• Crédito: Shutterstock.com

    Temple Bar

  • Crédito: Shutterstock.com

    Castelo de Dublin

  • Crédito: Shutterstock.com

    Trinity College

  • Crédito: Paulo Basso Jr.

    Guinness Storehouse

3 DIAS EM DUBLIN


COM DIREITO A HISTÓRIA, ARTES E MUITOS PINTS DE GUINNESS

1 º dia +

Mapa da sua rota

Trinity College, Livro de Kells, Oscar Wilde e Temple Bar

– O Spire, monumento em formato de agulha que espeta o céu a 120 metros de altura no Centro de Dublin, é um bom local para começar a caminhada.

– Dele se alcança rapidinho a O’Connell Bridge, principal ponte que corta o Rio Liffey, figura onipresente no skyline de Dublin.

– Caminhe até a Trinity College, universidade fundada em 1592 e dona de uma biblioteca de obras raras, como o Livro de Kells, um evangelho manuscrito e ilustrado artisticamente à mão, que data do século 9º e é apontado como um dos maiores tesouros da literatura medieval.

– Depois de visitar as salas, caminhe até a estátua de ferro dedicada a Molly Malone. Reza a lenda que a menina eternizada pelo monumento vendia peixes e mexilhões em um período no qual a fome assolou a Irlanda em meados do século 17. A garota teria morrido de febre antes que alguém pudesse salvá-la e, assim, foi transformada em um símbolo daqueles tempos difíceis e da superação do povo irlandês.

– Absorvido pela cultura local, caminha até a The National Gallery of Irreland, principal museu da cidade, cujo acervo inclui obras de Caravaggio, Van Gogh e Picasso.

– Siga para a Rua Lincoln Pl, onde, no nº 1, repousa a Sweny, farmácia onde o célebre escritor James Joyce comprava sabonetes para a esposa  – e cuja descrição aparece em detalhes em Ulisses, sua principal obra.

– Mais adiante está a Merrion Square, já próxima ao hotel Merrion, onde desponta uma estátua de Oscar Wilde, situada bem em frente à casa onde o escritor nasceu.

– À noite, siga direto para o Temple Bar, uma espécie de Vila Madalena (bairro boêmio de São Paulo) europeia, com pubs, cafés, restaurantes e lounges por todos os lados, onde se pode ouvir desde rock e música eletrônica até blues e jazz.

– O pub mais famoso do pedaço é justamente o que nomeia o bairro, o Temple Bar, certamente um dos bares locais mais fotografados e estampados em cartões-postais de Dublin. O ambiente é rústico, com móveis de madeira, sofás pelos cantos e TVs que exibem jogos de rúgbi ou hurling – o esporte mais popular da Irlanda, que é uma espécie de mistura de futebol-americano e hóquei sobre grama. Puxe uma cadeira e peça um pint (copo de 568 ml) de Guinness, a cerveja mais famosa da Irlanda.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
2 º dia +

Mapa da sua rota

Compras e Guinness

– Hoje é dia de se jogar nas compras. Não faltam vitrines no centro de Dublin, como na Mary St., próxima ao Spire.

– Ao atravessar a O’Connell Bridge é fácil chegar na Grafton Street, rua exclusiva aos pedestres, reconhecida pelos prédios de estilo georgiano e por concentrar uma série de lojas de grife. Fica pertinho da estátua da a Molly Malone.

– Não longe dali está o Powerscourt Centre, shopping que concentra as grifes mais desejadas da cidade. Com vitrines distribuídas em um prédio clássico e lojas pequenas voltadas para quem não abre mão de atendimento exclusivo, o lugar atrai quem está interessado em comprar relógios Rolex e itens de vestuário assinados por Philip Treacy, o chapeleiro oficial da família real britânica.

– Já na hora do almoço, siga para o St. George’s Market. É um lugar ótimo para adquirir lembrancinhas originais e descansar um pouco no bar e restaurante do pedaço, que serve boas tapas espanholas.

– Durante a tarde, dá para seguir de táxi ou transporte público para a Guinness Storehouse, mas também vale a pena fazer o passeio a pé e conhecer alguns prédios históricos da cidade, como a catedral Christ Church, a prefeitura e o Castelo de Dublin.

– A Guinness Storehouse é a famosa fábrica da cerveja stout mais popular do mundo. Ali é possível fazer um tour que inclui diversas paradas, com destaque para a passagem pela Guinness Academy, onde especialistas ensinam os visitantes a tirar um pint perfeito.

– Conheça também os projetos de marketing da cervejaria, como o Guinness Book, o livro dos recordes.

– Já no fim da tarde, siga para o Bar Gravity, no sétimo andar do edifício. Trata-se do pub mais alto da cidade, a 44 metros de altura, todo cercado de paredes de vidro que permitem uma bela vista de Dublin. Ali é possível beber e entender o espírito boêmio dos irlandeses enquanto se tem uma linda vista da cidade.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
3 º dia +

Mapa da sua rota

Phoenix Park, Jameson e The Church

– Tire a manhã para caminhar pelo Phoenix Park, o maior parque urbano da Europa. Ali há diversos monumentos, playgrounds para crianças, um zoológico e a residência do presidente da Irlanda. É um dos melhores lugares para fazer um piquenique em Dublin.

– Ao caminhar pela margem do Liffey você alcançará a Old Jameson Distillery. Ali, tours guiados pela antiga destilaria da Jameson (atualmente a produção fica na cidade de Cork) revelam como o famoso uísque irlandês ganha toques suaves ao ser triplamente destilado, ao contrário do que ocorre com as marcas mais tradicionais dos EUA e da Escócia

– Caso não exagere na dose, siga até a St. Patrick Cathedral, dedicada ao padroeiro da Irlanda.

– De noite, dá para voltar no Temple Bar e escolher outro pub para passar a noite, como o Porterhouse Brewing Company, onde há sempre bandas ao vivo, ou então atravessar o rio com destino ao The Church, um pub construído dentro de uma antiga igreja protestante. É ali, com um pint de Guinness na mão, que muita gente confessa os seus pecados.

* Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.

Serviços

Restaurantes+

Cleaver East (http://www.cleavereast.ie)

Situado no Clarence Hotel, tem peixes saborosos e uma excelente adega. É para comer com estilo em cursos de três ou mais pratos.

The Old Storehouse (http://www.theoldstorehouse.ie)

Aqui é possível provar pratos típicos irlandeses, entre eles caldo de carneiro, torta de batata e carne e o Guinness Beef Stew, um ensopado de carne e legumes temperado com cerveja.

The Museum Café (http://www.museum.ie/Visit-Us/Visitor-Facilities/Eating-and-Refreshments)

O restaurante localizado na The National Gallery serve pratos típicos, como tortas de batata com carne, e tem preços bons. É bacana para uma refeição rápida.

Hotéis+

Brooks Hotel (http://www.booking.com/hotel/ie/brookshotel.pt-br.html)

Situado próximo ao St. George's Market e à região de Temple Bar, em Dublin, este hotel aconchegante tem quartos amplos e serviço impecável.

Merrion (http://www.booking.com/hotel/ie/the-merrion.pt-br.html?aid=356980;label=gog235jc-hotel-XX-ie-theNmerrion-unspec-br-com-L%3Axb-O%3AwindowsSnt-B%3Achrome-N%3AXX-S%3Abo-U%3AXX;sid=e6b66525375b0d26d62965199a08d4b2;dist=0&sb_price_type=total&type=total&)

Localizado na região central de Dublin, este hotel tem ambientes clássicos e luxuosos recriados a partir de um prédio revitalizado.

Marker (http://www.booking.com/hotel/ie/the-marker.pt-br.html?aid=356980;label=gog235jc-hotel-XX-ie-theNmarker-unspec-br-com-L%3Axb-O%3AwindowsSnt-B%3Achrome-N%3AXX-S%3Abo-U%3AXX;sid=e6b66525375b0d26d62965199a08d4b2;dist=0&sb_price_type=total&type=total&)

Luxuoso, mescla áreas com suítes repletas de soluções hi-tech. Do seu rooftop (bar no telhado) é possível apreciar a bela paisagem de Dublin.

Dicas e curiosidades+

St Patrich

St. Patrick (387-461) foi um missionário cristão e bispo que nasceu no País de Gales. Foi levado aos 16 anos para a Irlanda como escravo, onde permaneceu seis anos, quando fugiu e voltou para a Grã-Bretanha, mas acabou retornando à Irlanda para evangelizar a população. Passou a vida convertendo centenas de pessoas e incentivou a confissão particular, posteriormente adotada por toda a Igreja – antes dessa iniciativa, tal prática era comunitária. Em seu trabalho de catequizar o povo, usou o trevo de três folhas para didaticamente explicar o mistério da Santíssima Trindade, em que um só Deus se divide em três entidades distintas. Por isso, o trevo é considerado um símbolo irlandês. St Patrick transformou-se então no santo padroeiro da Irlanda e é homenageado com o principal feriado do país, comemorado em 17 de março, quando uma festa é realizada nas ruas de Dublin.

Temple Bar

O bairro mais boêmio de Dublin não foi batizado dessa maneira para indicar que ali existe um tempo de bares, mas como uma homenagem à família Temple, que morava por lá e é tradicional na Irlanda.

Passeios+

Wicklow

Diversas operadoras de turismo realizam diariamente tours de bate-volta em ônibus pelos arredores de Dublin. Um dos mais indicados é o que parte de alguns hotéis e do Centro de Turismo da Suffolk Street para o condado de Wicklow, a bela região montanhosa que envolve a capital irlandesa.

Booking.com