Crédito: genielutz por Pixabay

Parque no Ceará inaugura maior tirolesa dupla do Norte e Nordeste

20 de setembro de 2019

Por Beatriz Ceschim

O iPark, a 30km de Fortaleza, no Ceará, abriga a maior tirolesa dupla do Norte e Nordeste. Aberta desde julho, a atração garante ao visitante muita aventura e adrenalina em seus 850 metros de extensão. Com altura de até 35 metros, o equipamento chega a uma velocidade máxima de 80 km/h.

LEIA MAIS: 9 parques nacionais para conhecer no Brasil
O que fazer no Espírito Santo: conheça o Parque de Itaúnas

Maior tirolesa dupla do Norte e Nordeste

A nova atração se junta às outras dezenas já oferecidas pelo iPark e distribuídas ao longo de 173 hectares. Dividido em três grandes áreas, o complexo é ideal para quem busca interação com a natureza e lazer ao ar livre, em atividades para todas as idades.

As crianças se divertem com aquaball, arvorismo, high jump, banho de piscina natural e passeios de pônei. Já os adultos se aventuram com wakeboard, caiaque, stand up paddle, tirolesa, bicicleta, paint alvo e muito mais.

Os maiores de 18 anos também poderão conhecer o Big Tonel, o maior tonel de madeira do mundo, registrado no Guinness Book. Ele tem oito metros de altura e capacidade para armazenar 374 mil litros de cachaça.  Além de degustar a bebida, os interessados podem realizar um tour que revisita a história da produção do destilado no Ceará.

Os visitantes também poderão aproveitar a gastronomia local. O Restaurante Regional traz pratos tradicionais, como escondidinho de carne de sol, macaxeira frita, carneiro cozido, porco assado e peixes. Outra opção é a Tapiocaria do Zé Leite, que oferece cuscuz de milho e queijo coalho com mel de cana, além da tradicional tapioca.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

Parques nacionais para conhecer

  • Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (Goiás) - Criado em 1961, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é uma excelente opção para quem gosta de fazer trilhas, rapel ou escaladas. A entrada do parque já foi gratuita, mas agora está sendo cobrada, o que é importante para a manutenção do espaço
  • Crédito: Pixabay
    Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (Goiás) - As atrações mais famosas são a Cachoeira Almecegas, que tem acesso por dentro da Pousada Fazenda São Bento, o Vale da Lua, conjunto de formações rochosas cavadas nas pedras pelas corredeiras de águas transparentes do rio São Miguel, a Catarata dos Couros e o Mirante da Janela, uma das vistas mais lindas da Chapada dos Veadeiros
  • Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (Goiás) - No mesmo dia, é possível conhecer duas cachoeiras com 80 e 120 metros de altura. Há diversas trilhas com cachoeiras escondidas, além de ser um local com um misticismo em relação a extraterrestres muito interessante. Para conhecer grande parte da região, um roteiro de 4 a 6 dias é o suficiente
  • Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (Maranhão) - Os Lençóis Maranhenses são atrativos muito explorados pela beleza única. A alta temporada de visita é entre junho e setembro quando as lagoas ficam mais cheias
  • Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (Maranhão) - Na região é possível praticar stand up paddle, fazer passeios de lancha e caminhadas extensa para apreciar a beleza local
  • Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (Maranhão) - O parque maranhense está inserido no Cerrado, mas conta com características da Caatinga e da Amazônia
  • Parque Nacional de Itatiaia (Rio de Janeiro) - Primeiro parque nacional a ser criado, Itatiaia é ideal para fazer trilhas, montanhismo e escalaminhadas. Todo caracterizado por montanhas e elevações rochosas, com altitude variando de 600 a 2.791 metros, no seu ponto culminante (o Pico das Agulhas Negras, o quinto mais alto do Brasil)
  • Parque Nacional de Itatiaia (Rio de Janeiro) - Há também a parte baixa do parque, com vegetação exuberante e cachoeiras próprias para banho. A região não exige tanto preparo físico
  • Parque Nacional de Itatiaia (Rio de Janeiro) - Por ser uma região serrana, é frequente o frio na região, chegando até a gear durante a noite
  • Parque Nacional do Caparaó (Minas Gerais) - É nesse parque que fica o Pico da Bandeira, terceira montanha mais alta do Brasil, com 2.892 metros, e o Pico do Cristal, sexta mais alta, com 2.769 metros
  • Parque Nacional do Caparaó (Minas Gerais) - A chegada ao cume é considerada difícil e requer bom preparo físico
  • Parque Nacional do Caparaó (Minas Gerais) - Uma oportunidade é fazer as caminhadas noturnas para assistir ao nascer do sol no pico
  • Crédito: Pixabay
    Parque Nacional da Chapada Diamantina (Bahia) - Um destino com grutas, montanhas e cachoeiras, a Chapada Diamantina também guarda um lado místico e bem interessante da época do garimpo
  • Parque Nacional da Chapada Diamantina (Bahia) - Com cidades pequenas, acolhedoras e cheias de histórias pra contar, o parque conta com opções de trilha, mergulho, rapel e outras atividades
  • Parque Nacional da Chapada Diamantina (Bahia) - A Cachoeira da Fumaça e o Morro dos Três Irmãos são as atrações mais conhecidas. Para quem tem pique, uma boa opção é fazer a trilha com Vale do Pati, que dura três dias
  • Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha (Pernambuco) - Um dos parques mais preservados do Brasil. A taxa para brasileiros é de R$ 106 para entrar no Parque Nacional Marinho, onde ficam as principais praias, e R$ 73,52 de taxa estadual por dia de estadia
  • Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha (Pernambuco) - A necessidade do pagamento é garantir de alguma forma a integridade do parque, que conta com fauna e flora preservadas
  • Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha (Pernambuco) - Lá, além das praias belíssimas, vale a pena apostar na prática de mergulho e snorkel, além de trilhas
  • Parque Nacional Marinho dos Abrolhos (Bahia) - Um destino de tirar o fôlego, Abrolhos representa um marco para a conservação marinha do Brasil
  • Crédito: sufw on Visualhunt / CC BY-SA
    Parque Nacional Marinho dos Abrolhos (Bahia) - O Arquipélago causou curiosidade a Charles Darwin, que o visitou em 1832, em razão de sua diversidade marinha
  • Parque Nacional Marinho dos Abrolhos (Bahia) - Hoje, para entrar no parque nacional é preciso pegar uma taxa de R$45 por pessoa. Entre as atividades, o viajante encontra mergulho livre, mergulho autônomo, observação de aves e trilhas. Nos meses de julho a novembro é possível realizar observação de Baleias Jubarte, que deixam as águas geladas do Polo Sul para se reproduzirem na costa brasileira
  • Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Rio de Janeiro) - Esse parque na Região Serrana do Rio é um palco cheio para os aventureiros. Ele ocupa quatro municípios do estado: Petrópolis, Teresópolis, Guapimirim e Magé
  • Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Rio de Janeiro) - A melhor época para a prática de montanhismo no parque é durante o inverno. Uma das atrações é o Pico do Dedo de Deus, com 1693 metros de altitude e um dos símbolos do Rio de Janeiro
  • Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Rio de Janeiro) - No parque existem mais de 130 vias de escalada (a maioria com acesso gratuito). Um dos mais famosos é a Agulha do Diabo, que já foi eleita uma das quinze melhores escaladas em rocha do mundo. Além disso, a famosa Travessia Petrópolis-Teresópolis chama a atenção de trilheiros, que atravessam todo o parque contemplando belas paisagens
  • Crédito: Visualhunt.com
    Parque Nacional do Iguaçu (Paraná) - No parque das Cataratas além do ingresso de R$28 por pessoa para brasileiro, o viajante pode optar por pacotes que incluem transporte
  • Parque Nacional do Iguaçu (Paraná) - O local é Patrimônio Natural da Humanidade e uma das Novas Sete Maravilhas da Natureza
  • Parque Nacional do Iguaçu (Paraná) - É possível observar uma das quedas d'águas mais bonitas do planeta