Crédito: Maria Beatriz Vaccar

Templo Zu Lai é uma boa escapada perto de São Paulo

10 de agosto de 2018

Por Maria Beatriz Vaccari

O Templo Zu Lai é o destino perfeito para escapar da agitação de São Paulo por um dia.  A propriedade budista fica em Cotia, a cerca de 50 minutos da capital paulista. Independentemente da sua religião, é impossível não se encantar com as construções e com a organização do local. Fundado pelo Venerável Mestre Hsing Yün, o templo segue os princípios de escola budista chinesa Fo Guang Shan.

LEIA MAIS: Bons lugares para curtir nos arredores de São Paulo
10 DESTINOS PARA SE DESCONECTAR NAS FÉRIAS

Foto: Maria Beatriz Vaccari
img_5039-1

Jardim dos 18 Arhats, na entrada do Templo Zu Lai

Antes de começar o passeio é importante ter algumas coisas em mente. A primeira é que o Templo Zu Lai é um lugar de oração. Por isso, fale baixo e respeite as pessoas que estão rezando e meditando por lá. A organização pede que os visitantes evitem regatas, decotes acentuados e roupas curtas. Também é proibido fazer piqueniques nos espaços e jardins da propriedade.

A primeira atração, logo na entrada, é o Jardim dos 18 Arhats (monges que alcançaram a libertação da existência ilusória neste mundo). Cada um deles é representado por uma estátua. O local não conta com nenhum tipo de identificação que explica a história das figuras, mas dá para conferir tudo no site.

Cheguei por volta das 14h de um sábado e já fui direto para o refeitório – o almoço só rola aos finais de semana e feriados e acaba às 14h30. O restaurante do templo cobra R$ 30 por pessoa (R$ 22 para crianças de dois a oito anos) e é conhecido pelas ótimas opções vegetarianas.  Aparentemente, não era o meu dia de sorte. O bufê tinha pouca variedade, e as únicas comidas que não estavam na situação “fim de festa” eram o arroz e o feijão. Aprendi que chegar cedo é a melhor opção para quem quer almoçar lá dentro. Os atrasados podem comer nos restaurantes da região ou passar no Shopping Granja Vianna, que fica nas redondezas.

O melhor, então, foi me concentrar na contemplação. Definitivamente, a arquitetura dos prédios é um dos fatores que mais chama a atenção. Parece um verdadeiro pedacinho da China no Brasil. Subi a escadaria principal olhando para as belas estátuas que ficam nas pontas. Logo em frente à sala principal de orações, fui recebida por um voluntário que perguntou se eu gostaria de fazer uma oferenda a Buda. Ao responder que sim, recebi um incenso aceso e uma explicação sobre como o ritual funcionava. Conforme fui orientada, posicionai o incenso sobre o abdômen, o peito e a cabeça enquanto agradecia por todas as coisas boas que já aconteceram na minha vida. Terminei a oração, fiz uma reverência e coloquei o palitinho dentro de uma espécie de urna.

Foto: Maria Beatriz Vaccari
img_5050

Templo Zu Lai fica a cerca de 50 minutos de São Paulo

Logo ao lado, dá para pegar uma palavra do Darma. Os conselhos, escritos em pequenos papéis enrolados que ficam em potes, estão disponíveis em português e chinês. Aliás, quase todas as indicações do templo são escritas nos dois idiomas.

Peguei uma canequinha de inox para experimentar o chá verde, que é gratuito para todos os visitantes e, por sinal, uma delicia.  Enquanto tomava, uma criança pendurava um papelzinho em uma árvore pequenininha. Descobri que as pessoas costumam escrever seus pedidos e pendurá-los ali.

Vale a pena andar pelos corredores e observar as salas de meditação e oração. Apesar de estarem fechadas, deu para ver a maioria através das janelas abertas. O altar da sala usada para homenagear as pessoas que partiram é encantador. Ainda dá para fazer uma visita ao pequeno museu, que conta um pouco da história do templo e do budismo. Quem se interessar pode passar na lojinha para comprar livros sobre o assunto e souvenires.

Antes da visita, vale a pena conferir a programação do local, que também oferece cursos de chinês, palestras, retiros, tai chi chuan e kung fu. Aos domingos, é possível realizar sessões de meditação guiadas.

Na hora de ir embora, tirei alguns minutos para admirar tudo que gira em torno do templo. Na parte de baixo, um senhor recolhia os galhos e folhas que estavam caídos no chão. É esse capricho que ajuda a tornar a visita ainda mais especial. Parece que nada está fora do lugar. Fui embora com a mente mais leve. Na saída, alguns saguis fofíssimos correram por perto do carro e já me deixaram com saudades do refúgio budista.

Foto: Maria Beatriz Vaccari
img_5054-1

Local é ideal para relaxar, meditar e se conectar o a natureza

Templo Zu Lai – Serviço

Estrada Fernando Nobre, 1461, Cotia  (SP) – Acesso pelo Km 28,5 da Rodovia Raposo Tavares

Funcionamento: De terça-feira à sexta-feira, das 12h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 9h30 às 17h.

Entrada: gratuita

Estacionamento: gratuito no local