Crédito: Paulo Basso Jr.

1º dia no Rituaali tem avaliações médicas e momentos relax

14 de fevereiro de 2017

Por Paulo Basso Jr.

Quinta-feira

No meu primeiro dia no Rituaali, ainda pela manhã, passei por uma avaliação de saúde com direito à medição de pressão, de peso e das taxas de gordura e nutrientes do meu corpo (bioimpedância). O processo rola em uma balança conectada a um software que realiza todos os cálculos instantaneamente. É rápido e tranquilo. A simpática atendente, que como todos no espaço já sabia o meu nome, ainda fez algumas perguntas a fim de dimensionar minha carga de estresse.

Logo depois ganhei, assim como todos os hóspedes, uma massagem de boas-vindas no spa. E para lá fui com o roupão, os chinelos (os tamanhos são questionados antes do check in), a ecobag e a garrafa de água que estavam à disposição em meu chalé (apenas o roupão deve ser devolvido ao final da estadia).

A massagem foi maravilhosa. Começou nos pés com um creme esfoliante Caudalie à base de semente de uva cabernet e depois focou na lombar com um óleo de uvas. Foi uma das melhores que recebi até hoje, sem dúvida. Extremamente relaxante.

Um sininho soou às 13h. Era a hora do almoço, que seria cumprida regularmente nos dias seguintes. Notei que os demais hóspedes (três casais e três mulheres, até então) já estavam entrosados. Todos estranharam o fato de as mesas estarem separadas, já que, até então, era comum comerem juntos.

Achei melhor ficar de lado, apenas com minha esposa, e me senti um tanto inibido quanto a possível integração (depois descobriria que isso tornaria a experiência muito melhor). Foram servidos então três pratos, todos eles veganos, já que essa é a proposta do Rituaali.

O primeiro trazia uma boa quantidade de folhas verdes com tomate, tofu e ricota de castanha. O tempero estava saborosíssimo. O prato principal incluía arroz selvagem com redução de beterraba e caldo de tahine com legumes (cenoura, ervilha e shitake). De sobremesa foi servida uma cuca de maçã adoçada com mel (único produto proveniente de animais usado na cozinha) e agave. As quantidades se mostraram bem razoáveis.

Logo depois da refeição, os hóspedes perfilaram as cadeiras diante de uma mesa da cozinha para assistir a um workshop gastronômico. O chef e um ajudante mostraram como fazer, de forma simples, para o dia a dia, uma massa integral de quiche com creme de palmito e azeitonas a base de tofu.

Aproveitei a hora seguinte para relaxar na linda piscina com borda infinita e vista para a Serra da Mantiqueira.  Ainda deu para fazer sauna e ducha escocesa (aquele banho que parece de detento e, no fim, é bastante relaxante).

No meio da tarde passei por consulta com o Dr. Luiz Fernando Sella, um dos dois médicos responsáveis pelo Rituaali (a outra é sua esposa, Dra. Daniela Tiemi Kann, uma simpatia). O atendimento é primoroso, com uma série de questionamentos e explicações que médicos convencionais dificilmente se preocupam em passar aos pacientes.

Foto: Paulo Basso Jr.
DCIM100GOPROG0024735.
Chalé espaçoso tem estilo rústico-chique e hidromassagem dupla

Ali, boa parte de programação para os dias seguintes é definida. Meu foco, por exemplo, não era emagrecer, mas relaxar e encontrar soluções para alguns problemas que me afetam, como pressão alta e uma hérnia de disco.

Rolou mais um momento relax nas áreas comuns do espaço, sempre com música ambiente estilo pianinho. Interrompi a contemplação para uma avaliação física e uma sessão de alongamento na sala de ginástica, ambas ministradas por um personal trainer gente fina.

Às 18h30 o sino tocou e foi servido o jantar: quatro quiches de massa integral com creme de palmito, azeitonas e tofu (exatamente o que aprendemos a fazer horas antes). Para acompanhar, folhas verdes. E para beber, nada, assim como ocorre em todas as refeições.

O jantar foi seguido de uma palestra em um momento definido pelo Rituaali como Fórum do Conhecimento. De forma extraordinária, já que os palestrantes geralmente são do próprio espaço, foi contada a história de vida bastante emocionante, louvável e inspiradora de um casal que estava hospedado ali e acabara de chegar ao Brasil após largar a vida executiva e passar um ano cuidando voluntariamente de crianças pobres na Índia.

O único porém é que o trabalho foi feito como missão de uma igreja cristã e até aí, ok, mas isso foi citado alguns vezes, o que me levou a pensar que talvez o discurso soasse um tanto incômodo para alguns hóspedes. Eu preferi absorver apenas como um bom ensinamento, independentemente de qualquer fé, e ficar feliz que existam pessoas como essas no mundo, dispostas a abandonar tudo e fazer o bem.

Já perto das 21h retornei ao quarto. Estava baixando e tratando algumas fotos publicadas aqui e no Instagram @rotadeferias quando fui surpreendido: o wi-fi foi cortado 22h e o 4G não funcionava nem a pau.

Entendi então que rolava também um detox digital para estimular os hóspedes a dormir cedo. Afinal, repousar por volta das 22h e acordar em torno de 6h é, segundo a equipe do Rituaali, fundamental para o bem-estar e até para questões ligadas a emagrecimento.

No fim, o tiro saiu pela culatra. Minha mulher, que toma muito café, sofreu com abstinência (coffee lá, nem pensar) e passou mal, com ânsias e dor de cabeça. Tive até que chamar a enfermeira, que a aliviou com água com limão e compressas de água fria na cabeça e quente nos pés.

Disseram-nos que o processo é comum a quase todos que tomam muito café, mas que no dia seguinte ela se sentiria melhor, o que de fato se comprovou. Com isso, fui dormir perto de meia-noite.

2º dia – https://rotadeferias.com.br/2o-dia-no-rituaali-dieta-de-liquidos-e-terapias-relaxantes/

 

Introdução – https://rotadeferias.com.br/como-e-passar-4-dias-em-um-dos-spas-mais-luxuosos-do-brasil/
3º dia – https://rotadeferias.com.br/3o-dia-no-rituaali-e-marcado-por-passeio-pela-regiao-e-relax/
4º dia – https://rotadeferias.com.br/4o-dia-no-rituaali-avaliacao-final-metas-e-despedida/