• Crédito: Heloísa Cestari

    Igreja de Nossa Senhora do Carmo

  • Crédito: Divulgação

    Fachada do ateliê e galeria Estação dos Quatro Cantos

  • Crédito: Hugo Acioly/Divulgação

    Vista da Caixa D’água

  • Crédito: Dante Barros/Divulgação

    Jerimum Frevoé do Oficina do Sabor

1 DIA EM OLINDA


PERCA-SE NO SOBE-E-DESCE DE LADEIRAS, VISITE ATELIÊS E SE JOGUE NA CULTURA PERNAMBUCANA

1 º dia +

Mapa da sua rota

Do Alto da Sé à Rua do Amparo

– Suba primeiro até o Alto da Sé. É lá que fica a igreja, de 1537, onde dom Hélder Câmara clamou por justiça no Brasil pós-1964. Erguida a mando de Duarte Coelho, a construção mistura diversos estilos entre seus altares banhados a ouro. Mas o que mais chama a atenção dos turistas são mesmo as paisagens banhadas a sol que se avistam do lado de fora, no mirante.

– Após tirar aquela clássica selfie, prove as tapiocas das barraquinhas que circundam a igreja, mas também guarde um espaço no estômago para, mais tarde, almoçar com estilo no restaurante Oficina do Sabor – só de jerimum recheado, há 15 variações – ou no aclamado Beijupirá.

– Em seguida, faça uma rápida via sacra pelos principais templos religiosos do município, como o Convento de São Francisco (1585), o primeiro da Ordem Franciscana no Brasil; a Igreja do Carmo (1580); a Igreja da Misericórdia e a Basílica de São Bento (1582), a mais rica de todas elas – só o seu altar, de estilo barroco, é revestido com 28 kg de ouro.

– No caminho, dê uma paradinha no número 182 da Rua São Bento para fotografar a fachada da casa de Alceu Valença, cuja varanda vira palco e epicentro da folia olindense já há muitos carnavais. Também é nessa rua que fica o Museu do Mamulengo, com centenas de fantoches de madeira e pano usados no teatro popular de rua desde o século 19.

– Antes de deixar a cidade ou de montar campana em algum barzinho para curtir a noite por ali, bata perna pelas ruas do Amparo e Bernardo Vieira de Melo para conhecer os melhores ateliês e encher a bagagem nas lojinhas de artesanato da região.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.

Serviços

Restaurantes+

Beijupirá (http://www.beijupira.com.br/)

Tem unidades em Porto de Galinhas, Cabo de Santo Agostinho, Olinda, na Praia dos Carneiros e até um lodge em Fernando de Noronha. Como o próprio nome sugere, as receitas do peixe beijupirá com molhos agridoces fazem a fama de todas as casas.

Oficina do Sabor (http://www.oficinadosabor.com/)

Escolha uma mesa no agradável salão avarandado, com vista para o casario de Olinda, e se delicie com a releitura de pratos regionais elaborados pelo chef César Santos em sua “oficina”. Só de jerimum recheado há 15 variações, como a de charque e a de lagostim ao coco.

Bodega do Véio (https://www.facebook.com/BodegaDoVeio/)

Jornalistas, artistas, escritores e outros tipos boêmios se reúnem no fim da tarde para beliscar a saladinha de bacalhau desfiado e o imperdível sanduíche de pastrami da tradicional casa olindense, de ambiente bem simples.

Hotéis+

Sete Colinas (http://www.booking.com/hotel/br/7-colinas.pt-br.html)

Fica num casarão do século 19, rodeado por jardins e pomares. Tem piscina, museu, academia e apartamentos com TV e ar-condicionado.

Pousada dos Quatro Cantos (http://www.booking.com/hotel/br/pousada-dos-quatro-cantos.pt-br.html)

Estrategicamente localizada no meio do burburinho carnavalesco, a pousada transforma seu pátio em camarote vip durante a folia, com direito a drinques e quitutes regionais. Os quartos têm mobília antiga.

Booking.com