• Crédito: Prefeitura de Porto Seguro/Divulgação
    Mirante de Arraial d'Ajuda
  • Crédito: Prefeitura de Porto Seguro/Divulgação
    Reserva da Jaqueira
  • Crédito: Divulgação
    Terravista Golf Course, em Trancoso
  • Crédito: Divulgação
    Ilha dos Aquários

7 DIAS EM PORTO SEGURO

DO LUXO DOS RESORTS E RESTAURANTES DE TRANCOSO À VIDA SIMPLES DO CHARMOSO DISTRITO DE ARRAIAL D’AJUDA, TODO MUNDO ENCONTRA DIVERSÃO NESTE LINDO TRECHO DO SUL BAIANO

1 º dia

Mapa da sua rota

Recife de Fora e Centro Histórico

– Comece a desbravar a Costa do Descobrimento explorando seus maiores ícones naturais e históricos. Vale consultar a tábua das marés na véspera e, se preciso for, levantar bem cedinho para fazer um dos passeios mais tradicionais da região: o tour de escuna pelo Parque Marinho do Recife de Fora, geralmente realizado em semanas de lua cheia ou nova. Quando a maré está baixa, formam-se piscinas naturais e um banco de areia bem no meio do mar.

– A visita aos recifes dura cerca de quatro horas, sempre ao som de muito axé, e termina no Píer Municipal da Avenida 22 de Abril. Aproveite que já está ali e almoce em algum restaurante do centro, como a Casa Dedo de Moça ou o Colher de Pau, que é especializado em frutos do mar.

– Depois, parta para outro grande atrativo de Porto Seguro: sua história. Para crianças e entusiastas das grandes navegações, vale uma visita ao Memorial da Epopeia do Descobrimento (Km 20 da Avenida Beira-Mar).

– O memorial fecha às 17h, mas vale não perder muito tempo ali para aproveitar melhor o Centro Histórico antes que o sol se ponha. Para chegar lá, basta subir de carro a BR-367, passar por uma rotatória com a estátua de Cabral e virar à direita quando avistar uma placa indicando a Cidade Alta.

– Primeiro núcleo habitacional do Brasil, a vila faz o pensamento retroceder aos tempos do descobrimento diante de monumentos como o Marco Padrão de Posse (datado de 1503), as ruínas da primeira escola de jesuítas e as igrejas de São Benedito (1551), Nossa Senhora da Penha (1535) e da Misericórdia (1526), onde funciona o Museu de Arte Sacra. Também tem a Casa de Câmera e Cadeia, de 1772, que abriga o Museu de Porto Seguro.

– Como a área é relativamente pequena, dá para ver tudo em pouco mais de uma hora e ainda contemplar a esplendorosa vista panorâmica que se tem da orla norte a partir do platô.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
2 º dia

Mapa da sua rota

Índios e praias

– Inicie o dia com uma visita à reserva indígena da Jaqueira, que abriga cerca de 30 famílias da etnia pataxó. Dá para fazer trilha na mata, pintura corporal, comprar artesanato, ter uma aulinha de arco e flecha, aprender as propriedades medicinais de cada planta da horta, degustar peixe preparado na folha da patioba com farinha de puba e participar do Awê, ritual de confraternização que bota todo mundo para dançar em círculo dentro de uma choupana.

– Depois, almoce e se refresque em alguma praia da região. Quem gosta de agito pode esticar até Taperapuan e aproveitar a animação das megabarracas à beira-mar, que concentram restaurantes de qualidade, shows e uma extensa programação de lambaeróbica.

– Os mais esportistas também podem disputar uma “pelada” na areia ou jogar vôlei de praia, frescobol e arriscar umas raquetadas de beach tennis.

– Quem prefere dar um tempo no axé, por sua vez, deve seguir à Praia do Mutá. Lá, a grande atração são os esportes náuticos, como windsurfe, kitesurfe e a moda do momento: o stand up paddle.

– Já no litoral sul, as barracas se apresentam como beach clubs europeus, cheios de sofisticação. Seja qual for sua praia, você não vai querer sair de lá antes que o sol se ponha. Mas lembre-se de reservar um tempinho para descansar, pois você vai precisar de uma reserva de energia para aproveitar a noite. E Porto Seguro não seria a mesma sem suas baladas…

 

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
3 º dia

Mapa da sua rota

Baleias, boias e borboletas

– Faça um passeio de observação das baleias jubarte. Todos os anos, em julho, elas migram das águas geladas de regiões subantárticas para o litoral sul da Bahia a fim de se reproduzir ou amamentar os filhotes concebidos no ano anterior.

– Os tours duram pouco mais de quatro horas e só ocorrem até outubro, quando as jubarte empreendem uma nova jornada de volta aos polos. Por isso, se suas férias não coincidirem com este período, reserve a manhã do terceiro dia para visitar o Borboletário e Parque Ecológico Asas Mágicas. O percurso é longo – são cerca de 40 km pela BR-367 –, mas compensador.  Pode-se ir de carro, sentido Eunápolis, ou em ônibus da viação Brasileiro.

– À tarde, se esbalde nas piscinas do Arraial d’Ajuda Eco Parque. Comece a diversão praticando arvorismo e descendo de tirolesa até a água. Depois, curta os tobogãs, coma em um dos quiosques e encerre o dia relaxando sobre uma boia, ao doce sabor da correnteza.

 

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
4 º dia

Mapa da sua rota

Trancoso

– Embora Porto Seguro seja o destino mais famoso da Costa do Descobrimento, é no distrito de Trancoso que se concentram os turistas moderninhos e os points que, vira e mexe, recebem celebrities do quilate de Naomi Campbell, Beyoncé, Príncipe Harry, Al Gore, Neymar, Will Smith…

– Pode-se passar o dia no Club Med Trancoso, que oferece Day Use; jogar golfe no complexo Terravista; visitar o Teatro L’Occitane e conhecer estabelecimentos de charme que exploram o clima shabby chic de Trancoso, como a El Gordo e a Etnia.

– Também vale acordar cedo para curtir o bem-bom nas praias dos Coqueiros, dos Nativos e do Rio Verde.

– Antes que o sol se ponha, corra para o Quadrado e confira toda a magia que emana deste pedacinho de terra, repleto de lojas de grife, artesanato, artigos de decoração e restaurantes badalados, que ficam ainda mais charmosos à noite, sob a luz de velas e o branco da igreja de São João Batista ao fundo.

 

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
5 º dia

Mapa da sua rota

Arraial d’Ajuda

– Pegue a balsa para Arraial d’Ajuda logo pela manhã. Assim, dá para aproveitar bem a Praia de Pitinga, que brinda os banhistas com piscinas naturais formadas por uma barreira de recifes na maré baixa, pequenos cursos de água doce e irrecusáveis petiscos à beira-mar.

– Seja qual for a escolha do menu, será uma boa forma de relaxar e renovar as energias para a caminhada de 20 minutos que conduz à extinta Lagoa Azul – hoje, apenas uma pequena praia com morros de terra erodida, sinal de que nem tudo foi devidamente preservado após a invasão turística.

– Outra opção é fazer o percurso de 50 minutos a pé que leva até a Praia de Taípe, famosa pelas gigantescas falésias com trechos praticamente desertos, que encorajam muita gente a arriscar um topless a caminho de Trancoso.

– Se este não for o seu caso, prefira encerrar a tarde contemplando o pôr do sol na Praia do Parracho ou em uma das barracas de Araçaípe, que costumam oferecer música ao vivo durante o verão, com direito a clássicos do rock anos 1980 e da MPB.

– Por fim, estique a noite nos restaurantes, lojas e barzinhos com música ao vivo da badalada Rua do Mucugê.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
6 º dia

Mapa da sua rota

Espelho, Caraíva e Curuípe

– Eleita por dez entre dez revistas especializadas em turismo como uma das mais bonitas do Brasil, a Praia do Espelho não pode ficar de fora de um roteiro pela Costa do Descobrimento. Se você não estiver de carro, vale contratar o serviço de um jipe ou barco para ir até lá e, de quebra, conhecer as vizinhas Caraíva e Curuípe.

– Incrustada entre o rio de mesmo nome e uma reserva de índios pataxós, Caraíva atrai aventureiros pela beleza de sua orla e pelo clima primitivo, onde energia elétrica e sinal de telefone ainda dependem da sorte. O programa lá é tomar banho de sol, de mar e de rio durante o dia e cair no forró à noite.

– Também dá para seguir de barco até a igualmente sossegada Ponta do Corumbau ou navegar rio adentro para descer a correnteza rumo ao mar em cima de boias feitas com câmeras de pneu.

– O destino mais cobiçado, porém, é mesmo a Praia do Espelho, que pode ser visitada em uma mesma tacada com Curuípe. Várias agências da região oferecem tours até lá. O percurso é longo: cerca de 90 km para quem sai de Porto Seguro, via BR-367 e Estrada Trancoso, sendo que os 26 km finais são em trecho de terra, mas vale ainda que fosse só para contemplar o trajeto, cercado de Mata Atlântica e uma planície repleta de aves e búfalos. – O passeio dura oito horas. Encravada no meio do caminho entre Trancoso e Caraíva, Espelho é abençoada por falésias cobertas pela mata nativa, que abraçam o mar e criam mirantes perfeitos para fotografar a paisagem, enquanto os arrecifes, na maré baixa, formam piscinas naturais excelentes para mergulhar com snorkel.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
7 º dia

Mapa da sua rota

Santa Cruz Cabrália

– Vizinha de Porto Seguro e mais preservada, a cidade de Santa Cruz Cabrália tem uma excelente estrutura para o turista que prefere menos agito e mais natureza, sem abrir mão do conforto.

– Para chegar lá, é fácil: basta seguir de carro pela Avenida Beira-Mar (BR-367), na direção norte, ou pegar um ônibus intermunicipal. Primeiro, você verá a tranquila Ponta do Mutá. Depois, a charmosa Praia de Coroa Vermelha, cuja barreira de corais forma piscinas naturais de água rasa e quentinha, perfeitas para crianças e passeios de caiaque.

– Em vez de axé, a maioria dos quiosques toca MPB e tem redes para quem quiser tirar um cochilo à sombra de um coqueiro após o almoço. O calçadão que começa na rodovia e leva à areia é cheio de lojinhas de artesanato indígena. Para completar, é também ali que fica o Museu Indígena e a enorme cruz que faz alusão à primeira missa celebrada no Brasil.

– Outras praias interessantes são a central Arakakaí; a deserta Lençóis, de ondas fortes; e a do Mutari, que tem mar manso, na foz do rio homônimo – dizem que foi ali que Pedro Álvares Cabral abasteceu sua esquadra de água brasileira pela primeira vez.

– Pertinho dali, o Centro Histórico conserva construções do século 18, como a Igreja de Nossa Senhora da Conceição e a Casa de Câmara e Cadeia, além de um mirante com vista para o Rio João de Tiba.

– O que mais atrai pessoas à cidade, no entanto, são os dois passeios de barco que saem do pequeno porto. Um deles é o de escuna até o Parque Marinho da Coroa Alta, onde se pode alugar máscara, snorkel e sandálias para explorar os recifes.

– Na volta, a embarcação faz um pit stop na Vila de Santo André para almoço e na Ilha do Sol para quem quiser comprar doces caseiros e se chafurdar na lama do manguezal.

– O outro tour é o de chalana pelo Rio João de Tiba, que também segue até Santo André para um banho de mar com parada para almoço antes de terminar na Ilha do Sol. Os dois passeios são vendidos em agências de receptivo, com saída às 10h e retorno às 17h.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.