Crédito: José Cruz/ Agência Brasil

Aeroportos nacionais adotam regras de segurança mais rígidas

19 de julho de 2016

Por Maria Beatriz Vaccari

Ontem (18), a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) anunciou uma mudança nas regras de segurança dos aeroportos nacionais. Agora, as inspeções de passageiros de voos internos passam a ser mais parecidas com o processo dos voos internacionais. Ainda no período de adaptação, a novidade está causando grandes filas e atrasos. Por isso, recomenda-se que os passageiros cheguem com duas horas de antecedência ao aeroporto.

Com as normas mais rigorosas, os passageiros precisam estar preparados para retirar equipamentos eletrônicos (como notebooks) da bagagem de mão e colocá-los em uma bandeja separada. Além disso, os agentes também poderão solicitar a retirada de outros itens e revistas corporais.

Para acelerar o processo e evitar transtornos, recomenda-se que os passageiros já separem e retirem objetos metálicos do corpo e das roupas ainda na fila (por exemplo: cintos, colares e moedas). Alguns aeroportos já estão distribuindo sacos plásticos para facilitar essa estratégia.

O passageiro que se negar a passar por algum procedimento solicitado durante a inspeção não poderá entrar na área de embarque. Os itens proibidos na bagagem de mão continuam os mesmos: objetos pontiagudos e cortantes, produtos inflamáveis ou tóxicos, armas brancas, armas de fogo e partes de armas.