• Crédito: Shutterstock.com

    Vista do Burj Khalifa

  • Crédito: Shutterstock.com

    Skyline moderno de Dubai

  • Crédito: Divulgação

    Dubai Antiga

  • Crédito: Shutterstock.com

    The Palm Jumeirah

4 DIAS EM DUBAI


CONHEÇA OS 1001 SUPERLATIVOS DA TERRA DOS XEIQUES

1 º dia +

Mapa da sua rota

Sheikh Zayed Road e arredores

– Tire o primeiro dia para conhecer a moderna Dubai e alguns dos superlativos que a transformaram numa habitué do Guinness Book. Comece subindo ao topo do prédio mais alto do mundo: o Burj Khalifa, com vertiginosos 828 metros de altura. Dá para avistá-lo a 100 km de distância e até fazer piada dos “arranha-céus” de Nova York. O ingresso para subir no elevador mais rápido do planeta e  contemplar o panorama do deck de observação no 124º andar pode ser adquirido antecipadamente https://tickets.atthetop.ae” target=”_blank”>aqui.

– Também é no complexo do Burj Khalifa que está o maior shopping do mundo: o Dubai Mall (www.thedubaimall.com). Shangri-La dos consumidores, ele mais parece uma pequena cidade, com um rinque olímpico de patinação no gelo, parques temáticos cobertos e 1.200 lojas de grife. Mas nenhuma atração desperta tanto interesse quanto o gigantesco Dubai Aquarium & Underwater Zoo, que reúne milhares de animais aquáticos, de 140 espécies, e um imenso túnel de vidro por onde os visitantes circulam cercados de tubarões e arraias. A impressão é de estar submerso no oceano.

– Quer mais? Então, pegue um cilindro de ar-comprimido, snorkel ou escafandro e mergulhe no meio deles. Não é preciso dizer, claro, que este também é o maior aquário do gênero no mundo.

– São tantas atrações que você passará praticamente o dia inteiro no complexo. À noite, vá a um dos restaurantes do Armani Hotel. Cada um deles é especializado em um tipo de comida (italiana, mediterrânea, japonesa, indiana), e quem escolhe as mesinhas do lado de fora ainda tem o privilégio de saborear pratos refinados enquanto contempla de camarote o balé da maior fonte dançante do mundo. A apresentação ocorre todas as noites, a cada meia hora, e dura de três a cinco minutos.

– Também dá para assistir ao espetáculo de cima. Basta subir novamente o Burj Khalifa até o restaurante mais alto do mundo: o At.Mosphere, de cozinha internacional, localizado no 122º andar. Não é nem preciso dizer que o visual de lá é estonteante, principalmente à noite, quando a Península Arábica revela sua faceta mais iluminada.

 

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
2 º dia +

Mapa da sua rota

Jumeirah

– Inicie o dia com um passeio matinal na Jumeirah Open Beach. Sua longa faixa de areia é contornada por um calçadão.

– Embora custe alguns dirhams, também vale visitar a orla do Jumeirah Beach Park, que tem uma excelente estrutura para famílias, incluindo playgrounds, o parque propriamente dito e sorvetes para refrescar o calorão.

– Depois, contemple o perfeito equilíbrio entre arquitetura e espiritualidade na Mesquita de Jumeirah ou visite o Dubai Zoo, que fica pertinho dali.

– Vá ao distrito Dubai Marina e confira a engenhosidade da maior ilha já feita pelo homem no mundo: a The Palm Jumeirah, que tem o formato de uma palmeira.

– Tire fotos em frente ao luxuoso Atlantis The Palm Hotel. Quem gosta de aventuras aéreas e tem dinheiro na carteira também pode sobrevoar o empreendimento em um helicóptero da Alpha Tours e avistar o ambicioso projeto imobiliário que dispôs quase 300 ilhotas artificiais de uma maneira que parecessem formar o mapa-múndi.

– Almoce no restaurante Pierchic, que serve frutos do mar no final de um longo píer sobre o golfo. As melhores mesas ficam nos decks ao ar livre e oferecem vistas deslumbrantes do Burj Al Arab e de Madinat Jumeirah.

– Depois, visite o souk Madinat Jumeirah, um mercado colorido e vibrante, que mais parece uma Disneylândia em versão árabe. Suas lojas têm muitos objetos incomuns e há bastante espaço para renovar as energias e se aliviar do calor.

– Das gôndolas que circulam placidamente pelos canais do complexo, avista-se no céu o Burj Al Arab, único hotel sete estrelas do mundo e cartão-postal por excelência, cujo edifício ostenta o formato de um barco a vela flutuando pelas água do Golfo Pérsico.

– Se você não pretende se hospedar por lá, vale dar uma passadinha ao menos para tomar um coquetel ao som de jazz no SkyView Bar, que fica 200 m acima das ondas, ver as paredes revestidas de ouro 24 quilates e experimentar um jantar romântico no restaurante subaquático – pode acreditar: essa enorme estrutura de 60 andares também desce 45 m abaixo do nível da água.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
3 º dia +

Mapa da sua rota

Deira

– Reserve o dia para explorar a face mais autêntica de Dubai, no bairro de Deira. Comece pela mais reluzente de suas atrações: o Gold Souk, mercado que parece ter sido tocado pelo rei Midas em alguma expedição pelo Oriente. Mais de 20 toneladas de ouro circulam por suas 300 vitrines diariamente, entre brincos de diamante, gigantescos colares indianos de casamento e anéis que fariam qualquer mulher se render a um pedido de noivado.

– Depois que enjoar de ver tantas joias douradas, continue as compras no Spice Souk ou no Perfume Souk. Há mercados, aliás, para todas as preferências de consumo, desde tecidos e perfumes almiscarados (os tradicionais attars) até condimentos exóticos e produtos cobiçados, como o caviar beluga iraniano, tapetes persas, açafrão, antiguidades egípcias, azeite de argan marroquino, cosméticos do Mar Morto, joias beduínas confeccionadas com pedras preciosas, tâmaras de Bateel e as autênticas pashminas de caxemira com fios de ouro.

– Para vivenciar a fundo os aromas, sabores e tradições da cultura muçulmana, aproveite a visita ao Gold Souk para percorrer as ruas da velha Dubai e se surpreender com a visão atemporal dos dhows (veleiro de madeira, tradicional do Golfo).

– Depois, siga para o Centro Cultural de Entendimento Sheikh Mohammed – uma oportunidade única de aprender mais sobre os costumes muçulmanos e se despir dos preconceitos. Os visitantes são recepcionados com um almoço típico, servido sobre tapetes e almofadas, bem à moda árabe, e depois conversam com os anfitriões, que se dispõem a responder qualquer pergunta sobre a religião islâmica, sexo, o papel da mulher na sociedade, terrorismo e outros tabus da maneira mais transparente e natural possível. É a chance de sanar suas dúvidas sem causar qualquer constrangimento.

– À tarde, visite ao menos um dos grandes museus da região. Tem o Al-Ahmadiya School (do outro lado do Creek), o famoso Dubai Museum, que se aprofunda na história e cultura locais, e o Heritage House.

– Fique até o pôr do sol ali, quando você poderá apreciar um café com vista para o desfile de barcos.

– Por fim, cruze o Creek num tradicional abra (barco pequeno, que funciona de táxi aquático) e sinta-se envolto por uma atmosfera que se mantém inalterada há décadas. Várias embarcações oferecem cruzeiros com jantar por este trecho da Velha Dubai.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
4 º dia +

Mapa da sua rota

Esqui e Deserto

– Pela manhã, visite o Mall of the Emirates, que, se perde em tamanho para o concorrente Dubai Mall, ganha por abrigar outra grande façanha da macromania local: o Ski Dubai, maior estação de esqui indoor do mundo. Chega a parecer um sonho a chance de praticar esqui, snowboard, bobsled e rolar pela neve dentro de bolas infláveis, tudo ao mísero -1°C de temperatura, enquanto o calor do deserto castiga os pedestres do lado de fora do shopping.

– Almoce no próprio shopping e, quando o calor do início da tarde der uma trégua, parta para uma excursão pelo deserto. Normalmente, o turista parte do hotel em uma Land Rover Vintage e participa de um jantar típico num acampamento montado no meio da imensidão das dunas, com todo o conforto de um oásis.

– Somam-se a isso várias opções de entretenimento que fazem você se sentir numa autêntica noite das arábias em meio a dançarinas, shows musicais, cartomantes, pinturas de henna, narguilés e toda a atmosfera de um mercado local.

– Várias agências de turismo oferecem excursões do gênero. O harém de possibilidades inclui safári para conferir a vida selvagem na Reserva de Conservação do Deserto de Dubai, passeios de camelo, sandboard e o que mais der na telha. Os preços costumam partir de US$ 80 por um passeio de cinco horas, em veículo 4×4, com jantar.

– Mas se você quer algo mais inusitado e privativo, prefira contratar os serviços da Platinum Heritage, que realiza  desde safáris em áreas exclusivas da reserva ambiental até passeios de bicicleta ou camelo. Quem quer mergulhar mais fundo na alma do deserto também pode solicitar uma aula particular de falcoaria, em um Mercedes G500, com almoço no majestoso Al Maha Resort; um jantar romântico;  passar a noite vendo as estrelas na companhia de um expert em astronomia ou até ter o privilégio de sobrevoar o deserto em um balão de ar quente e, depois, tomar café da manhã na companhia de um beduíno das antigas.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.

Serviços

Restaurantes+

Frevo (http://www.fairmont.com/)

Comandado pelo chef paulista Fernando Lima dentro do hotel Fairmont The Palm, tem shows de pagode ao vivo regados a... caipirinha!? Sim. Embora as bebidas alcoólicas sejam proibidas em todo o emirado, os hotéis funcionam como uma espécie de “zona franca”, onde é possível tomar uma cervejinha em paz.

Armani Hotel (http://dubai.armanihotels.com/)

Cada um de seus restaurantes é especializado em um tipo de comida (italiana, mediterrânea, japonesa, indiana), e quem escolhe as mesinhas do lado de fora ainda tem o privilégio de saborear pratos refinados enquanto contempla de camarote o balé da maior fonte dançante do mundo.

Pierchic (https://www.jumeirah.com/en/hotels-resorts/dubai/madinat-jumeirah/restaurants--bars/pierchic/)

Serve frutos do mar no final de um longo píer sobre o golfo. As melhores mesas ficam nos decks ao ar livre e oferecem vistas deslumbrantes do Burj Al Arab e de Madinat Jumeirah.

Qbara (http://www.qbara.ae/)

Alia música contemporânea e a culinária do Oriente Médio num harmonioso misto de restaurante, lounge & bar. O ambiente é descontraído, geralmente com som ao vivo, e o estabelecimento tem licença do governo para servir drinques alcoólicos. Para os enófilos de plantão, há uma adega com rótulos raros.

Hotéis+

Fairmont The Palm (http://www.booking.com/hotel/ae/fairmont-the-palm.pt-br.html?aid=356980;label=gog235jc-hotel-XX-ae-fairmontNtheNpalm-unspec-br-com-L%3Axb-O%3AwindowsSnt-B%3Achrome-N%3AXX-S%3Abo-U%3AXX;sid=e6b66525375b0d26d62965199a08d4b2;dist=0&sb_price_type=total&type=total&)

É perfeito para famílias, com quartos confortáveis, spa, piscinas de frente para o mar e restaurantes excepcionais.

Fairmont Dubai (http://www.booking.com/hotel/ae/the-fairmont-dubai.pt-br.html)

Tem quartos modernos, ambiente futurista e está bem localizado na Sheikh Zayed Road.

Burj Al Arab (http://www.booking.com/hotel/ae/burj-al-arab.pt-br.html)

É o único sete estrelas do mundo. Uma noite na Suíte Royal sai por cerca de US$ 13,5 mil, mas há outras acomodações mais em conta.

Armani Hotel Dubai (http://www.booking.com/hotel/ae/armani-dubai.pt-br.html)

É o primeiro hotel do mundo exclusivamente desenhado e desenvolvido pelo estilista Giorgio Armani. Funciona dentro do Burj Khalifa, o prédio mais alto do mundo.

Madinat Jumeirah (http://www.booking.com/hotel/ae/al-qasr-madinat-jumeirah.pt-br.html?aid=356980;label=gog235jc-hotel-XX-ae-alNqasrNmadinatNjumeirah-unspec-br-com-L%3Axb-O%3AwindowsSnt-B%3Achrome-N%3AXX-S%3Abo-U%3AXX;sid=e6b66525375b0d26d62965199a08d4b2;dist=0&sb_price_type=total&type=total&)

O complexo reúne três hotéis suntuosos, de arquitetura mourisca, e uma infinidade de atrações.

QUANDO IR+

CLIMA

Os melhores meses para visitar Dubai são março, abril, outubro e novembro, quando as temperaturas ficam mais “amenas”, na casa dos 30°C durante o dia. Já em julho e agosto, os termômetros oscilam entre 40°C e 48°C, fazendo com que moradores e turistas prefiram passar o dia sob o ar-condicionado dos shoppings do que nas belíssimas praias de areia fofa – acredite: o mar fica tão quente que, em vez de se refrescar, você se sentirá um caranguejo cozinhando na água, seja a praia paga ou pública. Também vale verificar a data do Ramadã para evitar viajar neste período, já que a maioria dos restaurantes fecha durante o dia em respeito ao jejum coletivo e vários bares com pista ou música ao vivo mantêm as portas cerradas à noite.

Booking.com