Crédito: ismail mohamed - SoviLe on Unplash

Casa alugada ou hotel? Carro ou avião? O que você precisa saber antes de viajar

17 17-03:00 dezembro 17-03:00 2020

Por Paulo Basso Jr.

A melhor maneira de evitar a covid-19 e não contribuir para que o novo coronavírus se espalhe é ficar em casa e não receber visitas. Com o prolongamento das recomendações de distanciamento social, a chegada do verão, as festas de fim de ano e as férias escolares, porém, muita gente não aguenta mais se manter em isolamento e está se programando para viajar, seja para visitar amigos e familiares, seja para relaxar ou se divertir.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

Se esse for seu caso, é importante ter noção dos riscos que está correndo (ou oferecendo a outras pessoas) e também seguir alguns protocolos de segurança para minimizar as chances de se infectar e disseminar o vírus. Uma das principais dicas é escolher lugares em que a pandemia esteja um pouco mais controlada – ou, ao menos, onde os hospitais não estejam com previsão de lotação.

Além disso, vale seguir alguns conselhos de órgãos respeitados, como o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, a respeito de transporte, hospedagem e alimentação durante a viagem. É mais seguro, por exemplo, alugar casa ou ficar em hotel? Ir de carro ou avião? Tire aqui suas dúvidas.

Transporte

De acordo com o CDC, as chances de contrair covid-19 ao viajar não dependem da duração da viagem e do número de paradas, mas de você e das pessoas que estão ao redor. Usar máscaras e manter-se a 1,5 metro de distância de quem não mora contigo, por exemplo, é fundamental durante todas as etapas do transporte.

O cuidado deve ser redobrado em aeroportos e estações de ônibus e trem. Mesmo em posto de gasolina, restaurantes ou banheiros de estrada, é importante seguir recomendações como lavar as mãos antes e depois de sair dos lugares, usar máscaras e ser o mais rápido possível. Em geral, quanto mais tempo você passa perto de uma pessoa com covid-19, mesmo que ela esteja sem sintomas, mais chances você tem de se infectar, segundo o órgão americano.

Os riscos segundo o CDC

Baixo risco

  • Viagens curtas de carro apenas com quem mora com você e sem paradas.

Algum risco

  • Viagens longas de carro ou motorhome, com uma ou mais paradas.

Mais risco

  • Viajar de carro com pessoas que não moram com você.
  • Longas distâncias de trem ou ônibus.
  • Viagens de avião sem conexões.

Alto risco

  • Voos com conexões.
  • Cruzeiros e passeios de barco.

Hospedagem

Muita gente ainda está com dúvida a respeito do que é mais arriscado: alugar uma casa ou ficar em um hotel?

Embora uma série de pousadas, resorts e hotéis de todos os gêneros no Brasil esteja fazendo um grande trabalho e tomando diversos cuidados em relação à segurança (com a adoção de check in e check out online e medição de temperatura, entre outros procedimentos), o CDC aponta que hospedar-se em um espaço reservado só para você é menos arriscado – mas, ainda assim, mais perigoso do que ficar na sua própria residência.

Caso opte por um hotel de qualquer forma, cheque com cuidado todos os protocolos de segurança adotados pelo estabelecimento. Vale a pena, nessa hora – e caso seja possível –, verificar a opinião de conhecidos que porventura estiveram nesses lugares durante a pandemia e tirar todas as dúvidas com a gerência do hotel antes mesmo de viajar.

Uma vez hospedado, lembre-se de que a segurança de todos depende de suas atitudes. Usar máscara (corretamente), limpar bem as mãos o tempo todo, manter distanciamento social e evitar permanecer longos períodos em lugares fechados pode fazer uma grande diferença.

Caso opte por ficar em um imóvel alugado, prefira reservar o espaço todo apenas para você, e não apenas um quarto, por exemplo. Casas são mais seguras que apartamentos, uma vez que não é preciso cruzar hall de entrada, elevadores e outros ambientes compartilhados.

Além disso, cheque com o proprietário como está sendo feita a limpeza do ambiente e qual é o período de tempo adotado entre a entrada e saída dos hóspedes. Você também pode fazer sua parte e entregar o imóvel o mais higienizado possível para evitar a propagação do vírus.

Os riscos segundo o CDC

Algum risco

Alugar uma casa com o espaço todo só para você.

Mais risco

– Ficar em hotéis.

– Hospedar-se em casas com ambientes compartilhados.

– Passar algum tempo na casa de parentes ou amigos.

Alto risco

– Hospedar-se em albergues, campings e outros ambientes em que os dormitórios ou banheiros sejam compartilhados.

Alimentação

Quanto mais intimamente você interage com outras pessoas, maior é o risco de propagação da covid-19, indica o CDC. Isso vale também na hora de fazer as refeições durante as viagens.

Entre as principais dicas está evitar lugares fechados e não compartilhar talheres ou copos. Caso esteja em um restaurante ou mesmo um hotel, verifique os protocolos de segurança aplicados, como distanciamento entre as mesas, uso de máscaras por parte dos funcionários e higiene em geral.

Se for viajar de carro, a dica é levar a própria comida ou recorrer a drive-thrus e serviços de entrega com retirada em áreas externas. Assim, evita-se entrar nos restaurantes, o que minimiza os riscos não só para você, mas também para os funcionários da casa.

Os riscos segundo o CDC

Baixo risco

Levar a própria comida.

– Usar drive-thrus e deliveries em áreas externas – sempre tomando o cuidado de colocar a máscara na hora de interagir com funcionários.

Algum risco

Pedir ou pegar comida dentro dos restaurantes.

– Comer em áreas externas dos restaurantes (neste caso, mantendo 1,5 metro de distância e com os funcionários da casa sempre de máscara).

– Opções de atendimento à la carte e que minimizem tocar em superfícies de estações de comida ou geladeiras compartilhadas.

Mais risco

– Comer em áreas internas dos restaurantes – mesmo que sejam ventiladas, as mesas respeitem o distanciamento social e os funcionários usem máscaras.

– Opções de atendimento com estações de comida e bebidas parcialmente compartilhadas.

Alto risco

– Comer em áreas internas pouco ventiladas de restaurantes, sem que as mesas respeitem distanciamento social e os funcionários usem máscaras.

– Opções de atendimento com estações de comida e bebidas totalmente compartilhadas (como as de alguns restaurantes a quilo ou self-service).