Crédito: Divulgação

O navio de cruzeiro mais tecnológico do mundo

29 de novembro de 2017

Por Paulo Basso Jr.

A mensagem chegou pelo sistema de alerta do aplicativo instalado em meu smartphone: em 30 minutos, seria servido o jantar no restaurante Silk, de especialidade pan-asiática – uma das minhas favoritas. Dava tempo, portanto, de passar no Bionic Bar, ativar o iPad por meio da minha pulseira de identificação do cruzeiro, fazer o pedido e esperar que os robôs, com seus ágeis braços mecânicos, preparassem e me servissem um drinque antes da refeição.

LEIA MAIS NAVIOS ADOTAM REALIDADE VIRTUAL, APLICATIVO E RECONHECIMENTO FACIAL
POR DENTRO DO MAIOR NAVIO DO MUNDO

Precisava daquilo para relaxar. Não que os robôs fizessem o meu tipo. O lance é que eu havia acabado de encarar um simulador de paraquedismo durante o cruzeiro e, depois do jantar, queria estar revigorado para assistir a um show que tinha como destaque principal a presença de seis telões móveis de alta definição. A vida a bordo do Quantum of the Seas, navio da armadora Royal Caribbean, passa longe da ficção científica. É real e abre novos horizontes à experiência de realizar um cruzeiro.

Paulo Basso Jr.

Bionic Mar no navio de cruzeiro Quantum of the Seas

Com o status de embarcação turística mais tecnológica do mundo, o navio, com capacidade para 4.905 hóspedes, chama a atenção antes mesmo de você entrar nele. Isso porque, depois que o cruzeiro é adquirido, um e-mail é enviado ao passageiro com o link de acesso a uma página de check in. Nela você preenche um cadastro simples, faz upload de sua foto de identificação, registra o cartão de crédito e recebe um voucher digital com o número de sua cabine. Uma vez no porto de embarque, basta mostrar o registro a um dos funcionários da Royal Caribbean, responder meia dúzia de perguntas e, em menos de dez minutos, embarcar.

Para aproveitar os benefícios tecnológicos que o Quantum of the Seas oferece em sua plenitude, entretanto, é preciso ter internet a bordo (embora dê tranquilamente para curtir a viagem desconectado) durante o cruzeiro. A boa notícia é que um sistema moderno de antenas alimentadas por satélites garante wi-fi de alta velocidade em quase todo o navio (há falhas em algumas cabines), mesmo em alto-mar. A má é que é preciso pagar por ele. O pacote básico, com acesso a e-mail, mídias sociais e navegação sai a partir de US$ 20 por hora e US$ 65 por dia. Já na categoria de velocidade Premium, que permite postagem de fotos, navegação e streaming de vídeo, os valores vão de US$ 25 por hora a US$ 76 por dia.

Independentemente do pacote escolhido, fica a dica: antes mesmo de viajar, baixe em seu smartphone o aplicativo Royal iQ. Por meio dele você gerencia toda as atividades durante o cruzeiro, criando um calendário com reservas de restaurantes, shows, excursões em terra e tratamentos no spa.

Divulgação

Royal IQ, app do navio de cruzeiro Quantum of the Seas

O Royal iQ – que também está disponível em totens espalhados pelo navio, caso você queira fazer as reservas de última hora –permite acompanhar o trajeto de suas bagagens da entrega no porto até a cabine. Isso porque as malas recebem uma etiqueta que pode ser rastreada por radiofrequência.

Essa mesma tecnologia está presente nas pulseiras que cada hóspede encontra em sua cabine. Ao usá-las, você executa diversos serviços básicos ao longo do cruzeiro, como abrir a porta da acomodação, fazer compras, adquirir fichas no cassino, entrar e sair de portos de escala, solicitar um drinque no Bionic Bar ou fazer reservas nos totens espalhados pelo transatlântico.

Cruzeiro gastronômico

Com 168.666 toneladas (o equivalente a 8.500 caminhões de porte médio), 348 metros de comprimento (pouco mais que três Maracanãs), 41 metros de largura (semelhante à da Av. Paulista, em São Paulo) e 18 deques (16 para passageiros) por onde se distribuem 2.090 cabines muito bem decoradas, a maioria delas externas com varanda (as internas são equipadas com varandas virtuais, nas quais telas exibem imagens reais dos arredores do navio), o Quantum of the Seas é um gigante dos mares que, como não poderia deixar de ser, oferece muito mais do que alta tecnologia a bordo.

Divulgação

A Royal Promenade é o coração do navio de cruzeiro Quantum of the Seas

Entre as inovações “físicas”, chama a atenção o fato de que, ao contrário dos navios clássicos de cruzeiros, ele não tem um restaurante principal, no qual você janta em horário marcado e sempre na mesma mesa, acompanhado das mesmas pessoas. Em vez disso, há cinco endereços inclusos no pacote, o que passa a sensação de que você está em uma viagem em terra na qual, a cada noite, pode escolher um lugar diferente para jantar.

Em ambientes despojados ou formais, de acordo com o seu gosto, os menus abordam desde culinária internacional até especialidades norte-americanas, mediterrâneas e pan-asiáticas (é o caso do Silk, que eu escolhi). Dá para fazer as reservas pelo aplicativo ou mesmo chegar na caruda no restaurante que quiser e sentar-se para comer – nesse caso, correndo o risco de encarar uma filinha.

Divulgação

Mesa do restaurante Silk – navio de cruzeiro Quantum of the Seas

Fora as cinco casas principais, há mais 13 opções gastronômicas a bordo, sem contar os bares. Alguns restaurantes cobram apenas uma taxa de desperdício e permitem comer à vontade, como a lanchonete Johnny Rockets, que fica à beira de uma piscina e faz a festa da criançada. Outros, como o Wonderland, que serve comida molecular e tem ambiente inspirado em Alice no País das Maravilhas – para se ter uma ideia, é preciso passar um pincel em um cardápio em branco para que o menu apareça –, têm custo extra de US$ 45. E há ainda os à la carte, como o Jamie’s Italian, que serve pratos italianos rústicos e saborosos idealizados pelo chef inglês Jamie Oliver.

Na Royal Promenade, a tradicional rua que faz as vezes dos clássicos átrios nos navios da Royal Caribbean, há ainda opções de refeições rápidas, como a pizzaria Sorrento e o aprazível Michael’s Genuine Pub, o primeiro gastropub de um navio. Ali é possível provar os ótimos quitutes criados pelo chef Michael Schwartz acompanhados de vinho da casa ou cervejas norte-americanas de excelente nível.

Paulo Basso Jr.

Cardápio “mágico do restaurante Wonderland – navio de cruzeiro Quantum of the Seas

Entre uma refeição e outra, é irresistível caminhar pelos arredores da Royal Promenade, que fica no quarto deque e estende sua atmosfera por parte dos terceiro (onde fica o cassino) e quinto (palco do Bionic Bar) andares. Esse pedaço concentra também muitas lojinhas de marcas famosas, como Cartier, Michael Kors e Bvlgari. Isso sem contar a decoração pontuada por quadros com telas interativas que viram alvo constante das máquinas fotográficas. Mas é bom saber que a diversão para valer rola mais para cima, nos últimos deques do navio.

Paraquedas e carrinho de bate-bate

Com tantas opções culinárias e vitrines tentadoras para torrar dólares, o passageiro do Quantum of the Seas tem a sorte de encontrar um leque farto de atividades gratuitas para fazer exercícios e relaxar a bordo. E isso significa ir além do fitness center (que, por sinal, é muito bem equipado), do spa e das pistas de caminhada que quase todos os grandes transatlânticos têm. No 15º deque do navio há um espaço chamado SeaPlex, onde é possível brincar em carrinhos de bate-bate, patinar e fazer aulas de circo com trapézio.

Paulo Basso Jr.

Pista de carrinho de bate-bate do navio de cruzeiro Quantum of the Seas

Colorida e agitada, a área é circundada por outros ambientes que fazem os olhos de baixinhos e marmanjos brilharem. Eu mesmo passei um bom tempo na sala de fliperama e numa salinha equipada com TVs enormes e Xbox conectados à internet.

Do lado de fora, onde uma escultura de um urso pink enorme guarda a porta do SeaPlex, estão as escadas que levam ao 14º andar, onde ficam as piscinas e jacuzzis. Há para todos os gostos: ao tempo, cobertas, integradas a um lindo solarium e até mesmo uma infantil, colorida e com tema da animação Madagascar. Todas elas são aquecidas ou climatizadas.

A piscina descoberta é o lugar perfeito para observar a North Star em movimento. Trata-se de uma cápsula de vidro, semelhante a um bondinho, que é elevada a quase 100 metros acima do nível do mar por um braço mecânico. Dentro dela, é incrível a sensação de ver o navio se movimentando como se você o estivesse sobrevoando. As filas são longas, mas vale a pena encarar.

Divulgação

North Star, no navio de cruzeiro Quantum of the Seas

O mesmo pode ser dito do iFLY by Ripcord, simulador de paraquedas que fica no 16º deque, na popa do navio, ao lado do FlowRider, uma pequena piscina com ondas em que é possível surfar. Antes de sair voando por aí é preciso assistir a um vídeo para aprender os procedimentos básicos. Depois, é só abrir os braços e se deliciar com muito vento na cara. E o que é melhor: em alto-mar.

 De Mamma Mia a Bon Jovi

Só fica parado quem quer nas noites de cruzeiro a bordo do Quantum of the Seas. Para quem curte uma jogatina, o cassino surpreende pelo tamanho. Os fãs de shows, por sua vez, têm opções de sobra para vivenciar uma experiência distinta a cada noite.

Divulgação

O tecnológico Two70, no navio de cruzeiro Quantum of the Seas

No espaço Two70, batizado dessa forma por oferecer uma vista de 270º para o mar através da parede envidraçada que vai do chão ao teto e se expande por quase três deques de altura na popa do navio, rolam diversos espetáculos depois que o sol se manda. O mais esperado, chamado Starwater, traz interpretações e danças de vários estilos de músicas modernas estilizadas. Seriam um pouco entediante se as Roboscreens, seis telas de quase dois metros de altura comandadas por robôs em movimento, não roubassem a cena.

Enquanto isso, no belíssimo teatro situado no quarto deque rola uma apresentação completa do musical Mamma Mia!, um dos maiores sucessos da Broadway. São 2h30 de show com direito a Dancing Queen e muitos outros hits da banda ABBA. Difícil quem não sai dançando de lá.

Divulgação

Musical Mamma Mia! – navio de cruzeiro Quantum of the Seas

No maior estilo saideira, a turma do fecha-nunca ainda pode esticar a noite no Music Hall, onde rolam apresentação covers que vão de Bruce Springsteen a um animadíssimo Bon Jovi. E é assim, entre dinossauros do rock e muita tecnologia, que o Quantum of the Seas une o clássico ao futurista para propor ao hóspede uma nova visão sobre viagens em navios.

Cruzeiros e valores

O Quantum of the Seas usa como base a cidade de Xangai, na China. Dali realiza diversos cruzeiros pelo país e também por outros países da Ásia, como o Japão. Pacotes de quatro noites em cabine interna, com passagem por dois portos, partem de R$ 734 por pessoa (sem aéreo).

LEIA MAIS CONHEÇA OS NAVIOS DE CRUZEIRO QUE CHEGAM AO BRASIL NA TEMPORADA 2017-2018
NAVIO COSTA LUMINOSA SERÁ ADAPTADO PARA ATENDER BRASILEIROS NA EUROPA

Mas você não precisa se programar para ir até a Ásia para fazer uma nos mesmos moldes das oferecidas pelo transatlântico. Isso porque há um navio-gêmeo, o Anthem of the Seas, com as mesmas atrações tecnológicas, que realiza cruzeiros pelo Caribe. Mais informações no site da Royal Caribbean.

Atualização de matéria publicada originalmente na revista Viaje Mais, parceira do Rota de Férias.