Crédito: Rita Barreto - Turismo Bahia

Tecnologia de reconhecimento facial em aeroportos é testada em Salvador

29 29-03:00 dezembro 29-03:00 2020

Por Redação

O Aeroporto de Salvador, na Bahia, é o primeiro do Nordeste e o segundo do país escolhido pelo Governo Federal para testar o projeto-piloto de embarque aéreo com uso de reconhecimento facial. Desde outubro, a tecnologia vem sendo testada no Aeroporto Internacional de Florianópolis (SC).

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

A solução de identificação biométrica, que dispensa o uso de documento de identificação pelo passageiro, vem sendo adotada na capital baiana desde 14 de dezembro. A tecnologia foi desenvolvida pelo Serpro, empresa de inteligência em TI do governo federal, em parceria com o Ministério da Infraestrutura (MInfra). O projeto tem como objetivo tornar mais eficiente o processo de embarque nos aeroportos e mais seguras as viagens aéreas.

Reconhecimento facial em aeroportos

Denominado Embarque +Seguro, o reconhecimento facial em aeroportos está sendo testado em Salvador com passageiros voluntários da companhia aérea GOL, que são convidados a experimentar a tecnologia. No momento do check-in no aeroporto, é feita a validação biométrica do viajante comparando dados e foto tirada na hora com a base do governo e a vinculação ao cartão de embarque.

A partir daí, pra entrar na aeronave, o embarque ocorre por meio de identificação facial por biometria. Assim, não há necessidade de apresentar qualquer documento.

A ideia do projeto é que todos so portadores de CNH e os eleitores que fizeram cadastramento biométrico no TSE possam usufruir das facilidades da validação biométrica para viajar. Ao todo, há 67 milhões de CNHs e 120 milhões de eleitores cadastrados no Brasil.

Novas experiências para o usuário

Além de comprovar a identidade de quem está embarcando, garantindo mais segurança aos passageiros, o reconhecimento facial em aeroportos tem como objetivo reduzir o tempo de espera em filas, já que o processo de check-in e embarque aéreo é realizado em poucos segundos.

O viajante também poderá, futuramente, ter uma experiência de viagem personalizada, sendo avisado por mensagem pelo aplicativo sobre quanto tempo falta para a saída do voo e, ainda, qual a rota mais rápida para chegar até o portão de embarque, por exemplo. Em tempos de pandemia, a tecnologia traz outros benefícios, como reduzir o contato pessoal desde o check-in até o embarque na aeronave.

A tecnologia de reconhecimento facial para a identificação do passageiro e embarque automático nos portões eletrônicos (e-gates) já era oferecida no mercado. O que não existia, até o momento, era um sistema nacional unificado que possibilitasse checar e validar, com rapidez e segurança, a identidade do passageiro a partir do cruzamento com diferentes bases de dados governamentais.

“Com o desenvolvimento da solução, as autoridades de segurança poderão usar inteligência na avaliação de risco antecipada dos viajantes por meio do Sistema Brasileiro de Informações de Passageiros (Sisbraip). Assim, elas passam a ser responsáveis pela checagem das informações dos passageiros, e não mais o funcionário da companhia aérea na hora do embarque na aeronave”, destaca o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

Segurança na validação dos dados

Para realizar os testes, o Serpro desenvolveu um aplicativo que permite o cadastramento da foto do passageiro, que fica vinculada ao seu CPF. A verificação da identificação biométrica é feita por checagem junto ao banco de dados do Denatran (CNH) e do TSE. Em breve, outros bancos governamentais serão usados para ampliar o universo de informações que podem ser validadas para atender a todos os cidadãos. 

“A tecnologia do Embarque +Seguro combina validação biométrica com análise de dados, garantindo uma conferência precisa e segura da identidade do cidadão. A solução tem por premissa a segurança no tratamento e a proteção dos dados pessoais dos passageiros contra uso indevido ou não autorizado, estando alinhada à Lei Geral de Proteção de Dados”, afirma o presidente do Serpro, Gileno Gurjão Barreto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *