Crédito: Divulgação

Entrevista: Betina Neves fala sobre sites de turismo

7 de novembro de 2016

Por Maria Beatriz Vaccari

Apaixonadas por viagens, Betina Neves e Anna Laura Wolff criaram o blog de turismo Carpe Mundi. O site não demorou para fazer sucesso com um layout bonito e conteúdos bacanas, com destaque para as dicas do Sudeste Asiático. A grande sacada das meninas foi produzir matérias, listas e notas que fogem do convencional e sempre trazem algo inédito. De quebra, as duas jornalistas também se destacam pelo bom gosto das fotografias publicadas, que bombam no site e nas redes sociais, como Facebook e Instagram. Conversamos com Betina, que já passou pelas redações das revistas Viagem e Turismo e Viaje Mais, para saber como funciona a administração e produção de conteúdo de um blog de  turismo. Talentosa e descolada, a profissional deu dicas sobre como produzir fotos e vídeos, conquistar o público e monetizar uma página. Ah, e claro, como realizar o sonho de viver de viajar. Dá só uma olhada:

Rota de Férias: Quando você começou a trabalhar com jornalismo de turismo?

Betina Neves: Tudo começou em 2010. Foi meio por acaso. Entrei em um estágio de jornalismo na área e me encantei.

RF: Qual é o objetivo do Carpe Mundi?

BN: Usamos o blog para tentar passar nossa visão do que é viajar saindo do clichê. Criamos roteiros urbanos, exploramos a cena gastronômica de diversos destinos e tentamos sair do óbvio. Também falamos sobre como planejar uma viagem por conta própria. O site completou um ano em outubro.

Foto: Divulgação
img_4197

Betina Neves tem 64,6 mil seguidores no Instagram. Sua sócia, Anna Laura, já conquistou mais de 86 mil fãs

RF: Quando e por que vocês decidiram investir nas redes sociais?

BN: Quando eu ainda trabalhava na Viagem e Turismo, já pensava em começar um Instagram. Acho até que entrei tarde na rede social. É uma mídia que dá muito retorno e é ótima para mostrar viagens. O Facebook é mais interessante para divulgar postagens.

RF: Conta para gente quais são as dicas para se dar bem no Instagram?

BN: A grande pegada do Instagram é a interação. O ideal é postar as fotos em horários que dão mais retorno, curtir outras páginas e comentar. Vale a pena manter um fluxo de postagem, criar uma identidade e não fugir do tema. Se o seu perfil é focado em turismo, não poste fotos que não estejam relacionadas a esse assunto. Mostre o que as pessoas querem ver. Acredito que o diferencial do nosso Instagram é a qualidade das fotos, produzidas com bastante carinho e cuidado.

RF: Fale mais sobre os macetes que vocês usam para bombar no Instagram.

BN: Normalmente postamos todos os dias às 18h, que é o horário que o pessoal sai do trabalho. A gente usava bastante hashtag no começo, mas paramos, pois percebemos que não fazia muita diferença.

RF: Você disso que um dos fatores que chama a atenção no perfil do Instagram é a qualidade das imagem. Quais equipamentos vocês usam para realizar fotos e vídeos?

BN: Para fotos, eu uso uma Canon 7D e a Anna uma Nikon D610. Procuramos sempre usar tripé. Já os vídeos nós costumamos fazer com uma GoPro.

RF: E na hora da edição? Quais programas vocês usam?

BN: Para vídeos usamos o Adobe Premier. Editamos as fotos do Instagram e do blog no Photoshop e no aplicativo VSCO Cam. Na minha opinião, esse último é o melhor software de filtros disponível no mercado.

Foto: Divulgação
dsc_1039

Jornalista acredita que ainda há muito espaço no mercado de blogs de turismo

RF: Audiência vocês têm de sobra. São mais de 64,6 mil seguidores no seu Instragram pessoal e 86,4 mil no da Anna. Com tantos fãs, vocês conseguem ganhar dinheiro com o site e, consequentemente, viajando?

BN: Estamos no processo de começar a ganhar dinheiro com o Carpe Mundi. Ainda não dá para viver só com os lucros dele, mas nosso objetivo é mudar isso. Investimos em publieditoriais e mencionamos marcas nos posts. Também trabalhamos com links comissionados, sobretudo do Booking.com.

RF: Depois de todos esses anos trabalhando com turismo, você já esteve em diversas partes do mundo. Qual foi o lugar que mais te encantou?

BN: Amei uma viagem que fiz pelo Sudeste Asiático. É um lugar incrível, que vale a pena conhecer.

 

RF: Para encerrar, deixe algumas dicas para quem pretende entrar no mundo dos blogs de turismo.

BN: Primeiramente é preciso saber escrever, já que isso é um problema bem recorrente de quem se aventura na área. Depois, a pessoa precisa ter certeza que é disso que ela quer viver. O mercado tem muito espaço para gente nova, mas é necessário saber inovar e arranjar um diferencial.

LEIA MAIS: TURISMO DE LUXO: KARINA SELL DÁ DICAS PARA BOMBAR COM BLOGS DE VIAGEM

LEIA MAIS: CONHEÇA OS BASTIDORES DO BLOG VIAJANDO COM GABI