Crédito: Visual hunt

Os países mais baratos para fazer um mochilão pela Europa

25 de julho de 2018

Por Redação

Por ser um continente encantador, muitas pessoas têm o desejo de realizar um mochilão pela Europa. Afinal, esse é o jeito mais barato de conhecer diversos países de uma vez e experimentar um pouco da cultura de cada um deles.

Ir de um país a outro, por exemplo, se torna muito mais fácil graças às distâncias mais curtas e às viagens de trem. Além disso, hostels e residências familiares estão sempre à disposição dos visitantes, de forma que você pode gastar pouco também com a hospedagem.

Cidades como Londres ou Paris costumam estar entre os primeiros nomes que vêm à mente quando se fala em Europa, mas o fato é que elas são um pouco mais caras que as demais. Contudo, existem muitos outros países recheados de atrações e que podem custar menos da metade do preço.

O sistema de fidelidade Multiplus separou alguns dos países mais baratos da Europa na hora de viajar. Confira abaixo algumas opções.

Mochilão pela Europa: Polônia

Os países do leste europeu são conhecidos não apenas por sua beleza e pelas inúmeras atrações que oferecem, mas também pelo fato de ter um custo de vida muito mais baixo, o que os torna ideias para a visita dos brasileiros.

A primeira parada pode ser na Polônia. Na capital Varsóvia é possível encontrar hotéis e hostels com diárias entre R$ 100 e R$ 150, de acordo com o site TripAdvisor.

E o melhor de tudo é que o país não se limita a Varsóvia. Maior cidade do leste polonês, Lublin está a 154 km de distância da capital. É possível chegar até lá de trem ou até mesmo usando aplicativos de caronas, gastando cerca de R$ 30. Outra opção é ir de ônibus, por menos de R$ 40.

Com mais R$ 50 você pode chegar a Cracóvia, outra conhecida cidade polonesa. São cerca de cinco horas de viagem de trem. De lá, é possível seguir para outro país do mochilão, como a Eslováquia.

Mochilão pela Europa: Eslováquia

O trajeto de ônibus entre a Cracóvia e a cidade de Kosice, uma das maiores da Eslováquia, dura cerca de cinco horas. A passagem custa aproximadamente R$ 45. Por lá é. dá para encontrar museus e edificações com bela arquitetura.

Além disso, o país agrada os amantes das cervejas e dos vinhos, pois há uma ampla variedade a um custo baixo. Uma diária em hotel pode custar entre R$ 100 e R$ 130, segundo o TripAdvisor. Já a média de gasto diário fica entre os R$ 100 e R$ 130.

Por pouco mais de R$ 70 você é possível pegar um trem até Bratislava, capital da Eslováquia. Um ou dois dias por lá são suficientes para conhecer os principais pontos turísticos, como a Praça Hlavné Namestie e a Fonte de Rolando, de 1572.

Outros dois destinos podem ser visitados por meio dos ônibus que saem de Bratislava. Viena, na Áustria, a uma hora e meia de distância (R$ 15) ou Budapeste, na Hungria, a duas horas de viagem (R$ 40).

Mochilão pela Europa: Hungria

A Hungria foi a escolhida por ser um dos países mais baratos da Europa. A capital Budapeste é uma cidade encantadora, com boas opções gastronômicas, museus, bares e os tradicionais banhos termais.

Os hotéis são baratos. A diária média fica entre R$ 90 e R$ 120. Os custos com alimentação e demais despesas também não passam dos R$ 100 diários por pessoa.

LEIA MAIS: O QUE FAZER EM BUDAPESTE: ROTEIRO DE 2 DIAS
BRASILEIROS VÃO PRECISAR DE AUTORIZAÇÃO PARA VISITAR A EUROPA A PARTIR DE 2021

Quem optar pela Áustria, por sua vez, precisa ter em mente que os hotéis por lá são mais caros. As diárias ficam entre R$ 150 e R$ 180. O custo de vida também é um pouco mais alto. Porém, vale a visita. Uma alternativa é pernoitar em Bratislava e ir e voltar no mesmo dia.

Pesquise com antecedência

Uma vez que você tenha escolhido os destinos e saiba as datas, acesse o site das principais atrações que pretende visitar. É comum que nos museus da Europa ofereçam entrada gratuita em pelo menos um dia da semana. Isso sem contar os que aceitam apenas colaborações espontâneas.

Por fim, pesquise em sites de viagem sobre os “free walking tours”. São tours pela cidade, guiados por voluntários, cujo valor é uma contribuição espontânea e que pode permitir a você conhecer ainda mais das cidades sem precisar gastar muito.