Crédito: Visualhunt.com

Quer viajar pelo mundo com preço acessível? Entenda mais sobre o mochilão

4 de dezembro de 2017

Por Thalita Ribeiro

O mochilão é um estilo de viagem que, em geral, tem valor reduzido e é bastante caracterizado por hospedagem em hostels e planejamento independente. Normalmente, quem opta por esse tipo de viagem prefere compartilhar da cultural de outros lugares e pessoas, e também por conhecer espaços fora dos roteiros tradicionais. Geralmente, os mochilões duram 15 dias, mas a quantidade de dias pode variar conforme a necessidade e a disponibilidade dos viajantes.

LEIA MAIS: SAIBA QUAIS SÃO AS CIDADES MAIS BARATAS E CARAS PARA PASSAR FÉRIAS
ESPECIALISTA DÁ DICAS PARA QUEM VAI VIAJAR SOZINHO

Fernando Antunes Moreira, do portal Mochilando, afirma que o mochilão começou a ficar mais conhecido em 2012, com o”boom” do Instagram.”Hoje em dia, o perfil está muito misturado. Há hostels com quartos para casais, solteiros, individuais ou para grupos”, conta.

Moreira explica que as redes sociais contribuíram muito para o planejamento dos mochilões e, para ele, algumas empresas perceberam boas sacadas. “Hoje, as agências que têm esse tipo de viagem vendem uma experiência, mas dificilmente você vai encontrar pacotes caracterizados como mochilão em lojas de shopping, por exemplo”, diz.

A Experimento, agência voltada para viagens de intercâmbio, oferece algumas opções de mochilão e informa que as localidades mais procuradas concentram-se na Europa e Oceania. Moreira, contudo, comenta sobre outros destinos. “A Ásia possui acomodações muito baratas, que chegam a custar US$ 5 a hospedagem, mas os idiomas pode complicar um pouco. Já a América do Sul está bastante em alta, também com custo reduzido se comparado à Europa.”

A CI – Central de Intercâmbio é outra opção para quem quer viajar para estudar ou trabalhar. A agência também tem pacotes no perfil do mochilão e ressalta comportamentos importantes durante a viagem. “É importante ter a mente aberta para todas as oportunidades de fazer fazer amigos e estar disposto a cair no mundo”, explica  Cíntia Gabriel, gerente de turismo da agência.

Moreira complementa a recomendação e explica que, quem procura por novas experiência, precisa estar ciente de que vai conhecer outras culturais, que não necessariamente serão similares às suas. “É importante não julgar e, principalmente, ter bom senso”, destaca.

Recomendações
Como o próprio nome diz, quem opta por esse tipo de viagem vai, na maioria das vezes, carregar a própria bagagem em uma mochila. Os entrevistados do setor ouvidos pelo Rota de Férias concordam que menos é mais: entre roupas e acessórios, os mochileiros devem levar apenas o essencial.

Outra dica dada pela Experimento é pesquisar previamente sobre o destino escolhido. O profissional do Mochilando.com.br concorda, e ressalta também a questão da segurança e dos imprevistos.”O mochileiro precisa ser maleável. Na maioria das vezes, quem opta por esse tipo de viagem não se incomoda tanto quando algo dá errado. Entende que todas as experiências compõem a vivida no local.”

Tanto a CI como a Experimento informaram que o público que mais as procura para mochilão são jovens, na idade a partir dos 18 anos, até a casa dos 30. Moreira já pensa um pouco diferente. “O perfil está muito misturado e as viagens estão mais acessíveis, tanto do ponto de vista do preço como da informação e faixa etária”, completa.