Crédito: Divulgação

Orlando: 33 dicas para se dar bem nos parques

5 de março de 2018

Por Paulo Basso Jr.

Orlando é a cereja do bolo para os brasileiros que vão à Flórida, nos Estados Unidos. Tudo por causa dos complexos da Disney World, da Universal e do SeaWorld Parks & Entertainment, que reúnem mais de uma dezena de parques temáticos.

Paulo Basso Jr.

Volcano Bay, parque aquático da Universal

Fora isso, a cidade oferece uma série de atrações turísticas, entre elas uma penca de outlets com preços arrebatadores, restaurantes e hotéis temáticos. Por isso, é preciso planejar bem uma viagem até Orlando.

LEIA MAIS: DISNEY DREAM: DICAS SOBRE O NAVIO DE CRUZEIROS DA DISNEY
COMO CONSEGUIR CUPONS DE DESCONTO PARA OUTLETS DE ORLANDO

Ganhando tempo nos complexos de lazer, fica mais fácil fazer o dia render e aproveitar tudo. Confira 33 dicas essenciais para se dar bem nos parques temáticos.

Orlando: dicas

  1. Compre ingressos antecipados

    Divulgação

    Epcot, na Disney World

    Antes de sair do Brasil, vale a pena comprar os ingressos para todos os parques e eventos que você pretende visitar em Orlando. É possível fazer isso pela internet nos sites dos complexos de diversão, ou então via uma operadora de turismo. Além de garantir o bilhete com antecedência, você evitará filas e ganhará tempo na hora de entrar e brincar nos parques.

  2. Roteiro em Orlando

    Legoland: boa para crianças: Divulgação

    Trace roteiros de acordo com a sua situação e os seus interesses. Se estiver em família e com crianças pequenas, por exemplo, explore mais as atrações infantis e shows de parques como Magic Kingdom, Animal Kingdom, Hollywood Studios, SeaWorld e Legoland (sem contar parques aquáticos como o Volcano Bay, caso esteja calor). Os mais crescidinhos, por sua vez, costumam se divertir mais nos parques da Universal e no Busch Gardens. Sem contar as atrações esportivas e oportunidades de compras fora dos parques.

  3. Como fazer as malas

    Paulo Basso Jr.

    Atração do Popeye, na Islands of Adventure: tem brinquedo que molha para valer

    Opte por não levar malas ou mochilas pesadas para os parques, pois você andará bastante. Cada parque tem sua regra em relação a comidas vindas de fora, e todas as bagagens são revistadas. Caso queira entrar em uma atração que molha, vale a pena levar uma troca de roupa, chinelo e toalha. Não se esqueça de um documento oficial com foto e de um pouco de dinheiro, cartão de débito ou cartão de crédito internacional. Outros itens importantes são chapéu, protetor solar e labial.

  4. Aluguel de carro

    Alugue um carro com localizador via satélite caso não tenha acesso à internet pelo celular. Isso porque alguns parques, sobretudo os da Disney World, ficam longe da zona mais turística de Orlando, concentrada nas imediações da avenida International Drive. Nem é preciso saber o endereço: basta digitar no GPS o nome do centro de lazer para chegar com facilidade ao local desejado. Caso prefira usar o GPS do celular, uma boa dica para ter internet é comprar um chip pré-pago que funcione no exterior. Evite pegar táxis, pois eles são caros na região.

  5. Estacionamentos dos parques

    Paulo Basso Jr.

    Sinalização em estacionamento do Animal Kingdom

    Marque bem o lugar onde deixará o carro nos estacionamentos dos parques temáticos, pois eles são enormes e, sem os dados corretos, não é fácil encontrar o veículo. A maior parte dos centros de lazer é dividida em áreas com nomes divertidos, como Jurrasic Park, Goofy (Pateta) e Minnie, e acompanha um número. Anote as informações e guarde-as com atenção. Guarde o recibo caso queira sair e voltar ao parque no mesmo dia, pois assim não é preciso pagar de novo. No Discovery Cove, o valor do estacionamento está incluso no ingresso do complexo.

  6. Transporte na Disney

    De tão grandes, os estacionamentos da Disney World contam com ônibus que levam os visitantes até o Ticket and Transportation Center, local em que dá para comprar ingressos, em frente á entrada dos parques. Em alguns centros de lazer do grupo, há a opção de encarar um barco (Magic Kingdom, Epcot e Hollywood Studios) ou monorail (Magic Kingdom e Epcot) para chegar até a entrada principal. Todos os parques e hotéis do complexo do Mickey estão interligados por um ou mais meios de transporte.

  7. Transporte na Universal

    Paulo Basso Jr.

    Barquinho de transporte gratuito na Universal

    É fácil ir da Islands of Adventure para a Universal Studios, os dois grandes parques da Universal em Orlando. Basta cruzar a pé, em poucos minutos, a área do CityWalk, o centro comercial do complexo. Simpáticos barquinhos também ligam os parques de lazer aos três resorts que ficam na área da Universal. De ônibus é possível alcançar rapidamente o parque aquático Volcano Bay.

  8. Transporte para o Busch Gardens

    Quem compra ingressos para o Busch Gardens em pacotes oferecidos pelo SeaWorld Parks & Entertainment pode pegar ônibus gratuitos no SeaWorld em direção ao parque localizado em Tampa, tanto na ida quanto na volta. Dá para conferir os horários e fazer reservas pela internet.

  9. Como localizar atrações nos parques

    Paulo Basso Jr.

    Parada no Magic Kingdom, da Disney

    Quase todos os parques de Orlando oferecem wi-fi e contam com aplicativos gratuitos que ajudam a localizar atrações e checar o tempo das filas. Outra opção para não se perder nos parques é, logo na entrada, pegar um dos mapas distribuídos gratuitamente. Quase todos têm versão em português. Antes de andar sem rumo, estude-os para saber quais atrações combinam mais com o seu estilo ou com a faixa etária do grupo em que está. A partir daí, trace um roteiro inteligente para passar pelos brinquedos escolhidos sem muitas idas e voltas.

  10. Como ganhar tempo nos parques de Orlando

    Paulo Basso Jr.

    Islands of Adventure na alta temporada: parques lotados

    A maioria das pessoas percorre instintivamente os parques no sentido horário. Se você chegar cedo, faça o contrário. Ao menos durante a manhã, antes de a galera se misturar, você ganhará tempo e pegará filas menores em algumas atrações.

  11. Quando ir às atrações mais concorridas

    Paulo Basso Jr.

    Avatar: no começo da noite tem menos gente

    A área do Avatar, no Animal Kingdom, foi inaugurada em 2017 e, atualmente, é uma das preferidas dos viajantes em Orlando. Por isso, está sempre lotada. O melhor a fazer é deixar para visitá-la logo cedo, ao chegar no parque (principalmente se estiver em um hotel da Disney e tiver extra hours), ou então no fim da tarde. Na alta temporada, as filas são grandes o dia todo, mas tendem a diminuir no início da noite.

  12. Apresentações ao vivo

    Nos parques em que há muitas paradas e apresentações ao vivo, como o SeaWorld, confira nos apps ou nos painéis de informações a programação das apresentações do dia. Assim, dá para ganhar tempo programando o roteiro. O ideal é sempre estar perto nos locais onde acontecem os shows ao menos 30 minutos antes do início.

  13. Shows e paradas Disney

    Paulo Basso Jr.

    Happily Ever After, o show de fogos da Disney, no Magic Kingdom

    Alguns parques da Disney World têm paradas com personagens ao longo do dia. Confira nos apps ou nos painéis de programação os horários para estar no ponto certo, com alguns minutos de antecedência, a fim de pegar um bom lugar. O show mais concorrido é o Happily Ever After, a famosa queima de fogos do Magic Kingdom. Ao menos 40 minutos antes do início, vale a pena reservar um lugar na praça onde há uma estátua de Walt Disney de mãos dadas com Mickey, à frente do Castelo da Cinderela. Lá, é possível ver o espetáculo em detalhes.

  14. Ganhe tempo durante os shows

    Paulo Basso Jr.

    SeaWorld: durante o show da Shamu, as atrações nos arredores tendem a ficar mais vazias

    Caso já tenha visto as paradas da Disney World ou as apresentações do SeaWorld em outra oportunidade, ou ainda não se interesse muito por elas, saiba que os horários em que elas acontecem são os melhores para entrar nas atrações mais concorridas dos parques. Afinal, quase todo mundo quer ver os desfiles e shows, o que provoca a diminuição das filas nos outros pontos dos centros de lazer.

  15. Como evitar filas na Disney

    Paulo Basso Jr.

    Pulseira Magic Band em fila de Fastpass+, na Disney

    Para evitar filas na Disney World, use o Fastpass+, sistema eletrônico que permite a entrada mais rápida em algumas atrações. Para adquiri-lo, use o app da Disney, My Disney Experience, ou vá aos locais identificados como Fastpass+, situados próximo aos brinquedos mais procurados, para retirar papéis com um horário no qual é possível acessar a atração pelas filas menores, também identificadas como Fastpass. Também dá para usar a pulseira Magic Band para acessar as atrações. É possível marcar três horários de uma vez e, a partir daí, o procedimento só poderá ser repetido de vez em vez quando você já tiver visitado todas as atrações reservadas.

  16. Como evitar filas na Universal

    As principais atrações da Universal Studios e Islands of Adventure têm duas filas: uma normal e outra para quem tem o cartão Express Plus Pass. Esse ingresso especial é vendido pela internet e em diversas lojas espalhadas pelos parques.

  17. Como evitar filas no SeaWorld e Busch Gardens

    No Busch Gardens e no SeaWorld, há a opção de comprar um passe chamado Quick Queue. O tíquete dá direito a acesso mais rápido nas grandes montanhas-russas dos parques. É possível adquiri-los nos guichês de Guest Service ou via internet.

  18. Use o Single Rider

    Paulo Basso Jr.

    Fila para brincar sozinho anda mais rápido

     As grandes atrações de quase todos os parques de Orlando contam com uma fila especial, chamada Single Rider, destinada a quem quer brincar sozinho. Caso não se importe em se divertir separado dos companheiros de viagem, você ganhará um bom tempo ao acessá-la. E o outro viajante pode ir logo em seguida, fazendo o mesmo esquema. Entre os principais brinquedos, apenas alguns lançados recentemente não contam com esse benefício.

  19. Rider swich para papais e mamães

    Papais que estiverem com crianças que ainda não têm a altura mínima para entrar em algumas atrações podem fazer o seguinte: a mãe pega a fila e brinca enquanto o pai fica com o filho. Depois, quando a mãe voltar, o pai pode brincar sem pegar a fila novamente. Para fazer isso, pergunte aos funcionários que organizam as atrações dos parques pelo esquema de rider swich.

  20. Baby Care na Disney

    Quase todos os parques de Orlando têm serviço de Baby Care. Trata-se de uma salinha para mamães trocarem fraldas, usarem cadeiras de balanço e aproveitarem a luz baixa para amamentar. Em algumas Baby Cares, como as da Disney World, é possível comprar fraldas descartáveis, leite em pó e outros produtos.

  21. Carrinho para bebês

    Paulo Basso Jr.

    Dá para alugar carrinhos de bebê nos parques

    Se estiver com bebês, alugar um carrinho é fundamental. Na Disney World, por exemplo, se você trocar de centro de lazer no mesmo dia, guarde o recibo, pois basta apresentá-lo no outro parque para não ter de pagar de novo. Uma opção econômica que agrada a muitas famílias é comprar um carrinho simples em algum supermercado, nos primeiros dias na cidade, e depois deixá-lo por lá, já que os preços são baixos.

  22. Nas atrações com crianças

    Quando for assistir a um show em teatro fechado com crianças pequenas, escolha uma cadeira perto da saída ou no corredor. Assim, ficará mais fácil sair no meio do espetáculo se a criança chorar ou ficar com medo da música alta e do ambiente escuro.

  23. Locker

    Paulo Basso Jr.

    Locker em atração do Harry Potter, na Islands of Adventure

    Não dá para entrar com bolsas ou mochilas nas atrações mais radicais dos parques da Universal e do SeaWorld Parks & Entertainment, ao contrário do que ocorre na Disney World. Felizmente, nesses parques há lockers (armários) ao lado dos brinquedos. Para usá-los, vá à estação eletrônica, escolha o idioma português e siga os comandos. É fácil e gratuito por alguns minutos, mas você não pode se esquecer do número do armário. Alguns parques cobram pelo serviço.

  24. Montanha-russa Manta, no Seaworld

    Paulo Basso Jr.

    Manta, no SeaWorld: atrás é mais emocionante

    Na montanha-russa Manta, do SeaWorld, todo mundo desliza com o corpo voltado para baixo e as mãos para frente, como se estivesse voando. De tão original, a atração tem um diferencial: quem vai atrás passa mais apuros do que quem vai apoiado na parte da frente da estrutura. De qualquer forma, seja qual for a posição, a experiência vale a pena.

  25. Emoção na SheiKra, do Busch Gardens

    Paulo Basso Jr.

    SheiKra, no Busch Gardens: nas pontas o bicho pega

    Uma das montanhas-russas mais amedrontadoras da região é a SheiKra, no Busch Gardens, que tem 42 metros de altura e carrinhos sem chão, nos quais as pessoas ficam com os pés pendurados. Se você gosta de aventura, vá na fileira da frente, em uma das pontas. É nessa posição que se descarrega mais adrenalina e todos se sentem mais soltos, ainda mais quando o carrinho para diante da descida em 90 graus.

  26. Restaurantes nos parques de Orlando

    Confira no mapa dos parques todos os restaurantes disponíveis no complexo. Há sempre opções para todos os gostos e bolsos. Caso queira ir a algum endereço mais badalado, como o Akershus, no Epcot, onde dá para encontrar as Princesas, é recomendável fazer reservas assim que entrar nos parques.

  27. Como pedir as comidas

    Divulgação

    Os pratos e lanches em Orlando costumam ser bem servidos

    Entradas e porções pequenas ou médias costumam ser suficientes para a maioria das pessoas, já que os norte-americanos, em geral, são exagerados na hora de servir. O mesmo ocorre com as bebidas.

  28. Planos de refeição

    Os parques da Disney World e da Universal oferecem planos de refeição. Eles podem valer a pena financeiramente para quem viaja em família, mas limita a escolha dos restaurantes. Para quem viaja em menos pessoas, é mais tranquilo fazer as refeições por conta.

  29. Fale português nos parques de Orlando

    Divulgação

    Os funcionários dos parques costumam ser solícitos

    É comum encontrar funcionários que falam português trabalhando em Orlando, em geral solícitos a ajudá-lo. Na Disney World, eles são facilmente identificados, pois portam broches com as bandeiras do Brasil ou Portugal.

  30. Pontos de encontro

    Marque pontos de encontro mesmo que estiver com apenas mais uma pessoa, pois os parques temáticos são grandes e é comum se perder por lá. Caso isso ocorra, não se desespere. Dirija-se aos diversos centros de informações (Guest Services) espalhados pelos complexos para ser orientado.

  31. Disney Springs e CityWalk

    Paulo Basso Jr.

    Disney Springs, área de lazer da Disney World

    Reserve pelo menos duas noites para conhecer os centros de lojas, restaurantes e opções de lazer Disney Springs e CityWalk, da Disney World e Universal, respectivamente. Ambos são tão divertidos quanto os parques temáticos e têm entrada gratuita.

  32. Hotéis da Disney e da Universal

    Divulgação

    Loews Portofino Bay Hotel, da Universal

    Caso esteja hospedado em um dos hotéis da Disney World ou Universal, apresente o cartão do quarto na hora de fazer compras dentro dos respectivos parques. Com isso, você pode pedir para debitar o valor no check out e para entregarem as sacolas diretamente no seu quarto. É muito melhor do que carregá-las o dia todo. Quem fica nos hotéis dos parques tem ainda outra vantagem considerável: entrar mais cedo ou sair mais tarde em relação ao horário de funcionamento normal do parque. Na Disney World, vale a pena checar o calendário aqui.

  33. Lojas no aeroporto de Orlando

    Paulo Basso Jr.

    Loja da Universal no aeroporto de Orlando

    Caso você não queira juntar muito peso durante a viagem, pode deixar para fazer algumas compras na volta, quando chegar ao aeroporto de Orlando. Lá, há lojas da Disney World, Universal e SeaWorld, além de outras redes famosas, como a relojoaria Swatch e a rede de cosméticos L’Occitane. Os preços são os mesmos das lojas dos parques – que, por sua vez, são mais caros do que o dos supermercados e outlets.