Crédito: Divulgação

Favelados Pelo Mundo: se inspire nos roteiros do casal Thamyra e Marcelo

29 de janeiro de 2020

Por Luchelle Furtado

Juntos há cinco anos, Thamyra Thâmara e o Marcelo Magano partilham nas redes sociais, o perfil  Favelados Pelo Mundo, que mostra suas viagens culturais, sustentáveis e inspiradoras. Com o objetivo de incentivar jovens de periferia a realizarem roteiros para fora do Brasil, o casal mostra que é possível fazer as malas sem gastar muito.

O Rota de Férias conversou com Thamyra para saber um pouco mais sobre o projeto, confira na entrevista:

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

Divulgação
Thamyra e Marcelo já visitaram mais de 16 países juntos | Divulgação
Thamyra e Marcelo já visitaram mais de 16 países juntos

Conheça o Favelados Pelo Mundo

Rota de Férias: Quando tudo começou e você percebeu que era possível viajar sem gastar muito?

Thamyra Thâmara (@faveladospelomundo): A primeira viagem que fiz para fora do Brasil foi quando eu tinha 19 anos – atualmente Thamyra está com 31 anos – e juntamente com dois amigos fizemos um roteiro pela América Latina, passando por Chile, Peru, Bolívia e Argentina. Com isso, me tornei a primeira pessoa da minha família a viajar fora do País. Na época, não pensava que isso seria possível e a minha mãe achou a maior loucura o que nós três íamos fazer. Eu fazia estágio, enquanto ainda estava na faculdade de jornalismo, e ganhava uns R$ 700 por mês. Fui juntando dinheiro por um ano e quando fomos viajar estávamos com R$ 3 mil reais para passar um mês. Então, desde que fiz essa viagem percebi que tinha muita gente que ia viajar e ficava em albergue, em hostel, que cozinhava a própria comida e ia para várias lugares fora dessa ideia de que para viajar é preciso ter muita grana, ficar em hotel caro, etc. Com isso, fui mordida pelo “bicho da viagem” e depois disso fui sozinha para Nova York, viajei de novo pela América Latina e não parei mais.

LEIA MAIS: OS PAÍSES MAIS BARATOS PARA FAZER UM MOCHILÃO PELA EUROPA
QUER VIAJAR PELO MUNDO COM PREÇO ACESSÍVEL? ENTENDA MAIS SOBRE O MOCHILÃO

RF: Quem teve a ideia de criar o “Favelados pelo Mundo”?

TT: Quando eu e o Marcelo nos conhecemos, ele já gostava de viajar, apesar de, na época, não ter tido a oportunidade de ir para fora do País. Mas ele passeava dentro do Brasil. Então, a gente compartilhou esse desejo de viajar e organizamos nossa primeira viagem juntos, que foi para Colômbia. Aí ele teve a ideia de fazer esse programa e de compartilhar a nossa organização de viagem e as nossas ideias. Com isso, a gente iria viver uma aventura sendo Favelados Pelo Mundo.

RF: Qual o objetivo do Favelados pelo Mundo?

TT: O objetivo do projeto foi compartilhar com outros jovens, com uma origem muito parecida com a nossa. O pessoal de favela, de periferia, de subúrbio e jovens negros. Tudo isso, mostrando que não existe só a viagem de luxo. A gente fez isso porque viajar deveria ser um direito de todos, já que isso é lazer. Porque assim você aprende muito sobre outras culturas, sobre empatia, geografia e história. Então, a ideia era mostrar que isso era uma coisa possível para pessoas como a gente.

RF: Como vocês procuram conversar com o público? O retorno que vocês têm é positivo?

TT: O que a gente pretende com o nosso público é inspirar outros jovens a organizar o seu primeiro mochilão e incentivá-los a fazer uma viagem que não tem muito essa ideia do consumismo de que para viajar é preciso comprar muita roupa e muita coisa. A ideia é mostrar viagens imersivas onde você não vai comer no McDonald’s e sim conhecer aquele lugar, com o olhar de quem mora ali e da cultura local. A gente chama isso de uma viagem mais sustentável. Isso porque, ela vai ser mais positiva para o lugar que você vai, já que você vai deixar algo ali e vai movimentar a cultura local. E também para você, já que vai fazer uma viagem que ajuda a desconstruir estereótipos pelo mundo. A gente quer mostrar que isso é possível.

Divulgação
O casal busca incentivar outros jovens, como eles, a viajarem | Divulgação
O casal busca incentivar outros jovens, como eles, a viajarem

RF: Como são essas viagens imersivas?

TT: Quando as pessoas vão para o Rio de Janeiro, elas não necessariamente vão para uma favela, sendo que elas poderiam ir sim fazer turismo naquele lugar e desconstruir esse estereótipo de que ali é um lugar super perigoso. Por exemplo, estávamos agora em Soweto, que é uma das maiores favelas da África. Lá é super cultural, tem muitas festas e galerias de arte. A gente tem o desejo de mostrar o turismo nesses países, principalmente as comunidades, com um olhar mais empático e cultural.

RF: Quem produz o conteúdo?

TT: Os programas de vídeo, geralmente, quem apresenta é o Marcelo, e eu fico mais na parte de blog. Os textos do Instagram, as entrevistas com as pessoas e as histórias são as partes que eu mais faço. Além disso, eu que cuido da parte de organizar a viagem e pensar no lugar para onde vamos. E o Marcelo fica mais com a parte de vídeo com uma pegada de humor, de fazer piada e de entrevistar as pessoas no estilo de entretenimento.

RF: Quais equipamentos vocês usam para postar fotos e vídeos?

TT: Em uma viagem que fizemos para São Tomé e Príncipe, na África, fizemos um vídeo bem elaborado com drone com uma equipe que conhecemos na Angola e também são produtores audiovisuais e produziram para a gente. Mas, basicamente, fazemos as coisas mais sozinhos mesmo, com um iPhone 7 e uma GoPro.

RF: Como foram as experiências de vocês ao longo dessas viagens?

TT: Já visitamos 16 países e temos gostado muito do continente africano. Nós fomos para São Tomé e Príncipe, que é uma ilha, para Angola e agora África do Sul. Esse ano a gente pretende ir para a Nigéria, Senegal e Gana. Nós já passamos muitos perrengues. Na Angola, a gente já andou em ônibus bem caóticos. Também ficamos com dor de barriga e tivemos que, literalmente, ir no meio do mato, bem em uma fossa. No México, tivemos intoxicação alimentar, mas no final deu tudo certo. A gente tem muita história legal, muitas pessoas maneiras que a gente encontra no caminho, e que fazemos amizade. Costumamos dizer que em toda viagem a gente encontra um anjo.

Divulgação
O casal ama o continente africano e pretende visitar mais países ainda esse ano | Divulgação
O casal ama o continente africano e pretende visitar mais países ainda esse ano

RF: Hoje vocês conseguem viver do blog e das redes sociais ou ainda trabalham com outras coisas?

TT: A gente vive, no meu caso, como jornalista, e, no caso do Marcelo, como roteirista e comediante. Não vivemos ainda do blog e acho que isso ainda é bem difícil, porque apesar da gente ter 10 mil seguidores no Instagram, ainda assim não é tanta coisa para conseguir vários patrocínios. Então, o Favelados Pelo Mundo é um hobbie que inspira outras pessoas.

RF: O que vocês acham da função de impulsionamento de posts do Facebook? E quanto à opção (não indicada) de comprar seguidores no Instagram?

TT: A gente usava muito mais o Facebook quando ele tinha um alcance muito maior e não precisava impulsionar. Hoje em dia a gente o abandonou um pouco e estamos usando muito mais o Instagram. Mas não fazemos questão de comprar seguidores, porque acreditamos que se produzirmos um conteúdo interessante, as pessoas vão gostar e se interessar organicamente, sem precisar comprar ninguém.

RF: Quais dicas você daria para quem deseja se tornar um social media influencer de turismo?

TT: Nós estamos ainda muito no início, estamos apenas engatinhando, mas a minha dica é que as pessoas produzam um conteúdo que elas acreditem, porque, a partir daí, as pessoas vão se interessar. Se elas conseguirem autenticidade e verdade, vai dar certo.

52 lugares para ir em 2020

Anualmente, os jornalistas do The New York Times fazem uma lista de lugares para viajar. Confira, na galeria, as opções de 2020.

  • Crédito: Pixabay
    1 - Washington, EUA
  • Crédito: Pixabay
    2 - Ilhas Virgens Britânicas
  • 3 - Rurrenabaque, Bolívia
  • 4 - Groenlândia
  • Crédito: Pixabay
    5 - Kimberley, Austrália
  • 6 - El Paso de Robles, EUA
  • Crédito: Pixabay
    7 - Sicília, Itália
  • Crédito: Pixabay
    8 - Salzburgo, Áustria
  • Crédito: Pixabay
    9 - Tóquio, Japão
  • Crédito: Pixabay
    10 - Cesaréia, Israel
  • Crédito: Pixabay
    11 - Parques Nacionais, China
  • Crédito: Pixabay
    12 - Lesoto
  • 13 - Colorado Springs, EUA
  • Crédito: Pixabay
    14 - Cracóvia, Polônia
  • Crédito: Pixabay
    15 - Jodhpur, Índia
  • Crédito: Pixabay
    16 - Suécia Ocidental
  • Crédito: Pixabay
    17 - Egito
  • Crédito: Pixabay
    18 - La Paz, México
  • Crédito: Pixabay
    19 - Grand Isle, EUA
  • Crédito: Pixabay
    20 - Kuala Lumpur, Malásia
  • 21 - Jevnaker, Noruega
  • Crédito: Pixabay
    22 - Bahamas
  • 23 - Kampot, Camboja
  • Crédito: Pixabay
    24 - Christchurch, Nova Zelândia
  • Crédito: Pixabay
    25 - Astúrias, Espanha
  • 26 - Haida Gwaii, Colúmbia Britânica
  • Crédito: Pixabay
    27 - Austin, EUA
  • Crédito: Pixabay
    28 - Sabah, Malásia
  • Crédito: Pixabay
    29 - Churchill, Manitoba
  • Crédito: Pixabay
    30 - Uganda
  • Crédito: Pixabay
    31 - Paris, França
  • Crédito: Pixabay
    32 - Lake District, Inglaterra
  • Crédito: Pixabay
    33 - Tajiquistão
  • 34 - Antakya, Turquia
  • Crédito: Pixabay
    35 - Leipzig, Alemanha
  • Crédito: Pixabay
    36 - Lima, Peru
  • 37 - Molise, Itália
  • Crédito: Pixabay
    38 - Copenhague, Dinamarca
  • Crédito: Pixabay
    39 - Richmond, EUA
  • Crédito: Pixabay
    40 - Monte Quênia
  • 41 - Menorca, Espanha
  • 42 - Oberammergau, Alemanha
  • Crédito: Pixabay
    43 - Plymouth, Inglaterra
  • Crédito: Pixabay
    44 - Mata Atlântica, Brasil
  • Crédito: Pixabay
    45 - Belle-Île, França
  • Crédito: Pixabay
    46 - Val d'Aran, Espanha
  • Crédito: Pixabay
    47 - Mongólia
  • 48 - Trilha Juliana, Eslovênia
  • Crédito: Ninara on Visual Hunt / CC BY
    49 - Addis Abeba, Etiópia
  • Crédito: Pixabay
    50 - Alpes da Transilvânia, Romênia
  • Crédito: Pixabay
    51 - Urbino, Itália
  • Crédito: Pixabay
    52 - Parque Nacional Glacier, EUA