Conheça as sete maravilhas de Portugal

31 de janeiro de 2019

Por Luchelle Furtado

As sete maravilhas de Portugal foram eleitas por mais de 350 mil português em 2007. A campanha tinha como objetivo divulgar o patrimônio cultural e histórico do país, tanto para a população quanto para os turistas.

Siga a cobertura de nossos repórteres por todo o mundo, diariamente, no Instagram @rotadeferias, com direito a belas fotos e stories curiosos.

Na seleção das sete maravilhas de Portugal, é possível se encantar com construções de séculos passados, entre elas belíssimos castelos, palácios, igrejas e mosteiros, que traçam um retrato da arquitetura portuguesa e estão espalhadas pelo país. Cidades como Lisboa, Sintra e Guimarães contam com maravilhas. Confira:

Sete maravilhas de Portugal

  • Construída na margem norte do Rio Tejo, entre 1514 e 1520, com o objetivo de proteger Lisboa de invasores, a Torre de Belém é um dos principais símbolos arquitetônicos do reinado de D. Manuel I.Referência cultural no mundo,foi, em 1993, classificada pela UNESCO como “Patrimônio Cultural de toda a Humanidade”
  • Torre de Belém, Lisboa
  • Outra construção da época de D. Manuel I é o Mosteiro dos Jerónimos. O então rei de Portugal construiu este mosteiro para perpetuar a a memória do Infante D. Henrique e instalar o panteão para a sua dinastia. Para ocupar o lugar, D. Manuel I escolheu os monges da Ordem de São Jerónimo, de modo que eles orassem por ele e também dessem conforto espiritual aos navegadores. O local foi declarado, em 1907, Monumento Nacional, e, em 1983, a UNESCO classificou-o como “Patrimônio de toda a Humanidade”
  • Mosteiro Dos Jerónimos, Lisboa
  • O Palácio da Pena é o segundo ponto mais alto da Serra de Sintra. Localizado na zona oriental do Parque da Pena, é o palácio mais visitado de Portugal e disputa com o Mosteiro dos Jerónimos o título de monumento que mais recebe turistas no país.O Palácio da Pena foi classificado como Monumento Nacional em 1910, e é apontado pela UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade desde 1995. Em 2013 passou a integrar a Rede de Residências Reais Europeias
  • Palácio Nacional Da Pena, Sintra
  • O Mosteiro da Batalha é uma das mais belas obras da arquitetura portuguesa e europeia. Este conjunto arquitetônico resultou do cumprimento de uma promessa feita pelo rei D. João I, em agradecimento pela vitória em Aljubarrota, batalha travada em 14 de agosto de 1385, que lhe assegurou o trono e garantiu a independência de Portugal. As obras prolongaram-se por mais de 150 anos, através de várias fases de construção
  • Mosteiro Da Batalha, Batalha
  • O conjunto monumental do Mosteiro de Alcobaça constitui um dos mais notáveis e bem conservados exemplos da arquitetura e filosofia espacial Cisterciense. Alcobaça foi a última fundação em vida de São Bernardo e o primeiro monumento integralmente gótico do país. Em 1810, as tropas de Napoleão Bonaparte roubaram grande parte da riqueza do mosteiro, e as peças que não foram levadas naquele momento, mais tarde, em 1834, sumiram com a extinção das ordens religiosas em Portugal. Mesmo assim, a Unesco classificou o local como Patrimônio da Humanidade em 1989
  • Mosteiro de Alcobaça, Alcobaça
  • A construção do Castelo de Óbidos é de origem romana, mas foi posteriormente, sob o domínio árabe, que o local se desenvolveu e que a fortaleza foi definitivamente criada. Depois de ser conquistado pelos cristãos em 1148, o local foi várias vezes reparado e ampliado. O castelo sofreu fortes danos com o terramoto de 1755. No século 20, estava em total ruína, mas foi recuperado para abrigar uma primeira das famosas Pousadas de Portugal (que pertencem ao governo e ficam em prédios históricos)
  • Castelo de Óbidos, Óbidos
  • Crédito: Pixabay
    Este monumento encontra-se ligado à fundação do Condado Portucalense e às lutas da independência de Portugal. Foi designado popularmente como berço da nacionalidade. De acordo com a tradição, aqui nasceu o primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques. Ligado a façanhas heroicas do período da fundação do país, serviu ainda ao longo da sua história de palco a vários conflitos reais. Após ficar abandonado, o castelo foi, no século 20, declarado como Monumento Nacional. A partir daí, foram realizadas obras de restauração completas
  • Castelo de Guimarães, Guimarães