Crédito: Divulgação

Saiba o que fazer na Suíça durante o verão

30 de março de 2018

Por Leo Alves

Embora seja conhecida pela neve de seus invernos, há o que fazer na Suíça também durante o verão europeu. Para ajudar os turistas a se programarem para a estação, o Switzerland Tourism selecionou algumas experiências.

O foco são as rotas de bicicleta pelas belezas naturais do país. Elas vão desde singelas pedaladas nas ciclovias das cidades suíças, a percursos radicais de mountain bike nos Alpes. A iniciativa também propõe uma viagem pelos conceitos gastronômicos dos restaurantes de Zurique. Além disso, sugere passeios charmosos, aulas e degustações de queijos e chocolates. Diversos tipos de vinho também podem ser apreciados.

O que fazer na Suíça no verão

Duas rodas

Além dos 12 mil quilômetros de ciclovias sinalizadas, na Suíça os ciclistas encontram uma diversidade cultural e cênica. Há percursos que podem ser feitos na cidade, nas estradas, passando por colinas suaves e pelos dramáticos passes alpinos. Estes têm 17 pontos acima de 2 mil metros de altitude.

Divulgação
Bike Gruppe auf einem Trail bei Sonnenuntergangsstimmung
Passeios de bicicleta são algumas das opções para curtir o verão suíço

Há trajetos nas montanhas e que rendem tanto descidas emocionantes por trilhas nos Alpes como percursos moderados pelos pré-Alpes e ao redor de lagos cintilantes. Não importa se o viajante quer apenas uma pedalada descontraída ou um desafio épico. Na Suíça há diversas rotas sinalizadas.

Além disso há hotéis que oferecem o melhor serviço para o ciclista e sua bicicleta, inclusive com lugares para guardá-la, limpeza de artigos esportivos e pessoal preparado para dar informações sobre as rotas. Esses meios de hospedagem podem ser pesquisados no site oficial.

Gastronomia de Zurique

Zurique é a porta de entrada para os encantos do país, especialmente para quem chega de avião. Metrópole dinâmica, a cidade ainda exibe conceitos únicos de restaurantes e ideias gastronômicas inovadoras. Um exemplo é o primeiro “restaurante no escuro” do mundo. O Blindekuh abriu as portas em 1999 e, desde então, foi mundialmente replicado.

Na região de Zurich-West, o Frau Gerolds Garten fica entre edifícios de escritórios modernos e fábricas antigas. Um oásis urbano onde, no verão, um restaurante ao ar livre divide espaço com um jardim, lojas e arte. Ali perto, os arcos de um viaduto histórico foram transformados em lojas e mais restaurantes. Um exemplo é o Viadukt, com um cardápio de pegada leve e saudável.

Divulgação
Zurique conta com diversas atrações para os turistas |Divulgação
Zurique conta com diversas atrações para os turistas

A cidade pode ser uma boa opção para vegetarianos e veganos. Nela fica o restaurante vegetariano mais antigo do mundo. O HausHiltl, de 1898, tem pratos que passeiam pelos sabores do mundo todo. Quem quiser aprender mais, há até aulas de culinária.

Chocolates famosos

A passagem pela cidade não fica completa sem uma degustação dos deliciosos chocolates suíços. É preciso provar também a hüppen, biscoito recheado de creme de chocolate e especialidade local.

LEIA MAIS: LUGARES PARA CURTIR A NATUREZA NA SUÍÇA
O QUE FAZER DURANTE 3 DIAS EM ZERMATT

Um bom passeio é visitar a fábrica da Lindt, onde um maître chocolatier mostra como saborear o chocolate com os cinco sentidos. Ou, então, fazer algum dos muitos tours que Zurique dedica a essa doce iguaria.

Riviera suíça

Montreux e Lausanne, às margens do Lago Genebra, estão entre as cidades suíças mais famosas. E saborosas.

Montreux abriga o badalado Festival de Jazz. Todos os anos, em julho, faz ferver a cidade, e é de lá que parte o Trem do Chocolate (de maio a outubro) e o Trem do Queijo (de janeiro a março). O primeiro visita Gruyères, terra do laticínio homônimo, e a fábrica da Cailler-Nestlé, em Broc, com direito à degustação de chocolates.

Divulgação
Mountreux também é uma das opções |Divulgação
Mountreux também é uma das opções

Já o Trem do Queijo leva a Château-d’Oex, onde os participantes aprendem como o leite é processado em queijo. Em seguida, saboreiam uma fondue orgânica servida em um restaurante local. A região de Lavaux é repleta de vinhedos, que são considerados Patrimônio Mundial da Unesco.

Uvas e vinhos

Distribuídos em uma superfície de 800 hectares em forma de terraços, os parreirais podem ser vislumbrados em um tour a bordo do Trem do Vinhedo. Ele parte da estação de Chexbres-Village e faz paradas ao longo do caminho. Os participantes percorrem uma trilha educativa, que conta a história dos vinhedos e especifica as variedades de uvas cultivadas ali.

Há também a oportunidade de provar os preciosos vinhos locais no Vinorama, um centro de degustação bem em meio à plantação de uvas.

Iate em Lucerna

No verão, Lucerna, às margens do lago homônimo, oferece um passeio a bordo do moderno iate MS Saphir. Com características únicas com o teto reversível no convés superior, terraço aquático no convés principal e mobiliário customizado, a embarcação proporciona uma experiência de luxo.

Há até um audioguia informativo, disponível em português e em mais dez línguas. Com isso é possível saber todas as informações sobre as principais atrações da Baía de Lucerna à medida que elas se revelam.

Divulgação
Lucerna tem passeios de iates e festivais de música durante o verão |Divulgação
Lucerna tem passeios de iates e festivais de música durante o verão

Mesmo sendo verão, é possível desfrutar da neve. Acessada pelo teleférico Ice Flyer, a Titlis Cliff Walk é uma cênica e estreita ponte suspensa construída no alto da montanha Titlis. Ela se estende por cem metros a 3.041 metros de altitude e a 500 metros do chão, na qual o visitante precisará de nervos tão fortes quanto os cabos de aço que sustentam a estrutura.

A travessia começa em um túnel subterrâneo escavado na formação rochosa e desemboca na ponte. Ela termina em uma plataforma de observação com uma parede de vidro e descortina um visual estonteante dos Alpes.

Pedaladas na região de Berna

Tanto quanto o leite, o encanto da paisagem montanhosa e as histórias que envolvem a fabricação do queijo caracterizado por ser cheio de buracos também são ingredientes importantes para a produção do verdadeiro emental, que teve origem na região de Berna.

No vilarejo de Affoltern, vale visitar o Emmental Show Dairy, que mostra o processo de feiúra do queijo tanto da maneira artesanal como por métodos mais modernos. O espaço reúne dois restaurantes que servem especialidades regionais. Há também lojas, que vendem de souvenires a doces, além do emental.

Divulgação
Em Berna, os queijos fazem sucesso |Divulgação
Em Berna, os queijos fazem sucesso

Fábrica de biscoitos

Outra experiência culinária no Vale do Emental é realizada na fábrica da centenária Kambly, a marca de biscoitos mais popular da Suíça, situada em Trubschachen. Ao todo são mais de cem variações de biscoitos. Ali crianças e adultos participam de oficinas comandadas pelos mestres confeiteiros da empresa e ajudam a assar e decorar bolachinhas e pretzels.

Para descobrir a vizinhança de maneira ativa, aposte nas bicicletas elétricas (e-bikes). Elas são alugadas em pontos como Berna. A cidade inaugura a partir de maio de 2018 seu sistema público de compartilhamento de bicicletas, o PubliBike.

O que fazer na Suíça: eventos

A partir de abril haverá exibições de arte, feiras, festivais, atividades gastronômicas e muito mais na Suíça. A 21ª edição do show de rock SnowpenAir, por exemplo, ocorre em 7 de abril, em KleineScheidegg, tendo a escocesa Amy Macdonald como a atração principal. Já os amantes da literatura têm a chance de participar do 23º Festival Internacional de Literatura, em Leukerbad, de 29 de junho a 1º de julho.

Aqueles que apreciam um bom uísque podem provar variedades da bebida de todo o mundo durante os dois dias do Jungfrau Whisky Festival, em Intelaken, em 4 e 5 de maio. Já as crianças fazem a festa no Festikids Openair, em Fribourg, em 11 de junho.