Crédito: Divulgação

6 estações de esqui para curtir a neve na América do Sul

26 de abril de 2018

Por Maria Beatriz Vaccari

As principais estações de esqui da Argentina e do Chile começam a abrir as portas em junho. Visitar complexos como o Valle Nevado, que fica pertinho de Santiago, capital chilena, é a opção perfeita para curtir a neve na América do Sul.

LEIA MAIS: ROTEIRO DE 1 DIA NO VALLE NEVADO
CLIENTES AVIANCA GANHAM DESCONTOS NO VALLE NEVADO

A Interpoint Viagens e Turismo, agência especializada em programas de luxo e experiências de esqui, selecionou 6 estações imperdíveis para conhecer sem sair do hemisfério sul. Confira:

6 estações de esqui para curtir neve na América do Sul

  • Valle Nevado Ski Resort, Chile

Prestes a completar a sua 30ª temporada de neve, o Valle Nevado Ski Resort, maior estação de esqui do hemisfério sul e queridinho dos brasileiros durante o inverno, oferece inúmeros atrativos para os seus visitantes. O complexo, situado a cerca de 60 quilômetros de distância de Santiago, conta com três hotéis – TresPuntas, Puerta Del Sol e Valle Nevado -, seis restaurantes e bares e mais de 40 pistas para esqui e snowboard para diferentes níveis de esquiadores.

Divulgação
Valle Nevado, no Chile
Valle Nevado, no Chile
  • Portillo, Chile

Cravada no meio dos Andes, a apenas 3 quilômetros de distância da fronteira com a Argentina e às margens da Laguna del Inca, Portillo é o mais tradicional centro de esqui do Chile. Foi construído no final dos anos 1940 pelo governo chileno para difundir o esporte na América do Sul. Sua estrutura difere e muito de outras estações mais badaladas, como Valle Nevado, já que oferece ares de hotel na montanha. Nas pistas do complexo, inclusive, é muito comum encontrar esquiadores de ponta treinando para campeonatos mundiais e Jogos Olímpicos.

Divulgação
Portillo, no Chile
Portillo, no Chile
  • Termas de Chillán, Chile

Localizado nos pés do Vulcão Chillán, a 1.650 metros acima do nível do mar, Termas de Chillán oferece ótimos atrativos para os apaixonados por esqui. Além dos 35 quilômetros de áreas esquiáveis, o complexo conta ainda com muitas fontes termais, ideais para relaxar após praticar o esporte de inverno. O destino é o único resort de neve chileno aberto durante os 12 meses do ano.

Divulgação
Termas de Chillán, no Chile
Termas de Chillán, no Chile
  • Cerro Chapelco, Argentina

Pertinho de San Martin de los Andes, na Argentina, em uma charmosa cidadezinha ao melhor estilo alpino, encontra-se o centro de esqui de Cerro Chapelco. Dotado de belas paisagens e de uma ótima infraestrutura, o complexo, que está a 1.980 metros acima do nível do mar, reúne quase 30 quilômetros de superfície esquiável, 24 pistas de diferentes níveis de dificuldade e 12 pontos de elevação que podem transportar até 18 mil esquiadores por hora.

Divulgação
Cerro Chapelco, na Argentina
Cerro Chapelco, na Argentina
  • LasLeñas, Argentina

Reconhecido como um dos melhores centros de esqui e snowboard do Hemisfério Sul, LasLeñas, na Argentina, conta com 65 quilômetros de área esquiável, com cerca de 30 pistas com diferentes níveis de dificuldade para os esquiadores. Destaque para a mais longa descida por pista ininterrupta do mundo e para a iluminação artificial que o complexo oferece para a prática noturna. LasLeñas está a apenas 45 minutos do aeroporto de Malargue.

Divulgação
Las Leñas, na Argentina
Las Leñas, na Argentina
  • Cerro Castor, Argentina

Cerro Castor é a estação de esqui e snowboard perfeita para aqueles que desejam aliar a prática de esportes de inverno a passeios com sabor de aventura entre as espetaculares paisagens. São 29 quilômetros de pistas com neve de alta qualidade, modernos equipamentos e meios de elevação. Isso sem falar na cidade de Ushuaia, que fica na chamada “Terra do Fogo”, repleta de hotéis e restaurantes, onde se pode fazer compras de eletrônicos, perfumes e cosméticos livres de impostos. Passeios pela região, como a excursão de barco pelo Canal de Beagle e o famoso tour de trem do fim do mundo, também são bacanas.

Divulgação
Cerro Castor, na Argentina
Cerro Castor, na Argentina