8 motivos para conhecer Nine Elms, distrito de Londres

10 de julho de 2018

Por Redação

Chamada de Nine Elms por causa de uma fila de árvores que beiravam a estrada, essa região de Londres está se desenvolvendo rapidamente com uma expansão de opções culturais, lazer e zonas residenciais e comerciais. Localizado ao sul da capital inglesa, o bairro fica às margens do Rio Tamisa.

Em seu centro estão alguns dos locais mais icônicos da localidade. A Battersea Power Station, listada como patrimônio Grau II, o New Covent Garden Market – maior mercado de produtos frescos no país – e a ultramoderna e nova Embaixada dos Estados Unidos são algumas das atrações. Para demonstrar o que há de melhor, o escritório de turismo do Reino Unido listou oito motivos para conhecer a região londrina.

O que fazer em Nine Elms, Londres

1. Bairro gastronômico

Um novo distrito de sabores está emergindo gradualmente durante a primeira fase de regeneração do bairro. Chamado de Circus West Village, conta com restaurantes britânicos e internacionais, que aproveitam as vistas para o rio e oferecem terraços ao ar livre. Uma opção é provar um café da manhã ou almoço feito com produtos frescos e locais no The CoffeeWorks Project.

Para jantar, uma opção é o Wright Brothers, especializado em marisco e ostras. A cozinha usa ingredientes trazidos de Billingsgate Fish Market, mercado de peixes dos mesmos donos. Quem prefere a culinária japonesa pode provar os pratos e a seleção de uísques e saquês do Tonkotsu.

LEIA MAIS: NOVOS MUSEUS DA GRÃ-BRETANHA: VEJA 8 OPÇÕES LEGAIS
O QUE FAZER EM LONDRES: ROTEIRO DE 5 DIAS

A culinária italiana também está presente. O restaurante Fiume oferece comida clássica da Calábria, criada por um dos principais chefs italianos, Francesco Mazzei.

Outros chefs de renome mundial estão investindo em Nine Elmes. É o caso do indiano Vishnu Aldo, que escolheu o distrito para lançar o Chokhi Dhani London, seu primeiro restaurante no exterior.

2.  Bares

Os bares em Nine Elms acompanham o ritmo da cidade e também estão se desenvolvendo. Há opções para todos os gostos, como o Vagabond. Com mais de 100 vinhos em taça, o local também funciona como uma loja da bebida derivada das uvas. Há também um menu de comida sazonal e diversas opções de cervejas artesanais. Uma novidade é a adega totalmente ativa no local, que pode agradar quem deseja explorar as complexidades do processo de vinificação.

Não muito longe dali, à beira do Tâmisa, fica a Nine Elms Tavern. A taberna tem decoração interior que mistura painéis de vidro do chão ao teto e com materiais reciclados no mobiliário. Outra opção próxima ao rio é o No.29 Power Station West. Trata-se de um restaurante de bairro, com um bar anexo e que oferece uma bela vista.

3. Espaço verde

Londres chama a atenção pela sua variedade de parques e espaços verdes. O prefeito da cidade, inclusive, pretende transformar o município no primeiro National Park City, com o objetivo de tornar metade da cidade totalmente verde até 2050. Com isso, Nine Elms se prepara para ser um dos bairros mais arborizados da capital inglesa.

Os planos para o Nine Elms Park incluem a criação de um corredor verde, que vai da Battersea Power Station até Vauxhall Cross. A ideia é ter espaços abertos, jardins e praças públicas, que, no futuro, também serão utilizados para eventos ao ar livre. O parque terá uma nova rota para pedestres e uma ciclovia que atravessará o centro da cidade e se conectará à trilha Thames River Path.

4. Atrações culturais

O distrito conta com diversas atrações culturais. A 575 Wandsworth Road, por exemplo, é um local especial do patrimônio histórico britânico (National Trust). Trata-se de uma casa georgiana que pertencia ao poeta, filósofo e romancista queniano Khadambi Asalache, responsável por transformar o prédio em uma obra de arte. A casa é toda adornada por detalhes em madeira entalhados e pintados à mão. Porém, o número de visitantes é limitado a 2 mil por ano, e a visita precisa ser agendada.

A Hayward Gallery, por sua vez, celebra o seu 50º aniversário neste ano e vai realizar o maior festival de arte contemporânea de Londres em 2018: o Art Night, em Nine Elms, Battersea e Vauxhall. O evento acontece em julho e exibirá artes ao longo do Rio Tamisa e em locais inesperados.

Outra opção é a exposições da coleção de Damien Hirst na Newport Street Gallery, em Vauxhall. Uma boa dose de cultura também pode ser encontrada ao longo do Battersea Arts Center. O programa é embalado por teatro de vanguarda, sessões criativas, comédia e recitais.

5. Ar livre

A área já tem um grande espaço ao ar livre. No New Covent Garden Market é possível presenciar um espetáculo inesquecível de flores. Há também aventuras no Battersea Park, entre elas o arvorismo Go Ape. Passeios de barco no lago, caminhadas pelos jardins e uma tarde de diversões com as crianças no seu Children’s Zoo estão entre as atrações.

6. Hospedagem

Nine Elms fica bem próxima da região central de Londres. Os barrios de Battersea e Vauxhall são vizinhos e contam com diversas opções de hospedagem.

Localizado nas margens do Tamisa, em Battersea, o hotel-boutique cinco estrelas Hotel Rafayel utiliza praticas de sustentabilidade. Ele tem uma política de não usar plásticos, possui mobiliário de couro reciclado, iniciativas de eficiência energética e tecnologia de captação de água de chuva. O spa e o restaurante usam produtos orgânicos.

Vistas panorâmicas são um padrão no quatro estrelas Crowne Plaza London Battersea. Ele oferece um ambiente sereno e spa para adultos. Como alternativa de hospedagem, existem excelentes opções para orçamentos mais justos, como o Holiday Inn Express London Vauxhall Nine Elms.

7. Acesso

A Northern Line do metrô de Londres está passando por uma ampliação que irá fornecer duas novas paradas, em Nine Elms on Wandsworth Road e na Battersea Power Station. As novas estações devem ser abertas até 2020.

Até lá, a área pode ser alcançada por uma caminhada de 10 a 15 minutos saindo das movimentadas estações Queenstown Road, Battersea Park, Vauxhall e Victoria.

Há também ônibus frequentes e o MBNA Thames Clippers River Bus, serviço de barco que para no píer nos pés da Power Station, numa viagem de 15 minutos do Embankment Pier para o West End, ou de 20 minutos até a City.

8. Bônus: experiências de compras

Nos próximos anos, Nine Elms ganhará um novo centro de compras. A Battersea Power Station, antiga usina termoelétrica e que foi até capa de álbum do Pink Floyd, irá reabrir como shopping center e área de lazer em 2020. A expectativa é que o local seja o terceiro maior destino de compras na região central de Londres.

Marcas internacionais irão abastecer as lojas ao longo dos salões das duas históricas turbinas da estação. A Turbine Hall A abrigará a Premium Collection. As marcas contemporâneas poderão ser encontradas na Turbine Hall B, edifício concluído nos anos 1950.

Além das compras, haverá um passeio pela antiga usina de energia. Para ter acesso a uma vista panorâmica de Londres, será instalado um elevador na chaminé. Outra possibilidade será visitar as salas de controle A e B.