Tags

O ponto de partida do seu roteiro de viagem.

Roteiro de viagem

Praga

3 DIAS EM PRAGA

  • Shutterstocl.com

    Cidade Velha

  • Shutterstock.com

    Ponte Carlos e Castelo de Praga à beira do Rio Moldávia

  • Divulgação/Czechtourism.com

    Ponte Carlos

  • Divulgação/Czechtourism.com

    Castelo de Praga

DESCUBRA POR QUE A CAPITAL CHECA É CONHECIDA COMO A PARIS DO LESTE

Serviços

  • Onde ficar
    Hotel Savoy

    Hotel cinco estrelas situado nos arredores do Castelo de Praga. Tem ótimo serviço, quartos clássicos e um café da manhã delicioso.

    Hotel U tří bubnů

    Conta com acomodações confortáveis, porém simples. É para quem não quer gastar muito. Fica bem localizado, na Cidade Velha.

    Domus Balthasar

    Hotel com ambientes moderninhos e confortáveis, situado a um pulo da Ponte Carlos. Pela ótima localização, vive lotado e exige reserva com boa antecedência.


  • Onde comer
    Franz Kafka Cafe

    Fica próximo à casa onde Franz Kafka nasceu. É um bom lugar para tomar café e provar tortas.

    Švejk Restaurant U Karla

    Prove costelas, linguiças típicas e outras delícias checas e pratos da Europa Central, como o schinitzel vienense.

    U Hrocha

    Taverna em Malá Strana onde se pode provar a deliciosa cerveja checa muito bem tirada.

    U Rudolfina

    Localizado no bairro judeu, este restaurante serve pratos como queijo frito e salsicha, sempre acompanhados de boa cerveja.

    U Černého Vola

    Pertinho do Castelo de Praga, esta taverna tira uma das melhores cervejas pretas de Praga. Para ser atendido com educação, entretanto, é preciso sentar-se à mesa e pedir alguma comida, como um goulash ou costelas de porco.



Roteiro

  • 1 ° dia

    Castelo de Praga e Malá Strana

    – Comece a visita pelo bairro Hradčany, onde fica o Castelo de Praga. Há diversos edifícios históricos na região, como o Mosteiro Strahov, fundado em 1140 e que abriga as belas salas da Teologia e da Filosofia; o Palácio das Relações Exteriores, maior construção barroca da região; e o Palácio Schwarzenberg, com fachada renascentista.

    – Visite o Loreto, mosteiro construído a partir de uma réplica da casa em que o arcanjo Gabriel teria anunciado à Maria o nascimento de Jesus. O local conta com um lindo campanário.

    – Siga para o Castelo de Praga, que é praticamente uma cidadela com direito a 26 palácios, museus, convento, calabouços, ruas repletas de casinhas, jardins e uma enorme catedral.

    – Passeie pelos pátios principais, pelos jardins e entre na Catedral de São Vito, cujas obras foram iniciadas em 1344 e terminara apenas no século 20. Lá dentro, encontram-se as joias da coroa checa, encerradas na parede e que só podem ser vistas pelo povo uma vez por ano (geralmente no verão), além de túmulos – um deles guarda o braço de São Vito – e capelas.

    – Compre o tíquete para visitar outras áreas do castelo, como o Palácio Real, palco da linda Sala Vladislau; o Convento de São Jorge, hoje parte da Galeria Nacional de Arte; e a Basílica de São Jorge, com arquitetura romana.

    – Siga até o Beco de Ouro, rua com casinhas coloridas onde, no número 22, morou Franz Kafka. O local abriga hoje uma livraria dedicada ao famoso morador.

    – Como é descida, saia do castelo e siga a pé curtindo as atrações históricas de Malá Strana, a Cidade Baixa. Na praça principal, por exemplo, fica a Igreja de São Nicolau. Do mirante da construção barroca tem-se uma ótima vista da cidade.

    – Aproveite para almoçar e fazer compras em Malá Strana. Há diversas lojas, tavernas e restaurantes em suas ruas, como a Nerudova.

    – Seguindo em direção ao Rio Moldávia, passe na Praça do Grão-Priorado, cujo prédio principal abriga o “Muro John Lennon”, espécie de templo com mensagens de paz que, antigamente, tinha uma imagem do líder dos Beatles.

    – Já às margens do rio desponta a Ilha Kampa, com jardins e belas galerias. Dali é fácil alcançar o Museu Franz Kafka.

    – Quando o sol se mandar, escolha uma das muitas tavernas de Malá Strana para provar pratos típicos acompanhados da deliciosa cerveja checa.

    * Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
  • 2 ° dia

    Ponte Carlos e Cidade Velha

    – Chegou a hora de visitar um dos maiores cartões-postais de Praga, a Ponte Carlos, construída em 1357.

    – Caminhe tranquilamente pela estrutura, cercada por 30 estátuas de santos que a ornamentam (há uma 31ª na parte inferior do lado de Malá Strana). Dá para fazer lindas fotos das torres que guardam as extremidades da ponte.

    – Depois, caminhe até a Cidade Velha (Staré Město), o coração da capital checa. Turístico, o bairro coleciona lojas, restaurantes, teatros, casas noturnas e tavernas que se espalham entre a Staroměstské Náměstí (Praça da Cidade Velha) e a Ponte Carlos.

    – A Casa Municipal, o Klementinum (antiga base jesuíta e atual sede da Biblioteca Nacional) e o Teatro dos Nobres, onde Mozart estreou a ópera “Don Giovanni” em 1787, são algumas das estrelas locais.

    – Ande pelas ruas medievais e aprecie edificações como a Igreja Nossa Senhora Diante de Týn, disputada por católicos e protestantes, e ao Portão da Pólvora, uma das 13 entradas da Cidade Velha, erguida em torno de 1200.

    – O grande destaque da Cidade Velha, porém, é a praça homônima, dona de igrejas, cafés com mesinhas espalhadas pelo calçadão, palácios rococós e a prefeitura de Praga, cuja torre data de 1364.

    – É ali, diante da prefeitura, que fica o famoso relógio astronômico de Praga que, nas horas cheias, balada e apresenta uma espécie de desfile de bonecos, que dura poucos segundos.

    – Depois de bater perna o dia todo, faça um passeio de barco pelo Rio Moldávia. Muitos deles incluem jantares com direito a apresentações de jazz.

    * Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
  • 3 ° dia

    Bairro Judeu e Cidade Nova

    – Programe-se para conhecer o Bairro Judeu (Josefov), que fica ao lado da Cidade Velha. Ali há cinco sinagogas, o Velho Cemitério Judaico, um dos mais bem preservados do gênero na Europa e o Rudolfinum, sede da Orquestra Filarmônica de Praga, e diversos restaurantes.

    – Entre as sinagogas, que podem ser visitadas, destacam-se a Staronová, ou Velha-Nova, erguida em estilo gótico em 1270; a Espanhola, lindíssima, com decoração moura; e a Pinkas, que dá acesso ao Cemitério Judaico.

    – Ainda no Bairro Judeu, caminhe pela Avenida de Paris, que concentra as principais vitrines de grifes de Praga.

    – Depois do almoço, siga para a Cidade Nova (Nové Město), que, apesar do nome, é bem foi fundada em 1348. O local tem menos charme que outras partes de Praga, mas conta com calçadões repletos de lojas, restaurantes, bares, casas noturnas, cinemas, cabarés e hotéis.

    – A Cidade Nova abriga grandes prédios neorrenascentistas que remetem ao período comunista de Praga, como a Ópera Estatal e o Museu Nacional.

    – Aproveite também para conhecer a Casa Dançante, desenhada pelo arquiteto Vlado Milunić em cooperação com o canadense Frank Gehry. É uma das obras mais futuristas da capital checa.

    – Dá tempo ainda de passear pelas principais praças da Cidade Nova, como a Venceslau, palco da Revolução de Veludo, que marcou o estopim da queda do comunismo em Praga.

    – De noite, escolha uma entre as muitas baladas disponíveis em Praga. Uma das mais famosas é a Karlovy Lasne, mas não se engane: o lugar, enorme e colado na Ponte Carlos, é extremamente turístico.

    – Outra opção é ir ao Teatro Nacional, onde rolam apresentações eruditas.

    * Todos os roteiros indicados foram visitados pela equipe de reportagem do Rota de Férias.
Informativo

Cadastre-se e receba com exclusividade nossos conteúdos.