Crédito: Pixabay

As melhores estações de neve para se programar para um viagem no futuro

18 de agosto de 2020

Por Redação

O inverno no Hemisfério Sul chegou, em 2020, em plena pandemia do novo coronavírus, o que frustrou os planos de férias de muita gente. Destinos típicos da estação, como Argentina e Chile, estabeleceram diversas restrições de entrada em seus territórios e nas estações de esquis.

Para quem gosta de neve, a melhor opção no momento é se programar para viagens no ano que vem. Ou então, caso já seja possível, arriscar-se montanha abaixo nos principais resorts de inverno do Hemisfério Norte entre novembro deste ano e março de 2021.

Confira as principais estações de neve espalhadas pelo mundo.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

Estações de neve

Portillo

Portillo é uma das estações de esqui mais antigas e famosas do Chile. Fica a cerca de 160 km de Santiago e contempla um vistoso hotel a 2.280 metros acima do nível do mar, em plena Cordilheira dos Andes. Além de contar com piscinas aquecidas ao ar livre, o local dá acesso a diversas atrações naturais, como a Laguna del Inca.

LEIA MAIS: VALLE NEVADO, NO CHILE, É O DESTINO PERFEITO PARA UM CASAMENTO NA NEVE
4 DESTINOS PARA CURTIR A NEVE NOS ESTADOS UNIDOS

Termas de Chillán

Localizada ao sul do Chile, Termas de Chillán é uma das estações de inverno mais charmosas do país e do mundo. Piscinas termais de água aquecida podem ser curtidas tanto ao ar livre, rodeadas pela neve, quanto em uma área coberta que pode ser acessada pelos hóspedes dos resorts da região – há três, no total.

Eventualmente, há passeio de helicóptero por cima do vulcão Chillán, que vive soltando uma fumacinha preta e emoldura a paisagem da região.

Valle Nevado

A apenas 46 km de Santiago, Valle Nevado é o maior centro de esportes de neve do Hemisfério Sul. A estação de neve mais famosa do Chile é formado por um complexo de hotéis e pistas de esqui com características específicas para principiantes, intermediários, avançados e experts no esporte.

Bariloche

A argentina San Carlos de Bariloche está situada na Patagônia, na fronteira com o Chile. Seus restaurantes e baladas atraem o público jovem, mas o local também é muito procurado por quem gosta de fazer caminhadas e praticar esqui nas montanhas próximas.

Com arquitetura no estilo alpino suíço, a cidade convida a degustar o chocolate local, que é muito apreciado. Há também boas cervejarias artesanais por lá.

Innsbruck

Situada no oeste da Áustria, a capital do Tirol já sediou, por três vezes, os Jogos Olímpicos de Inverno. A ótima neve local para os fãs de esqui contribuiu muito para isso.

Com temperatura média anual é de 9ºC, Innsbruck conta com diversas pistas e uma enorme rampa de salto. Também vale passear pela cidade, conhecer seus mercados de Natal e experimentar a culinária típica da região.

Chamonix

Perto da fronteira com Suíça e Itália, a charmosa cidade turística francesa de Chamonix está localizada ao pé do Mont Blanc, cuja parte mais alta tem 4.810 metros.

Para chegar a um dos seus mais conhecidos pontos turísticos locais, a Aiguille du Midi, situada a 3.842 metros de altitude, é preciso “pegar” dois teleféricos. A vista compensa a viagem.

Tromsø

A cidade mais famosa do norte da Noruega está a cerca de 350 km do Círculo Polar Ártico. De lá, é possível observar a aurora Boreal. Mas é bom considerar que, de meados de novembro a janeiro, quando o fenômeno acontece, os dias são curtos na região. Já no verão, o sol da meia-noite é uma atração. Conhecer o local é uma experiência e tanto.

São Petersburgo

Fundada em 1703 por Pedro, o Grande, São Petersburgo foi capital do Império Russo por dois séculos. A temperatura média de -5ºC durante o inverno faz com que o Rio Neva e seus canais fiquem completamente congelados.

É uma cidade belíssima, com construções deslumbrantes – o Museu Hermitage, por exemplo, ocupa o palácio que foi construído para os czares.

O local continua sendo um importante centro cultural russo, abrigando o Teatro Mariinski, com ópera e balé, e o Museu Russo, que expõe a arte do país, desde pinturas de ícones ortodoxos até obras de Kandinsky.

As melhores estações de esqui do Hemisfério Norte

O inverno no Hemisfério Norte começa em dezembro e termina no final de março. Muitos viajantes aproveitam a estação mais fria do ano para curtir todo o glamour de estações de esqui como Aspen, nos Estados Unidos, e Courchevel, na França. Recheados de atrações, os complexos são boas pedidas para quem já pratica ou sonha em praticar esportes de neve. Confira aqui.

  • As melhores estações de esqui do Hemisfério Norte - A cidade de Aspen, que fica na região do Colorado, nos EUA, atrai turistas do mundo inteiro. Suas montanhas, estrutura e clima são ideais para os amantes dos esportes de neve
  • Também nos Estados Unidos, Park City já serviu de palco para os Jogos Olímpicos de Inverno de Salt Lake City, em 2002
  • O Ski Resort Vail é o local com a maior área de esqui dos Estados Unidos. De quebra, ainda dá para admirar paisagens de tirar o fôlego
  • Quem vai à Trysil, na Noruega, pode esquiar em diferentes tipos de pistas. Também dá para fazer trilhas, praticar rafting e andar a bordo de trenós puxados por cães
  • Crédito: Divulgação
    A francesa Courchevel é uma das estações de esqui mais glamourosas do mundo. Além da estrutura para esportes de inverno, o local tem programações exclusivas, hotéis luxuosos e muitas lojas de grife
  • A lindíssima Chamonix, na França, serviu de sede para as Olimpíadas de Inverno de 1924. Além de ser ótima para quem curte neve, a região é um espetáculo quando o assunto é beleza natural
  • Crédito: Shutterstock.com
    Whistler é a estação de esqui mais famosa do Canadá. O local serviu de sede para algumas provas das Olimpíadas de Inverno de Vancouver, em 2010
  • Val Thorens, na França, já foi eleita a melhor estação de esqui do mundo diversas vezes pelo World Sky Awards. O local também é o resort mais alto da Europa – fica a 2.300 metros do nível do mar
  • Crédito: Divulgação
    Duas vezes palco dos Jogos Olímpicos de Inverno, Innsbruck é uma ótima pedida para quem quer radicalizar na Áustria
  • Crédito: PFNKIS via VisualHunt / CC BY
    Kitzbühel, na Áustria, é um vilarejo cheio de história. Depois de passear pela bela cidadezinha, os visitantes podem curtir os teleféricos e praticar esportes de neve
  • Selva di Val Gardena, na Itália, é a opção ideal para quem quer curtir uma estação de esqui sem muvuca. Além dos esportes, dá para relaxar em spas, comer muito bem e até andar de trenó
  • Aos pés do Monte Cervino, a italiana Cervinia permite que os visitantes pratiquem modalidades de inverno em todas as épocas do ano
  • Localizada na ragião de Piemonte, na Itália, Sestrière conta com uma infraestrutura de primeira. A iluminação das montanhas, por exemplo, é tão boa que dá para esquiar até de noite
  • Crédito: Divulgação
    São Moritz, na Suíça, é referência entre os principais destinos de inverno. No total, dá para se aventurar em mais de 300 quilômetros de pistas de esqui
  • O vilarejo de Zermatt, na Suíça, é puro charme. Dá para passar dias passeando pelas ruazinhas, conhecendo lojas e restaurantes badalados e, claro, esquiando
  • Com clima cosmopolitano, Verbier, na Suíça, é lar de algumas das pistas de esqui e snowboard mais radicias de Europa
  • Palco de eventos internacionais e competições importantes, Garmisch-Partenkirchen é a região perfeita para curtir a neve na Alemanha em alto estilo
  • Crédito: Divulgação
    Černá Hora é a maior estação de esqui da República Checa. O local conta com pistas que oferecem diferentes níveis de dificuldade