Crédito: Pixabay

Confira dicas de como dar gorjeta ao redor do mundo

21 de outubro de 2019

Por Redação

Em algumas partes do mundo, o ato de dar gorjeta é algo tão enraizado que chega a ser falta de educação posicionar-se de outra maneira. É o caso dos Estados Unidos, por exemplo.

Em outros destinos, como Portugal e Espanha, essa cultura não é tão forte, mas, mesmo assim, é de bom tom agradar quem presta bons serviços. Afinal, um pequeno gesto pode fazer uma grande diferença.

O que pouca gente sabe é que, curiosamente, há lugares nos quais a ação inadmissível. Pensando nisso, a Booking.com, empresa de viagem e turismo, separou algumas dicas de como dar gorjeta ao redor do mundo.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

Como dar gorjeta ao redor do mundo

EUA

Nos EUA, é praticamente obrigatório dar gorjeta. Ao não optar pelo procedimento, as chances de receber uma cara feia são grandes. Isso ocorre porque o salário dos funcionários de hotéis e restaurantes por lá é, de praxe, um pouco menor, justamente porque se espera que ele seja complementado com as gorjetas.

Ao comer fora, 20% de gorjeta é o padrão; barmen esperam ganhar um dólar por bebida se te atenderem no bar. Nos hotéis, reserve US$ 1 ou US$ 2 por mala que o carregador levar; um se ele chamar um táxi, e cerca de US$ 5 por noite pelo serviço de limpeza. Os taxistas também esperam ganhar gorjetas.

LEIA MAIS: CINEMAS MAIS LEGAIS DO MUNDO MERECEM SER VISITADOS; VEJA LISTA
OS 10 LUGARES MAIS VISITADOS DO MUNDO

Espanha e Portugal

Os espanhóis e os portugueses não são muito de dar gorjetas, mas quanto mais turístico for o lugar, mais os funcionários esperam recebê-las. O serviço raramente é incluído na conta – se você vir um valor marcado como IVA, trata-se, na verdade, de um imposto, e não da gorjeta.

Uns trocadinhos em euros são o suficiente em cafés e restaurantes descontraídos. Nos lugares mais chiques, por sua vez, uma gorjeta de 10% soa como boa recompensa.

Em bares, não faz mal deixar o troco, principalmente se for num lugar com serviço de mesa ou se você ganhou aperitivos de cortesia. A gorjeta não é esperada em nenhum outro destino, exceto alguns euros por carregamento de malas ou serviço de quarto.

Itália

Os italianos são bem tranquilos quando o assunto é gorjeta – dois terços deles não costumam dar nenhuma, nem mesmo em restaurantes. Os costumes americanos, entretanto, estão começando a aparecer na capital, em Florença e Veneza.

Qualquer coisa marcada como “servizio” na nota é o serviço (que, geralmente, é de até 10%). Nesse caso, não precisa dar gorjeta além dele. Deixe alguns euros na mesa para ser visto como uma pessoa generosa, se quiser.

Em hotéis, também vale recompensar o carregador. Já os taxistas esperam que você arredonde o valor da corrida para cima, mas só até o valor mais próximo.

França

A gorjeta aqui não é obrigatória – basta deixar algumas moedas na bandeja usada para trazer a conta, se quiser. Se você não precisar de troco, diga “gardez la monnaie” ao entregar a quantia desejada.

“Service compris” na conta significa que o serviço está incluído. A maioria dos franceses, porém, dá uma gorjeta em cima desse valor em dinheiro se estiver satisfeito com o atendimento. Bares geralmente incluem o serviço, da mesma forma que os restaurantes se tiverem atendimento de mesa.

Carregadores de malas e arrumadeiras esperam ganhar alguns euros, enquanto a maioria dos taxistas tem a expectativa de que você arredonde o valor da corrida para cima ou pague um pouquinho a mais.

Holanda

Para os holandeses, a gorjeta é usada para recompensar um bom atendimento em vez de ser a base do pagamento, então leve isso em consideração se tiver um ótimo serviço.

A conta geralmente inclui 5% de serviço, mas você pode incluir mais 5%. Em cafés, procure pelo “fooienpot” – “fooi” significa gorjeta – no balcão, para deixar umas moedas a mais. Não é uma prática comum em bares, a menos que eles tenham serviço de mesa.

No hotel, algumas moedas para o funcionário que carregar as malas costuma ser mais que suficiente. Para quem for pegar um táxi, não precisa dar gorjeta, mas arredondar o valor para cima vai ser muito bem visto.

Hong Kong

Apesar de não ser uma prática comum dos moradores de Hong Kong, quem trabalha com turistas ocidentais aprendeu a gostar das gorjetas. Sempre dê algum dinheiro para os guias turísticos, porque isso já é esperado.

A maioria dos restaurantes inclui uma taxa de serviço de 10%. Deixe alguns trocados a mais em dinheiro – é a única forma de garantir que o garçom vai ficar com a gorjeta, em vez do estabelecimento. Para carregadores de malas e funcionários de hotéis, considere dar 20 dólares de Hong Kong. Os taxistas não esperam receber gorjeta, mas ficam agradecidos se você deixar algumas moedas.

Japão

No geral, a gorjeta não é habitual no Japão. Em certas circunstâncias, pode até ser considerada como algo rude ou ofensivo. A opinião é de que você já está pagando por um bom serviço, então não seria necessário dar nada além disso.

Existem certas maneiras na hora de dar gorjetas em ryokans sofisticados ou após experiências turísticas, como deixar o dinheiro em um envelope. Para evitar constrangimentos e mostrar respeito é mais seguro apenas evitar gorjetas por completo.

O que não fazer em hipótese nenhuma

Não é aconselhado repetir aquela cena típica de filmes em que uma pessoa passa o dinheiro para outra discretamente, com um aperto de mão. Parece fácil, mas é quase impossível conseguir fazer isso corretamente, sem que a nota deslize e fique chato para todos.

De um modo geral, isso acaba sendo mal visto por garçons, valets e funcionários dos hotéis. Só entregue o dinheiro com um sorriso e agradeça. Simples assim.

15 lugares históricos para conhecer

O planeta é repleto de atrações e destinos encantadores que merecem ser explorados, sejam elas naturais ou construídos pelo homem. O Rota de Férias selecionou alguns lugares históricos para conhecer ao redor do mundo. Confira na galeria:

  • Crédito: Pixabay
    Éfeso, Grécia
  • Crédito: Pixabay
    Éfeso, Grécia
  • Crédito: Pixabay
    Ilha de Páscoa, Chile
  • Crédito: Pixabay
    Ilha de Páscoa, Chile
  • Crédito: Pixabay
    Taj Mahal, Índia
  • Crédito: Pixabay
    Taj Mahal, Índia
  • Crédito: Pixabay
    Angkor Wat, Camboja
  • Crédito: Pixabay
    Angkor Wat, Camboja
  • Crédito: Pixabay
    Parthenon, Grécia
  • Crédito: Pixabay
    Parthenon, Grécia
  • Crédito: Pixabay
    Pirâmides de Gizé, Egito
  • Crédito: Pixabay
    Pirâmides de Gizé, Egito
  • Crédito: Pixabay
    Coliseu, Itália
  • Crédito: Pixabay
    Coliseu, Itália
  • Crédito: Pixabay
    Borobudur, Indonésia
  • Crédito: Pixabay
    Borobudur, Indonésia
  • Crédito: Pixabay
    Jerusalém, Israel
  • Crédito: Pixabay
    Jerusalém, Israel
  • Crédito: Pixabay
    Teotihuacan, México
  • Crédito: Pixabay
    Teotihuacan, México
  • Crédito: Pixabay
    Machu Picchu, Peru
  • Crédito: Pixabay
    Machu Picchu, Peru
  • Crédito: Pixabay
    Stonehenge, Inglaterra
  • Crédito: Pixabay
    Stonehenge, Inglaterra
  • Crédito: Pixabay
    Metéora, Grécia
  • Crédito: Pixabay
    Metéora, Grécia
  • Crédito: Pixabay
    Muralha da China, China
  • Crédito: Pixabay
    Muralha da China, China
  • Crédito: Pixabay
    Petra, Jordânia
  • Crédito: Pixabay
    Petra, Jordânia