Crédito: Maria Beatriz Vaccari

França: 5 vilarejos incríveis para conhecer na Provence

22 de maio de 2020

Por Maria Beatriz Vaccari

Conhecida pelos campos de lavanda, a região da Provence, no Sul da França, é o sonho de muitos viajantes. O local abriga uma série de vilarejos medievais charmosos e ideais para quem quer conhecer mais sobre a história da região e, de quebra, tirar ótimas fotos. Na galeria, o Rota de Férias reuniu cinco destinos que não pode faltar no roteiro. Confira:

  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    O vilarejo de Gordes é um dos mais bonitos do pedaço. Vale a pena fazer uma visita sem pressa, com tempo de sobra para explorar as ruas estreitas e seus encantos
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    Vilarejo de Gordes visto de longe
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    O viajante que passeia por Gordes é surpreendido a cada esquina com cenários charmosos e perfeitos para fotos
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    A cidade tem um castelo e se destaca por conta de suas construções mais claras, que criam um visual lindo
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    A parte alta da aldeia é a mais explorada pelos turistas. Entretanto, vale a pena descer até as áreas mais baixas, que abrigam belos cenários
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    No topo de uma montanha, Les Baux-de-Provence é um vilarejo medieval pequeno, com cerca de 22 moradores
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    Ali, o legal é explorar as ruas de pedra e conhecer os comércios locais
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    Muitos deles vendem ramos e produtos feitos com lavanda
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    A cidade abriga as ruinas de um castelo, que pode ser visitado. É possível ir até o topo em algumas partes, que oferecem vistas panorâmicas da região
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    Vista do castelo de Les Baux-de-Provence
  • Crédito: Foto: Maria Beatriz Vaccari
    Vale destacar que a pedra Bauxita tem esse nome porque foi descoberta em Les Baux-de-Provence
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    Saint-Rémy-de-Provence é outro vilarejo que merece a visita
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    A arquitetura das construções é um dos principais atrativos da cidade
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    Os charmosos cafés e restaurantes dão um clima ainda mais legal ao destino
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    Estátua de Van Gogh no hospital psiquiátrico Saint Paul de Mausole, em Saint-Rémy-de-Provence
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    O artista holandês viveu no local por um ano, após cortar parte de sua orelha. Na foto, o jardim do prédio
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    O vilarejo de Roussillon é bem diferente dos outros cenários da Provence
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    O local tem uma cor avermelhada graças ao ocre, mineral muito presente na região
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    Entretanto, alguns moradores preferem atribuir a coloração a uma lenda trágica. Segundo a história, uma mulher casada se apaixonou por um jovem cavaleiro. O marido dela descobriu o romance, matou seu concorrente e serviu seus restos mortais no jantar. Depois de comer, a moça descobriu tudo e se jogou do castelo, pois não aguentava viver sem seu amado. Por conta disso, seu sangue se espalhou por toda a cidade, deixando-a com uma aparência avermelhada
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    Roussillon conta com uma série de comércios e restaurantes interessantes
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    As construções são pintadas com ocre e é possível notar diferentes variações de tonalidade
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    As ruas do vilarejo abrigam cenários altamente instagramáveis
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    Oppède é uma espécie de cidade fantasma, já que conta com muitas ruínas e pouquíssimos moradores
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    Extremamente pacato, o vilarejo é muito integrado com a natureza
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    Vale a pena se aventurar nos caminhos que levam até a parque mais alta da cidade, mas é preciso estar com calçados confortáveis, já que o caminho é bastante irregular
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari
    O local conta com poucos comércios, mas é possível comer em um restaurante