Crédito: Visual Hunt

Desvalorização de moedas aumenta interesse por destinos internacionais

31 de janeiro de 2017

Por Maria Beatriz Vaccari

Desde 2014, a alta do dólar norte-americano fez com que muitos brasileiros substituíssem viagens ao exterior por destinos nacionais. Entretanto, o valor da moeda vem apresentando quedas significativas – recuou 17,69% no acumulado de 2016. E não foi só o dinheiro norte-americano que desvalorizou nos últimos tempos: a variação também atingiu o câmbio de destinos como Inglaterra, México e Argentina.

Presente na lista dos melhores destinos para visitar em 2017 elaborada pelo jornal “The New York Times”, o México, por exemplo, é financeiramente atrativo ao brasileiro porque um peso mexicano equivale a aproximadamente R$ 0,15. Segundo a plataforma de planejamento de viagens Quanto Custa Viajar, um tour que passa pelas tradicionais Pirâmides de Teotihuacan e pelo Santuário de Guadalupe, na Cidade do México, sai por R$ 155. O site ainda indica que uma viagem confortável de uma semana pela capital mexicana custa em média R$ 3.900.

Apesar de ainda ser muito valiosa diante do real, a libra esterlina apresenta cotações atrativas no momento. Avaliada em aproximadamente R$ 3,87, a moeda chegou a valer R$ 5,93 em janeiro do ano passado. A queda no câmbio permite que brasileiros gastem menos em viagens à Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte.

Graças à proximidade, aos passeios bacanas e ao valor baixo do peso argentino em relação ao real, a Argentina é o destino favorito de muitos brasileiros. Além de conseguir ótimas conversões financeiras – um peso equivale a R$ 0,19 – os viajantes estão livres do imposto sobre consumo (IVA), que era cobrado em hotéis até o ano passado. Com isso, hospedar-se no país dos hermanos está 21% mais barato.