Veja as atrações de Monte Carlo, palco do tradicional GP de Mônaco

24 de maio de 2019

Por Leo Alves

Neste domingo (26/5), o mundo do automobilismo tem um de seus dias mais importantes da temporada. Pela manhã, no horário de Brasília, acontece mais uma edição do GP de Mônaco de F1, uma das provas mais importantes da história. Depois do almoço em família, entretanto, os olhos dos fãs do esporte a motor se voltam para as 500 milhas de Indianápolis, nos Estados Unidos, corrida tradicional de história centenária.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

Com poucos quilômetros de extensão, o principado de Mônaco é um dos destinos mais luxuosos do mundo. Não é raro ver carros de luxo desfilando por suas ruas e iates monumentais ancorados.

História GP de Mônaco

A história da prova monegasca começa antes mesmo do início da Fórmula 1. O primeiro Grande Prêmio disputado no distrito de Monte Carlo foi em 1929. Em 1950, ano de fundação da F1, a prova estava no calendário. Após uma pequena ausência, a corrida voltou a ser disputada em 1955, não deixando mais a categoria desde então.

O piloto que mais subiu ao posto mais alto do pódio é Ayrton Senna, dono de seis vitórias (1987 e de 1989 a 1993). E o tricampeão poderia ter mais uma conquista, já que ele dominava a corrida em 1988, mas acabou batendo sua McLaren na entrada do túnel e deixou a vitória para Alain Prost, seu companheiro de equipe.

LEIA MAIS: LUGARES PARA CURTIR A NOITE EM MÔNACO
HOTEL EM MÔNACO LANÇA SUÍTE INSPIRADA EM GRACE KELLY

Embora tenha perdido o título de Rei de Mônaco para Senna, o bicampeão mundial Graham Hill sabia como triunfar no principado, com cinco vitórias no currículo (1963 a 1965, 1968 e 1969). Maior vencedor da categoria e dono de sete títulos mundiais, Michael Schumacher também venceu cinco vezes no principado (1994, 1995, 1997,1999 e 2001).

Atrações

Para quem pretende chegar de avião, o aeroporto mais próximo fica em Nice, na França. Também é possível ir de carro, trem ou helicóptero. Uma vez no principado, um ponto turístico que vale a visita é o Palácio do Príncipe. Dele, é possível ter uma bela vista da cidade.

O Cassino de Monte Carlo é outro conhecido ponto turístico do distrito. Tanto que há até uma curva do circuito de F1 com o seu nome.

Fundado pelo príncipe Alberto I, o Museu Oceanógrafo tem o maior recife de corais do mundo. Seu terraço panorâmico é outro ponto com visão privilegiada de Mônaco.

Pistas tradicionais

E por falar em automobilismo, confira na galeria quais são os principais autódromos do mundo.

  • Crédito: Divulgação
    Autódromo Internacional José Carlos Pace - Interlagos (São Paulo, Brasil): principal pista brasileira, o traçado paulistano existe desde os anos 1940. Recebeu o formato atual em 1990, quando voltou a receber a F1. Além dela, também recebe a Stock Car e diversas outras categorias do País
  • Crédito: Divulgação
    Autódromo Internacional José Carlos Pace - Interlagos (São Paulo, Brasil): principal pista brasileira, o traçado paulistano existe desde os anos 1940. Recebeu o formato atual em 1990, quando voltou a receber a F1. Além dela, também recebe a Stock Car e diversas outras categorias do País
  • Crédito: Divulgação
    Autódromo Internacional José Carlos Pace - Interlagos (São Paulo, Brasil): principal pista brasileira, o traçado paulistano existe desde os anos 1940. Recebeu o formato atual em 1990, quando voltou a receber a F1. Além dela, também recebe a Stock Car e diversas outras categorias do País
  • Crédito: Divulgação
    Autódromo Internacional José Carlos Pace - Interlagos (São Paulo, Brasil): principal pista brasileira, o traçado paulistano existe desde os anos 1940. Recebeu o formato atual em 1990, quando voltou a receber a F1. Além dela, também recebe a Stock Car e diversas outras categorias do País
  • Crédito: Divulgação
    Autódromo Hermanos Rodriguez (Cidade do México, México): pista com a maior atitude do calendário da Fórmula 1, esta pista já sediou a etapa mexicana da categoria em três períodos: de 1963 a 1970, depois entre 1986 e 1992, e retornando em 2015 até os tempos atuais
  • Crédito: Divulgação
    Autódromo Hermanos Rodriguez (Cidade do México, México): pista com a maior atitude do calendário da Fórmula 1, esta pista já sediou a etapa mexicana da categoria em três períodos: de 1963 a 1970, depois entre 1986 e 1992, e retornando em 2015 até os tempos atuais
  • Crédito: Divulgação
    Autódromo Hermanos Rodriguez (Cidade do México, México): pista com a maior atitude do calendário da Fórmula 1, esta pista já sediou a etapa mexicana da categoria em três períodos: de 1963 a 1970, depois entre 1986 e 1992, e retornando em 2015 até os tempos atuais
  • Crédito: Divulgação
    Autodromo Internazionale Enzo e Dino Ferrari (Ímola, Itália): é uma pista que não traz boas recordações aos brasileiros, por conta do acidente de Ayrton Senna. Teve o traçado alterado após o trágico GP de 1994, que também vitimou Roland Ratzenberger, recebendo a F1 até 2006. Mesmo com todas as fatalidades, ainda é uma das pistas mais importantes do automobilismo
  • Crédito: Divulgação
    Autodromo Internazionale Enzo e Dino Ferrari (Ímola, Itália): é uma pista que não traz boas recordações aos brasileiros, por conta do acidente de Ayrton Senna. Teve o traçado alterado após o trágico GP de 1994, que também vitimou Roland Ratzenberger, recebendo a F1 até 2006. Mesmo com todas as fatalidades, ainda é uma das pistas mais importantes do automobilismo
  • Crédito: Divulgação
    Circuit de Barcelona-Catalunya (Montmeló, Espanha): recebe a F1 desde 1991, além de ser também o local escolhido para os testes de pré-temporada. A MotoGP é outra importante categoria que utiliza essa pista, organizando o GP da Catalunha anualmente
  • Crédito: Divulgação
    Circuit de Barcelona-Catalunya (Montmeló, Espanha): recebe a F1 desde 1991, além de ser também o local escolhido para os testes de pré-temporada. A MotoGP é outra importante categoria que utiliza essa pista, organizando o GP da Catalunha anualmente
  • Crédito: Divulgação
    Circuit de Barcelona-Catalunya (Montmeló, Espanha): recebe a F1 desde 1991, além de ser também o local escolhido para os testes de pré-temporada. A MotoGP é outra importante categoria que utiliza essa pista, organizando o GP da Catalunha anualmente
  • Crédito: Divulgação
    Daytona International Speedway (Daytona Beach, EUA): recebe as 500 milhas da Nascar, uma das provas mais importantes da categoria, e também as 24h de Daytona dos carros protótipos do campeonato americano (IMSA)
  • Crédito: Divulgação
    Daytona International Speedway (Daytona Beach, EUA): recebe as 500 milhas da Nascar, uma das provas mais importantes da categoria, e também as 24h de Daytona dos carros protótipos do campeonato americano (IMSA)
  • Crédito: Divulgação
    Daytona International Speedway (Daytona Beach, EUA): recebe as 500 milhas da Nascar, uma das provas mais importantes da categoria, e também as 24h de Daytona dos carros protótipos do campeonato americano (IMSA)
  • Crédito: Divulgação
    Hockenheimring Baden-Württemberg (Hockenheim, Alemanha): atual sede do GP da Alemanha, foi nesta pista que Rubens Barrichello conquistou sua primeira vitória na F1, em 2000, seu ano de estreia pela Ferrari. Na época, o traçado ainda era o antigo, com grandes retas que cortavam a floresta. A pista foi reduzida em 2002, utilizando o mesmo formato até hoje
  • Crédito: Divulgação
    Hockenheimring Baden-Württemberg (Hockenheim, Alemanha): atual sede do GP da Alemanha, foi nesta pista que Rubens Barrichello conquistou sua primeira vitória na F1, em 2000, seu ano de estreia pela Ferrari. Na época, o traçado ainda era o antigo, com grandes retas que cortavam a floresta. A pista foi reduzida em 2002, utilizando o mesmo formato até hoje
  • Crédito: Divulgação
    Hockenheimring Baden-Württemberg (Hockenheim, Alemanha): atual sede do GP da Alemanha, foi nesta pista que Rubens Barrichello conquistou sua primeira vitória na F1, em 2000, seu ano de estreia pela Ferrari. Na época, o traçado ainda era o antigo, com grandes retas que cortavam a floresta. A pista foi reduzida em 2002, utilizando o mesmo formato até hoje
  • Crédito: Divulgação
    Indianapolis Motor Speedway (Indianapolis, EUA): com mais de um século de história, é o palco das tradicionais 500 Milhas da Fórmula Indy. Foi sede do GP dos Estados Unidos de F1 entre 2000 e 2007
  • Crédito: Divulgação
    Indianapolis Motor Speedway (Indianapolis, EUA): com mais de um século de história, é o palco das tradicionais 500 Milhas da Fórmula Indy. Foi sede do GP dos Estados Unidos de F1 entre 2000 e 2007
  • Crédito: Divulgação
    Indianapolis Motor Speedway (Indianapolis, EUA): com mais de um século de história, é o palco das tradicionais 500 Milhas da Fórmula Indy. Foi sede do GP dos Estados Unidos de F1 entre 2000 e 2007
  • Indianapolis Motor Speedway (Indianapolis, EUA): com mais de um século de história, é o palco das tradicionais 500 Milhas da Fórmula Indy. Foi sede do GP dos Estados Unidos de F1 entre 2000 e 2007
  • WeatherTech Raceway Laguna Seca (Monterey, EUA): uma das pistas mais tradicionais do país, ela é famosa pela desafiadora curva saca-rolha. Já recebeu diversas competições internacionais, como a MotoGP, Superbike e a extinta ChampCar, atual Fórmula Indy
  • WeatherTech Raceway Laguna Seca (Monterey, EUA): uma das pistas mais tradicionais do país, ela é famosa pela desafiadora curva saca-rolha. Já recebeu diversas competições internacionais, como a MotoGP, Superbike e a extinta ChampCar, atual Fórmula Indy
  • WeatherTech Raceway Laguna Seca (Monterey, EUA): uma das pistas mais tradicionais do país, ela é famosa pela desafiadora curva saca-rolha. Já recebeu diversas competições internacionais, como a MotoGP, Superbike e a extinta ChampCar, atual Fórmula Indy
  • Crédito: Maria Beatriz Vaccari/Rota de Férias
    O Rota de Férias, inclusive, já andou nesta pista. Confira o relato de nossa reportagem neste texto: https://bit.ly/2KWWt6y
  • Crédito: Divulgação
    Circuit de la Sarthe (Le Mans, França): outro templo do automobilismo e que realiza desde 1923 as 24 horas de Le Mans, prova mais importante do calendário do WEC, o mundial de endurance
  • Crédito: Divulgação
    Circuit de la Sarthe (Le Mans, França): outro templo do automobilismo e que realiza desde 1923 as 24 horas de Le Mans, prova mais importante do calendário do WEC, o mundial de endurance
  • Circuit de la Sarthe (Le Mans, França): outro templo do automobilismo e que realiza desde 1923 as 24 horas de Le Mans, prova mais importante do calendário do WEC, o mundial de endurance
  • Crédito: Divulgação
    Mônaco (Monte Carlo): não chega a ser um circuito, já que a corrida é realizada nas ruas da cidade. Mesmo assim, é um dos locais sagrados do automobilismo. Por ser uma pista de rua, é aberta para que qualquer pessoa percorra as famosas curvas do principado
  • Crédito: Divulgação
    Mônaco (Monte Carlo): não chega a ser um circuito, já que a corrida é realizada nas ruas da cidade. Mesmo assim, é um dos locais sagrados do automobilismo. Por ser uma pista de rua, é aberta para que qualquer pessoa percorra as famosas curvas do principado
  • Crédito: Divulgação
    Mônaco (Monte Carlo): não chega a ser um circuito, já que a corrida é realizada nas ruas da cidade. Mesmo assim, é um dos locais sagrados do automobilismo. Por ser uma pista de rua, é aberta para que qualquer pessoa percorra as famosas curvas do principado
  • Crédito: Divulgação
    Mônaco (Monte Carlo): não chega a ser um circuito, já que a corrida é realizada nas ruas da cidade. Mesmo assim, é um dos locais sagrados do automobilismo. Por ser uma pista de rua, é aberta para que qualquer pessoa percorra as famosas curvas do principado
  • Crédito: Divulgação
    Autodromo Nazionale Monza (Monza, Itália): palco do GP da Itália, a pista foi construída em 1922 e já recebeu a F1 em 68 oportunidades, desde 1950. É aqui que os italianos demonstram toda a sua paixão pela Ferrari, com enormes bandeirões e cartazes de devoção aos carros vermelhos
  • Crédito: Divulgação
    Autodromo Nazionale Monza (Monza, Itália): palco do GP da Itália, a pista foi construída em 1922 e já recebeu a F1 em 68 oportunidades, desde 1950. É aqui que os italianos demonstram toda a sua paixão pela Ferrari, com enormes bandeirões e cartazes de devoção aos carros vermelhos
  • Crédito: Divulgação
    Autodromo Nazionale Monza (Monza, Itália): palco do GP da Itália, a pista foi construída em 1922 e já recebeu a F1 em 68 oportunidades, desde 1950. É aqui que os italianos demonstram toda a sua paixão pela Ferrari, com enormes bandeirões e cartazes de devoção aos carros vermelhos
  • Crédito: Divulgação
    Autodromo Nazionale Monza (Monza, Itália): palco do GP da Itália, a pista foi construída em 1922 e já recebeu a F1 em 68 oportunidades, desde 1950. É aqui que os italianos demonstram toda a sua paixão pela Ferrari, com enormes bandeirões e cartazes de devoção aos carros vermelhos
  • Nürburing (Nürburg, Alemanha): recebeu por diversos anos o GP da Alemanha e o GP da Europa de F1. Seu traçado antigo, o Nordschleife, pode ser visitado por turistas, sendo permitido dar algumas voltas de carro pelas suas 154 curvas
  • Nürburing (Nürburg, Alemanha): recebeu por diversos anos o GP da Alemanha e o GP da Europa de F1. Seu traçado antigo, o Nordschleife, pode ser visitado por turistas, sendo permitido dar algumas voltas de carro pelas suas 154 curvas
  • Nürburing (Nürburg, Alemanha): recebeu por diversos anos o GP da Alemanha e o GP da Europa de F1. Seu traçado antigo, o Nordschleife, pode ser visitado por turistas, sendo permitido dar algumas voltas de carro pelas suas 154 curvas
  • Crédito: Divulgação
    Silverstone Circuit (Silverstone, Inglaterra): antigo aeroporto, a pista inglesa foi a responsável por inaugurar a Fórmula 1, tendo recebido o primeiro GP da história da categoria. É um dos circuitos mais tradicionais e importantes do mundo
  • Crédito: Divulgação
    Silverstone Circuit (Silverstone, Inglaterra): antigo aeroporto, a pista inglesa foi a responsável por inaugurar a Fórmula 1, tendo recebido o primeiro GP da história da categoria. É um dos circuitos mais tradicionais e importantes do mundo
  • Crédito: Divulgação
    Silverstone Circuit (Silverstone, Inglaterra): antigo aeroporto, a pista inglesa foi a responsável por inaugurar a Fórmula 1, tendo recebido o primeiro GP da história da categoria. É um dos circuitos mais tradicionais e importantes do mundo
  • Crédito: Divulgação
    Circuit de Spa-Francorchamps (Stavelot, Bélgica): recebe anualmente a F1, sendo uma das pistas favoritas dos pilotos. A temida curva Eau Rouge, feita na subida e em alta velocidade, é uma das mais conhecidas do esporte a motor
  • Crédito: Divulgação
    Circuit de Spa-Francorchamps (Stavelot, Bélgica): recebe anualmente a F1, sendo uma das pistas favoritas dos pilotos. A temida curva Eau Rouge, feita na subida e em alta velocidade, é uma das mais conhecidas do esporte a motor
  • Crédito: Divulgação
    Circuit de Spa-Francorchamps (Stavelot, Bélgica): recebe anualmente a F1, sendo uma das pistas favoritas dos pilotos. A temida curva Eau Rouge, feita na subida e em alta velocidade, é uma das mais conhecidas do esporte a motor
  • Crédito: Divulgação
    Suzuka International Racing Course (Suzuka, Japão): única pista em formato de 8, já decidiu diversos campeonatos. Foi aqui que Ayrton Senna conquistou seus três campeonatos (1988, 1990 e 1991). Recebe a MotoGP e diversas categorias locais, como a Super GT
  • Crédito: Divulgação
    Suzuka International Racing Course (Suzuka, Japão): única pista em formato de 8, já decidiu diversos campeonatos. Foi aqui que Ayrton Senna conquistou seus três campeonatos (1988, 1990 e 1991). Recebe a MotoGP e diversas categorias locais, como a Super GT
  • Crédito: Divulgação
    Suzuka International Racing Course (Suzuka, Japão): única pista em formato de 8, já decidiu diversos campeonatos. Foi aqui que Ayrton Senna conquistou seus três campeonatos (1988, 1990 e 1991). Recebe a MotoGP e diversas categorias locais, como a Super GT