• Crédito: Setur AL/Divulgação
    Galés de Maragogi
  • Crédito: Divulgação
    Artesanato
  • Crédito: Divulgação
    Mergulho com snorkel
  • Crédito: Divulgação
    Costa dos Corais

4 DIAS EM MARAGOGI

DESCUBRA OS ENCANTOS QUE FAZEM DESSE PEDAÇO DO LITORAL NORTE ALAGOANO UM SONHO

1 º dia

Mapa da sua rota

Galés

– Antes de mais nada, consulte a tábua das marés e a previsão do tempo. Se o céu não estiver nublado e o horário da maré baixa for conveniente, faça o passeio mais famoso de Maragogi: o de barco até as galés (conjunto de piscinas naturais que fica a cerca de 6 km da costa). Quando as águas estão rasas, nas semanas de lua cheia e nova, bastam uma máscara e um snorkel para esquecer da vida nadando entre os peixes. Quem prefere ir mais fundo (5 m a 6 m) também pode mergulhar com cilindro.

– Já nos dias de maré alta, a opção é o chamado beach tour, de catamarã ou lancha, pelas praias de Maragogi, Burgalhau, Barra Grande, Antunes e Xaréu. O passeio dura cerca de duas horas e, fora a menor incidência de peixes, não deixa nada a perder para o afamado roteiro das galés.

– Se o passeio até as piscinas naturais (ou o beach tour) for feito no período da manhã, você terá a tarde livre para ir ao centro, petiscar uma porção de iscas de peixe em algum restaurante de frente para o mar e curtir o bem-bom da Praia de Maragogi.

– Depois, caminhe pelas lojinhas do centro para conferir as peças de arte local. Um bom endereço é a Vitrine do Artesão, na Avenida Senador Rui Palmeira, que reúne sandálias, chapéus, bijuterias e bordados feitos por moradores da região, incluindo os filés da Associação Mulheres de Fibra, feitos exclusivamente com a fibra da bananeira.

– Também vale visitar a produção de polpas de frutas da Coopeagro (Cooperativa dos Pequenos Agricultores Organizados).

– Quando a fome apertar, siga até a Tapioca da Martha, no número 1.547 da mesma avenida. Lá, a boliviana Martha Velasco prepara delícias com recheios fartos. Entre os sabores mais pedidos estão o de carne-seca e o de queijo com goiabada.

– Já os sorveteiros de plantão podem provar as massas de frutas, como coco e cajá, da Sorveteria Pingo, no número 42 da Praça Santo Antônio.

– E quem estiver hospedado em grandes resorts, como o Grand Oca ou o Salinas, pode aproveitar o resto do dia na piscina ou praticando esportes náuticos. Afinal, atividades de lazer não faltam a esses empreendimentos.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
2 º dia

Mapa da sua rota

De bugue pelo litoral

– Embora o passeio às galés a bordo de um catamarã seja o carro-chefe nos catálogos de turismo, há muito o que se fazer na região, faça chuva ou sol. A começar pelos roteiros de bugue que percorrem todo o litoral, seja rumo ao norte, até a pacata praia de Peroba, seja ao sul, até as belas praias da vizinha Japaratinga.

– Geralmente, os bugueiros oferecem passeios de quatro horas para uma das direções, mas é possível negociar um roteiro de dia inteiro que contemple os dois litorais. No sentido de Pernambuco ficam as fotogênicas praias de Burgalhau, Barra Grande, Xaréu e Ponta do Mangue, que guardam os ares rústicos das vilas de pescadores, com casinhas simples e jangadas coloridas cruzando o mar.

– Já em Peroba, o maior atrativo são os recifes, que ficam a 500 m da areia. Uma boa oportunidade para saborear o Lagostinho à Aroeira da Pousada Barra Velha tendo como testemunhas apenas coqueiros e as nuanças do mar – que não deixam nada a perder para o Caribe.

– Depois, siga na direção sul, rumo a Japaratinga. Ainda mais sossegada do que Maragogi, a cidade permaneceu protegida da exploração turística desenfreada graças a um desvio da estrada logo após Barra de Santo Antônio. Neste trecho, faça uma parada para fotos no mirante de Japaratinga, visite à casa da Irmã Marlene para comprar os indispensáveis bolinhos de goma e tome banho ao pôr do sol na Praia do Salgado, uma das mais selvagens da região. O visual é belíssimo e convida para um mergulho.

– Mas se você prefere uma ducha de água doce, deixe para se refrescar em Barreiras do Boqueirão, que é pontuada por diversas fontes à beira da estrada que lhe dá acesso, todas elas disputadíssimas nos dias de calor escaldante.

– Por fim, antes de retornar ao hotel, peça para o bugueiro fazer um pit stop no número 78 da AL-101. É lá que funciona a Bolachas Maragogi, que produz biscoitos de várias formas e texturas, doces e salgados, desde 1950. Quem prova os quitutes no café da manhã de hotéis e pousadas logo quer saber onde fica a fábrica para levar alguns pacotes para casa.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
3 º dia

Mapa da sua rota

Trilha do Visgueiro e Fazenda Marrecas

– Se você pertence à escassa lista de mortais que não curtem praia, saiba que a Costa dos Corais também respira história, cultura, luxo e muita aventura. Dá para fazer passeios de caiaque entre os manguezais do Rio Maragogi; caminhar em meio à Mata Atlântica; sobrevoar a região de ultraleve; tomar banho de cachoeira; visitar uma fazenda de ostras; perder-se no tempo em meio às ruínas do mosteiro de São Bento ou seguir de bicicleta até a histórica Fazenda Marrecas, por exemplo.

– Um bom passeio para iniciar o dia é a Trilha do Visgueiro. A agência Costazul (http://costazulturismo.com.br/) e a Cooperativa dos Pequenos Agricultores Organizados (http://www.coopeagro.org/) oferecem esse roteiro, de quatro horas, com início às 8h, que passa por dentro do assentamento Água Fria. Nele, você conhece uma autêntica casa de taipa, toma banho em pequenas cachoeiras de água cristalina, come frutas tropicais e caminha durante duas horas em meio à Mata Atlântica, ouvindo o canto dos pássaros e vendo esculturas de cipó, até chegar à maior atração: o Gran Visgueiro, uma imponente árvore com mais de 500 anos e 22 m de altura.

– À tarde, visite a Fazenda Marrecas (http://www.marrecas.com.br/), que abriga um casarão do século 19, uma antiga senzala e a capela de São Gonçalo, perfeita para cerimônias de casamento. Dá para provar cachaças do alambique, andar a cavalo, passear de pedalinho ou pescar tilápias no lago.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
4 º dia

Mapa da sua rota

Rota Ecológica

– Acorde cedo para explorar ao máximo as belezas da chamada Rota Ecológica. Graças a um desvio da estrada por conta da foz de três grandes rios, esse trecho que vai de Japaratinga até Barra de Camaragibe, passando por Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres, manteve-se em segredo por muito tempo. Não bastasse essa proeza, a região ainda assistiu ao milagre da multiplicação de pousadas de luxo em um curto espaço de tempo.

– Em quase todas elas é possível fazer o passeio de jangada até as piscinas naturais que se formam a um quilômetro da costa, quando a maré recua, com direito a mergulhar em arrecifes belíssimos e praticamente desertos.

– Outra opção para os apaixonados por biologia marinha é seguir até Porto de Pedras. Além de prédios preservados dos séculos 17, 18 e 19 e de um farol que oferece vista privilegiada de toda a imensidão do litoral, o local abriga, na Praia de Tatuamunha, o Projeto Peixe-boi Marinho, que protege o dócil mamífero ameaçado de extinção e fica aberto à visitação turística durante o ano todo. Guias nativos e treinados pela equipe do projeto conduzem os visitantes em jangadas ou canoas.

– Os melhores pontos de acesso às praias da Rota Ecológica são as próprias pousadas. O único bom receptivo aberto a passantes é o Cokoloco, na Praia do Patacho, que cobra pelo day-use. Por isso, é melhor contratar um bugueiro que conheça bem a região e almoçar em alguma das várias hospedagens de charme espalhadas ao longo do percurso, como a Estalagem Caiuia, em Japaratinga, que recebe turistas em seu restaurante sem delongas. Nas outras, como a do Pousada do Toque, em São Miguel dos Milagres, é bom ligar antes confirmando a reserva de um não-hóspede. Ou ir direto a um restaurante independente, como a tradicional Peixada da Marinete, em Porto de Pedras; o Balai de Gato, na Praia da Laje; e o No Quintal, na Praia do Toque.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.