. Com o bilhete de um dia em mãos, você tem liberdade para descer nos cartões-postais de sua preferência, curti-los com calma e seguir o roteiro no próximo ônibus.

– Para os aficionados por velocidade, também vale adquirir o passaporte do Grupo Dreams, que permite ver os modelos esportivos do Super Carros, as carangas do Hollywood Dream Cars e as lendárias motocicletas do Harley Motor Show com um único ingresso, além do Vale dos Dinossauros, em Canela, e do Dreamland, o primeiro museu de cera da América Latina. Com exceção do acervo jurássico, que fica em Canela, todos os demais se enfileiram ao longo da Avenida das Hortênsias, em Gramado.

– Já as crianças que desejam se sentir grandes por um dia podem realizar esse sonho visitando os impecáveis universos em miniatura do Mini Mundo ou do Mundo a Vapor. O Bustour para nos dois parques.

– Os adultos ainda podem curtir o fim de tarde em meio aos jardins floridos do lavandário Le Jardin. A florada ocorre de setembro a novembro.

– Se o clima estiver chuvoso ou com frio intenso, prefira descer do ônibus um ponto antes, no Cristais de Gramado, que recorre à mesma técnica de moldagem manual usada na ilha de Murano, em Veneza (Itália), para criar peças de design único. A cada dez minutos, um mestre artesão mostra como os objetos são feitos a partir do material incandescente.

– Por fim, quando a fome apertar após a maratona de passeios ao longo do dia, reserve-se o direito de mangiare molto bene em uma cantina tipicamente italiana. As opções vão desde o tradicionalíssimo galeto al primo canto do Nonno Mio e da Casa di Paolo, no centro de Gramado, até os vários tipos de polenta do Cantina 28, em Canela, que inclui versões recheadas com bacalhau e gorgonzola.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
3 º dia

Mapa da sua rota

Gramado em família

– Tire o dia para voltar a ser criança. Atrações não faltam para isso em Gramado. A começar pela Aldeia do Papai Noel, no Parque Knorr. Além de servir de residência para o Bom Velhinho, o local abriga renas de verdade, a Fábrica de Brinquedos, o Trenó Voador e um presépio com bonecos eletrônicos. Vá ao mirante ou faça o passeio de monorail (trenzinho suspenso que percorre um trajeto de 10 minutos em meio à bela vista do Vale do Quilombo).

– Depois, siga para o GramadoZoo, que fica a 700 m do pórtico de entrada da cidade. Embora haja zoológicos em outras partes do Brasil, vale visitar este pelo diferencial de os 1.500 animais não ficarem enclausurados em grades de ferro. Há apenas vidros blindados em alguns espaços, enquanto tucanos, papagaios e araras dão rasantes sobre as cabeças dos turistas dentro do viveiro.

– Com o mesmo ingresso do zoo, tem-se acesso livre ao Parque do Gaúcho, que fica logo ao lado, no Km 35 da RS-115. Lá, monitores em trajes típicos explicam as tradições dos pampas, mostram objetos antigos e até ensinam a preparar o chimarrão em uma réplica de vilarejo do século 18. Depois, todos acompanham apresentações de doma de cavalo em uma arena e se esbaldam com o bufê regional do restaurante.

– Se você quer mesmo é ver neve, descarte uma dessas atrações para ter ao menos a tarde inteira livre para curtir o Snowland, o primeiro parque de neve indoor das Américas. Entre as atrações já consagradas estão o castelo de neve Snowplay e uma escola de esqui e snowboard para pessoas de todas as idades. O passaporte permite acesso à montanha de neve, com direito ao aluguel das roupas, 30 minutos de patinação no gelo e a várias atrações, como o cinema 7D, o carrinho de choque no gelo, o simulador de esqui e o airboarding.

– Para manter o clima de Alpes suíços, reserve a noite para experimentar as famigeradas sequências de fondue que tanto fazem a fama de Gramado. As versões mais cobiçadas são as dos restaurantes Le Petit Clos e Belle du Valais.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
4 º dia

Mapa da sua rota

Parques e strudels de Canela

– Depois de cometer todos os pecados da gula nas churrascarias, cantinas e sequências de fondue gramadenses, expurgue-os rodando sete quilômetros até a vizinha Canela, que oferece um farto menu de cenários naturais para a prática de caminhadas, rapel, passeios a cavalo e até rafting em águas estupidamente geladas.

– Para quem gosta de diversão em íntimo contato com a natureza, o Alpen Park é um prato cheio: tem montanha-russa, circuito de arvorismo, cinema 4D, tirolesa, parede de escalada e até um trenó em que o passageiro controla a velocidade do carrinho sobre os trilhos num percurso de 900 m em meio à mata.

– Outros parques completam a diversão, como o da Ferradura – onde o Rio Caí e a Cascata do Arroio Caçador formam um cânion com 420 m de profundidade – e o Ecoparque Sperry, que tem 3 km de trilhas autoguiadas passando por quatro cachoeiras, a maior delas com 45 m, além de um ótimo restaurante para a hora do almoço nos fins de semana.

– Quer mais adrenalina? Então, procure uma agência de turismo local, como a Brocker ou a JM Rafting e Expedições, que o colocam frente a frente com as corredeiras do Rio Paranhana, dentro de um bote inflável, com segurança, equipamentos e a companhia de guias especializados. Entre a primavera e o verão, há percursos noturnos.

– Já os aficionados por rapel podem descer pela Pedra Três Forquilhas ou do mirante do Caracol.

– O maior cartão-postal de Canela, no entanto, é mesmo a Cascata do Caracol, que despenca imponente do alto de um paredão de 131 m. O acesso à base é feito por uma extenuante escada com 730 degraus, mas dá para tirar excelentes fotos do mirante ou do elevador panorâmico, que oferece vista de 360 graus.

– Em 2013 foi inaugurado um bondinho aéreo no parque ao lado, que também explora a belíssima paisagem da queda d’água.

– Antes que o sol se ponha, siga até o Castelinho Caracol, que fica bem pertinho dali, para visitar a casa, de 1910, pertencente à família Franzen, e provar o imperdível apfelstrudel com sorvete de creme, acompanhado de chá de maçã ou chocolate quente. Para muitos, a melhor torta de maçãs de toda a região.

– À noite, participe da Noite Gaúcha na churrascaria Garfo & Bombacha, com direito a shows de danças típicas, música ao vivo e o autêntico churrasco dos pampas com costelão assado na vala.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
5 º dia

Mapa da sua rota

Cultura, bebidas e compras

– Depois de passar a véspera se aventurando pelos parques de Canela, reserve o quinto dia para aproveitar o que a cidade oferece de melhor em cultura e lazer. Mais uma vez, o Bustour pode ser um boa alternativa para quem deseja visitar várias atrações de uma vez sem ter que desembolsar uma pequena fortuna com táxi.

– O ônibus passa por vários cartões-postais canelenses, como a igreja matriz de Nossa Senhora de Lourdes, conhecida como Catedral de Pedra, o Mundo a Vapor e o Museu da Moda, que surpreende o visitante com roupas que registram 4 mil anos de história da moda feminina e as transformações da mulher ao longo dos séculos.

– Na hora do almoço, siga para o centro de Canela, que abriga restaurantes para todos os paladares: tem o alemão Schnitzelstubb, o contemporâneo Bistrô da Lú, o francês Cannelé, o churrasco gaúcho do Puerto Canela Parrilla e, na Vila Suíça, as aclamadas especialidades italianas da Cantina 28.

– Para a sobremesa, não deixe de dar uma passada na Holic Pâtisserie. Formada pelo Instituto Paul Bocuse, em Lyon (França), a chef Amanda Selbach é especialista em doces, sobretudo macarons.

– Depois, bata perna pelas lojas da região. Confira as peças de vidro da Barroco Atelier, a Casa dos Bonecos, o Mundo da Vela… Impossível não fazer umas comprinhas.

– Se você prefere resistir às compras, prefira ocupar a tarde com um passeio que seja a sua cara. Quem gosta de brindar os prazeres etílicos, por exemplo, pode fazer tours guiados pelo Alambique Flor do Vale, pela Cervejaria Farol ou pela Vitivinícola Jolimont.

– Já famílias com crianças curtem a fria caverna do Mundo Gelado e as atrações do parque temático Terra Mágica Florybal, que incluem uma sala de jogos, cinema 7D, um “voo” na tirolesa pterodáctilo e muitos personagens míticos.

– Por fim, encerre a noite no Magnolia Cine Gastro Bar, um restaurante retrô chique inaugurado num lindo casarão da década de 1950, com decoração vintage, espaço kids, bar e um pequeno cinema para projeções de grandes clássicos.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.